quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Isso que e pais de 1º Mundo!

Presos deixam bilhete antes de fugir da cadeia nos EUA

“Você é um verdadeiro camarada. Boas festas!” foi a mensagem deixada pelos fugitivos. Jose Espinosa, de 20 anos, e Otis Blunt, de 32, estão sendo procurados pela polícia.


Foto mostra o bilhete deixado por dois fugitivos da cadeia de Union County, em Nova Jersey, nos Estados Unidos. A mensagem “Obrigado pelas ferramentas necessárias. Você é um verdadeiro camarada. Boas festas!” foi presa a uma válvula por Jose Espinosa, de 20 anos, e Otis Blunt, de 32, no último sábado (15). Aparentemente, eles retiraram blocos de concreto das paredes, pularam um telhado e escalaram uma cerca de metal para escapar. Segundo a mídia local, a polícia oferece recompensa de US$ 5 mil por pistas dos bandidos.

Fonte: G1

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Mulher confessa crime à polícia por engano em SC

Ela ligou para o celular de um comparsa e contou como havia escondido drogas de policiais. Mulher foi presa em flagrante, mas alega que droga pertencia à filha.

Uma mulher de 54 anos foi presa na terça-feira (11), em Palhoça (SC), depois de contar a um policial, por engano, como havia escondido drogas de policiais que estiveram em sua residência para realizar buscas. Segundo a Polícia Civil, a mulher ligou para o celular de um comparsa, preso momentos antes, contando que havia conseguido "salvar" pacotes de maconha e cocaína da inspeção policial. A suspeita não reconheceu a voz do policial. Ainda de acordo com a polícia, ela disse que escondeu a droga em sua roupa íntima.

Investigação

A casa da mulher havia sido visitada por policiais em uma operação em que foram detidas outras oito pessoas por envolvimento com tráfico de drogas. O grupo foi investigado durante dois meses. Segundo o delegado da Polícia Civil Alessandro Isoppo, em depoimento, a mulher disse que a droga pertencia à sua filha, de 15 anos, que teria envolvimento com o tráfico. A mãe foi presa em flagrante.

Fonte: G1

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Padre Lancelloti pede arrEgo para a PM...

Estranho , acabei de ver nos noticíarios que o padre Julio Lancelotti, está com proteção policial, pois está com medo de ser morto por um ex-interno da FEBEM, que ele tanto ajudou até começar a ser chantageado.

Puxa, mas não era o padre Lancelotti que sempre defendia os direitos dos bandidos, achava todos bonzinhos e que a policia é que era ruim?

Não era o padre Lancelotti que ia as rebeliões da FEBEM e se postava diante dos portões para que a tropa de choque não entrasse?

Não era o padre Lancelotti, aquela figura inconfundível, que bradava contra os maus tratos , segundo ele, dados aos infratores da FEBEM?
Não era o padre Lancelotti que gritava ser a Sociedade ,a grande vilã na vida do bandido? E cada gota de sangue derramada por um vagabundo, era culpa da sociedade? E que a sociedade dos honestos é que levava o bandido ao crime?

Não era isso e muito mais, que o padre Lancelotti dizia?
Então, porque proteção policial? Proteção da mesma policia que ele tanto criticou e até atrapalhou? Por que o padre está com medo?

Pois é padre, vou usar de suas próprias palavras:-

É só dar amor e carinho para os bandidinhos que querem matá-lo!

Deixe a policia para proteger a nós, as reais vítimas dos safados que o padre sempre defendeu! Só se o padre Lancelotti estiver com medo da sua cria, dos seus amados bandidos, mas acho que não pois ele era tão convicto!!!!!!

Mas como diz o velho ditado, quando a água bate na bunda...

Bem-vindo, padre, bem-vindo para o lado dos assustados, dos acuados, dos amedrontados, dos encurralados, que somos nós, vítimas dos vagabundos que o padre tanto amou.* (PELO JEITO, LITERALMENTE)

Bem-vindo padre, bem-vindo!!!

