sábado, 2 de junho de 2007

232 anos da PMMG.


Mais de 40 mil homens e mulheres, todos conscientes da sua importante missão de defender e proteger os mineiros, comemoram mais um aniversário da Polícia Militar de Minas Gerais. As solenidades começam hoje, sexta-feira, 1º, e continuam até a próxima quarta-feira, 6. No dia 9, sábado, além do aniversário da PMMG, também comemora-se o Dia do Policial Militar. Este ano, a PMMG, com 232 anos, ressalta o sucesso das operações desencadeadas em praticamente todos os 853 municípios mineiros, que redundaram em uma significativa redução da criminalidade e da violência. Para isso, a Corporação contou com o profissionalismo de seus integrantes, que utilizaram centenas de viaturas de diversos tipos, armas de variadas marcas e calibres, coletes à prova de bala, helicópteros e barcos, auxiliados pelo sistema de telecomunicações, informática e videomonitoramento, além de uma infinidade de outros sistemas e equipamentos.

Leia mais em PMMG.

Um comentário:

fernanda disse...

salve; hoje cedo aconteceu algo muito desagradável, fiz uma ultrapassagem em um local onde ñ há sinalização indicando que ñ poderia ultrapassar, mas tudo bem, uma viatura utilizou-se da sirene p/ parar meu carro pois havia 1º dado sinal c/ farol, atrás de mim, mas eu ñ havia visto,só ouvi a sirene e pensei até que fosse uma ambulância, assustada, ultrapassei uma carroça p/ dar lugar à ambulância, mas era a viatura que queria que eu parasse; ao parar o carro, o sargento Jorge desceu gritando solicitando meus documentos e por quê eu ñ havia parado e que havia feito uma ultrapassagem em lugar que ñ podia e que estava correndo parecendo estar fugindo da viatura - o tom era agressivo, em alta voz e gesticulando c/ os braços - eu lhe pedi desculpas, disse-lhe que estava atrasada p/ meu serviço uma vez que sou médica; mandou ficar quieta e que ñ importava eu ser médica e que iria me multar. Fui até ao batalhão e lhe pedi seu nome, ele disse seu nome e disse que eu iria ser multada; eu lhe disse que ele tinha mesmo que fazer seu papel mas ñ precisava ser agressivo. Fui até o cartório da PM comunicar o fato mas fui aconselhada a ñ fazer isso pois seria minha palavra contra a do sargento( e ainda mais que o mesmo estava acompanhado de outro policial), ou seja , eu sem testemunhas contra os dois policiais; queria dizer que pago meus impostos e o salário desses policiais, fui educada em todo momento e ñ merecia ser tratada assim, e nem a denúncia pude fazer porque ainda poderia ser processada por calúnia!! Vou mandar um e-mail de indignação p/ o presidente Lula, p/ o governador e uma nota no jornal da cidade sobre como os cidadãos de respeito são tratados pela polícia, e nem podemos reclamar pois podemos ser processados!