E parabéns por ter proteção policial.
Quem dera se todos nós pudéssemos tê-la!

O senhor tem mais é que beber do seu próprio veneno, pois quem criou e deu asas as cobras, foi o Sr.

Fonte: Lia

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Cliente é baleado em assalto a banco

Homem foi atingido no tórax quando assaltantes fugiam levando malotes.

Uma pessoa foi baleada no início da tarde de ontem durante um assalto a uma agência bancária na região central de Uberlândia. Dois criminosos entraram no estabelecimento, posicionaram-se nos pontos onde o sistema de câmeras não capta as imagens e praticaram o roubo. Eles renderam um vigilante e um funcionário quando ele saía na porta de acesso aos caixas eletrônicos, numa área restrita aos empregados. Na fuga, os criminosos trocaram tiros com o vigilante e acertaram um cliente no abdômen. Os bandidos roubaram dois malotes do banco, um com R$ 14 mil e o outro com R$ 37 mil.

O cliente Valmir Alves foi baleado no tórax e teve os rins e o intestino perfurados. Levado para o Pronto-socorro do Hospital de Clínicas da UFU, Valmir passou por uma cirurgia que durou quase cinco horas. Informações da assessoria de comunicação da UFU são de que o quadro clínico do paciente é estável e ele permanecerá internado em observação.

A assessoria do Banco Real não quis comentar o caso. Em nota, afirma apenas que “lamenta profundamente o ocorrido e informa que oferecerá toda a assistência necessária à vítima e sua família”.

O assalto aconteceu pouco depois das 13h na agência localizada na avenida Afonso Pena, uma das mais movimentadas da cidade. Os dois criminosos estavam armados de pistola e revólver. Os homens são morenos e um deles usava uniforme de frentista. O segundo estava todo de preto. Os dois fugiram em uma moto, depois abandonada na esquina das ruas Santos Dumont com avenida João Pinheiro, a quatro quarteirões do banco.

Uma testemunha que estava no cruzamento contou que viu os dois homens com o malote e capacetes na mão. Eles, ainda segundo a testemunha, estavam bastante nervosos, conversavam alto e gesticulavam muito. Abandonaram a moto e entraram em um Monza azul estacionado na Santos Dumont. Os dois entraram pela porta de trás enquanto um terceiro homem de cor clara com camisa cavada entrou no lado do passageiro. Eles fugiram pela rua Olegário Maciel. A testemunha anotou a placa do veículo e repassou o dado para a polícia. Pelo menos um dos assaltantes já foi reconhecido pela testemunha.

As investigações da polícia continuam para tentar identificar os acusados e efetuar a prisão deles. De acordo com o delegado regional Élvio Bertoni, as investigações foram estendidas para mais duas cidades da região. O delegado confirmou que o dinheiro pertence ao banco. No início, cogitou-se que os malotes pertenciam ao cliente. Foi feito bloqueio em todas as saídas de Uberlândia, mas até o início da noite de ontem não havia pistas dos assaltantes.

Fonte: Jornal Correio

Policial civil é vítima de seqüestro-relâmpago no Rio

Marcos Barpe de Almeida vinha de Teresópolis para a capital quando foi rendido.Ele se perdeu no Caju e foi resgatado por policiais do porta-mala do próprio carro.

O policial civil Marcos Barpe de Almeida, de 30 anos, vinha de Teresópolis, na Região Serrana do Rio, para a Tijuca, na Zona Norte da capital, quando se perdeu e foi seqüestrado na madrugada desta terça-feira (27). Ele vinha visitar uma amiga e, depois de ter se perdido, foi parar no Caju, na Zona Portuária. Marcos resolveu, então, parar num bar para descansar da viagem e pedir informações. Foi quando os criminosos renderam o policial e o levaram. Avisada por moradores do local, a polícia perseguiu o carro com um veículo à paisana, que conseguiu resgatar o policial. Marcos foi encontrado no porta-malas do próprio carro. Houve troca de tiros, mas ninguém ficou ferido. Os criminosos conseguiram fugir.

Fonte: G1

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

ATENÇÃO POLICIAIS DE SÃO PAULO / CONVERSÃO EM PECUNIA DA LICENÇA PREMIO

Segurança Pública
GABINETE DO SECRETÁRIO
Resolução Conjunta SGP/SSP -1, de 13-11-2007
.
Os Secretários de Gestão Pública e da Segurança Pública, em razão da edição dos Decretos nº. 52.031, de 3-8-2007 e nº. 52.121, de 31-8-2007, que disciplinam a aplicação do artigo 4º A da Lei Complementar nº 857, de 20-5-1999, com a redação dada pela Lei Complementar nº 989, de 17-1-2006, que dispõe sobre o gozo de licença-prêmio no âmbito da Administração Direta e Indireta e de outros Poderes do Estado, resolvem:

Artigo 1º – Para fins de deferimento do pedido de conversão de uma parcela de 30 dias do bloco de licença-prêmio em pecúnia, no período de 1 (um) ano imediatamente anterior à data do requerimento, para os policiais civis, considera-se:
I- assiduidade – a freqüência regular, não admitidas as faltas justificadas e injustificadas; e
II- sanção disciplinar - pena de suspensão.

Artigo 2º - Aplica-se o disposto no caput do artigo 1º desta resolução aos policiais militares, considerando-se:
I- assiduidade – a freqüência regular, não admitidas as faltas ao serviço que importem no desconto de vencimentos, configuradas como ausência ilegal; e
II- sanção disciplinar - a pena de detenção prevista no inciso IV do artigo 14 da Lei Complementar nº 893, de 9 de março de 2001.

Artigo 3º - O requerimento de conversão de licença-prêmio em pecúnia deverá ser efetuado em formulário próprio, nos termos do Anexo que integra esta resolução.

Artigo 4º - Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. (Lia SP/SP)

Policial é morto após assalto na zona norte de SP

O policial militar Rogério Almeida de Araújo foi morto na madrugada desta quarta-feira após reagir a um assalto na avenida Nossa Senhora do Ó, no bairro do Limão, zona norte de São Paulo.
Afastado por licença médica há cerca de dois anos, depois de perder dois dedos da mão em um acidente, o PM foi abordado por dois homens em uma motocicleta. Ao sacar a arma, o soldado teria sido atingido por vários disparos dos assaltantes.
O soldado foi socorrido ainda com vida e levado ao pronto-socorro do Hospital de Vila Nova Cachoeirinha, também na zona norte, mas não resistiu aos ferimentos. A moto foi roubada. (Lia SP/SP)

Três PMs, cabo e capitão do exército são mortos no Rio

PEDRO DANTAS E CLARISSA THOMÉ - Agencia Estado

RIO - Quatro policiais militares e um capitão do Exército morreram entre a noite de ontem e a manhã de hoje no Rio. Três deles foram executados no bairro de Campo Grande, zona oeste do Rio, em uma emboscada que resultou em mais de 50 disparos contra os PMs. O chefe do Estado Maior da Polícia Militar, coronel Samuel Dionísio disse "que a morte causa comoção, mas o envolvimento dos PMs com o tráfico de drogas deve ser investigado".

A Polícia Civil também investigará o envolvimento dos mortos com a máfia de transportes alternativos e de caça-níqueis. Já o cabo do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Adonay Cavalcante Xavier, morreu após ser baleado com seis tiros em uma tentativa de assalto na Tijuca, bairro da zona norte do Rio. Ele chegou a ser internado no Hospital Central da Polícia Militar, mas morreu na madrugada de hoje.

Em Deodoro, na zona oeste, o capitão de Infantaria do Exército, Vander Cerqueira de Souza, foi assassinado na frente de sua mulher, grávida de sete meses, Claudia Valéria de Souza, e de seu filho de um ano e três meses, na noite de ontem em uma falsa blitz feita por bandidos naquele bairro. O corpo de um homem, provavelmente um dos bandidos, também foi encontrado no local da troca de tiros. A mulher do capitão também foi baleada, na perna, e foi para o Hospital Central do Exército (HCE), mas recebeu alta essa manhã. (Lia SP/SP)

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Assassinos de PM do Bope foram gravados por câmera

Batalhão faz operação no Morro do Turano em busca do suspeito.
Outros três PMs e um oficial do Exército foram mortos.

A morte do cabo Adonai Cavalcanti Xavier, 36 anos, foi gravada nas proximidades do local de onde ocorreu o crime. As imagens mostram dois assaltantes se aproximando do carro do policial pouco antes de ele estacionar na Tijuca, Zona Norte do Rio. Ele ainda tentou se defender, mas foi morto a tiros.
O Celta prata da namorada do policial, que estava com ele, foi roubado pela dupla. A Polícia Civil tenta conseguir imagens que mostrem os suspeitos frontalmente. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) faz uma operação no morro do Turano, na Tijuca para tentar localizar os criminosos.

De acordo com o Bope, Xavier trabalhava na sala de operações do batalhão. Ele morava com os pais próximo ao local onde foi morto.

Fonte: G1

domingo, 18 de novembro de 2007

Malandragem também tem perna curta...

Você pensa que tira a maior Onda quando exibe fotos ousadas no Orkut?



Melhor pensar de novo...



Fonte: Orkut...

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

PM PRENDE TRÊS ACUSADOS DE SEQUESTRO EM SÃO PAULO

PAULO R. ZULINO - Agencia Estado

SÃO PAULO - A Polícia Militar de São Paulo prendeu três acusados de seqüestro que mantinham um motorista em cárcere privado desde ontem, na zona sul da cidade. De acordo com o Centro de Operações da PM (Copom), a prisão aconteceu na madrugada de hoje, por volta das 2h, nas proximidades da favela Paraisópolis, a segunda maior da capital paulista. As primeiras informações dão conta de que a vítima teria sido seqüestrada ontem pela manhã, no Jardim Monte Kemel, e levada para a região da favela. Em circunstâncias ainda não divulgadas, a vítima conseguiu escapar do cativeiro e chamou a Polícia Militar. Com base nos dados passados pelo motorista, os soldados acabaram encontrando e prendendo os três acusados. Com eles, foi apreendida uma arma.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Teste físico será obstáculo para mulher entrar no Bope


Concurso feminino ainda precisa ser aprovado pelo Estado-Maior da PM. Além de prova física, candidatas farão testes psicológico e de habilidade específica.

O maior obstáculo que as mulheres terão para ingressar no Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope) será o teste físico. Mais do que passar nas provas de habilidade específica e psicológica, elas terão de mostrar um condicionamento físico excepcional e estarem aptas para o combate. Segundo o comandante do Bope, o tenente-coronel Pinheiro Neto, os professores de Educação Física da unidade estão preparando um programa específico para avaliar o esforço feminino, no concurso. E as candidatas a uma das possíveis 30 vagas do curso de ações táticas já poderão a começar a aprimorar seu condicionamento a partir da próxima semana.


“O Bope vai lançar em seu site, um programa de condicionamento físico. Trata-se um programa de utilidade pública voltado para a comunidade, aberto a qualquer pessoa que queira estar em plena forma. As futuras candidatas já poderão começar a treinar por ali, pois elas terão de se apresentar em excelentes condições. O concurso será uma competição que vai exigir que elas estejam acima da média”, informou o comandante.

Inspiração no Exército israelense

Que ninguém se iluda: os testes para o ingresso de mulheres na tropa de elite da Polícia Militar fluminense serão rigorosos. Segundo Pinheiro Neto, ele é baseado no trabalho de preparação de soldados que o Exército israelense realiza há cerca de 60 anos, em áreas de conflito como a Faixa de Gaza. “Eles têm um trabalho muito bom com mulheres atuando em operações táticas, no resgate de reféns, como negociadoras e também no combate em campo. As mulheres têm uma incrível capacidade técnica, administrativa e operacional. Só precisamos que elas se adeqüem à nossa linguagem”, disse o tenente-coronel. O projeto para o ingresso de mulheres no Bope ainda precisa ser aprovado pelo Estado Maior da PM. Mas as candidatas ao curso de ações táticas – que prepara os policiais para o combate – já estão de prontidão. De acordo com o comandante, é significativo o número de e-mails de mulheres interessadas. “Estamos recebendo muitas mensagens. Há inclusive uma capitã que nos procurou para começar a treinar. As mulheres demonstram interesse e o Bope está animado com a perspectiva de ter mulheres no efetivo, que gira em torno de 400 policiais”, disse animado o oficial, que aguarda a aprovação do projeto para início de 2008. Se aceito, o concurso será realizado em meados do segundo semestre do ano que vem. O curso de ações táticas tem duração de cinco semanas. Entre as provas, as candidatas terão de subir numa corda vertical, transportar carga, fazer marcha acelerada com o todo o equipamento de segurança – armas, colete e munição - além de flexões, abdominais e corridas, entre outros testes de habilidade específica e psicológico.
Bope tem uma mulher

Única presença feminina do Bope há sete anos, a sargento Ana, que trabalha à paisana, na área administrativa do quartel, não pretende se inscrever para o concurso. Mas espera ter em breve companhia feminina no trabalho. Com 11 anos de Polícia Militar e 40 anos de idade, ela conta não ter mais condições físicas de combater nas ruas. “Quando entrei para a PM, ingressei no Batalhão de Choque. Durante cinco anos, trabalhei no combate, nas ruas. Mas sofri uma fratura na perna, que calcificou de forma errada e tive de passar para o setor de administrativo. Até hoje sinto dores quando fico muito tempo de pé. Vai ser bom ter outras mulheres por aqui”, disse a sargento.
Fonte: G1

Bope, a tropa de elite da Polícia Militar, se rende às mulheres pela primeira vez desde os anos 70


RIO - Em 2008, o apelido "homens de preto", que os policiais do Bope carregam desde os anos 70, vai virar passado. Pela primeira vez em sua história, a disputada tropa de elite da Polícia Militar vai aceitar mulheres, além de realizar mudanças na cor da tradicional farda negra dos "caveiras", como se denominam.
A primeira turma de batom do Bope está prevista para estrear somente no segundo semestre do ano que vem. Mas, segundo o comandante do batalhão, tenente-coronel Pinheiro Neto, já há até fila de espera. Apesar de garantir que não haverá diferenças no treinamento e nas funções exercidas por homens e mulheres, o comandante admitiu que essa primeira turma será uma espécie de laboratório para as "aspiras" (apelido dos integrantes do Bope) de saias. Curso específico
- Sem dúvida, vai ser um laboratório para ver o grau de adaptação delas. Primeiro, vai ter um curso específico para que as voluntárias passem a falar a nossa linguagem, mas o currículo do treinamento vai ser o mesmo dos homens - disse Pinheiro Neto, que contratou uma equipe de profissionais de educação física para adaptar as provas de seleção às características do corpo feminino.
As primeiras mulheres a ingressar no Bope já não vão usar a roupa preta que tanto orgulhava o Capitão Nascimento (personagem do filme "Tropa de Elite", de José Padilha. A Sessão de Doutrina e Pesquisa do Bope já está estudando as características das novas fardas que os homens do batalhão usarão nas incursões em favelas do Rio.
- Eles estão avaliando qual o melhor padrão de cor, ou de camuflagem, se for o caso, e o tipo de tecido - disse Pinheiro Neto.


Fonte: O Globo

Carta a ONU

"Rio de Janeiro, em 11 de novembro de 2007.

Ilmo Sr Philip Alston.

DD Relator Especial da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre execuções arbitrárias, sumárias ou extra-judiciais.
Como cidadão brasileiro e morador da cidade do Rio de Janeiro, gostaria de externar minha perplexidade e preocupação diante do êxito das táticas aparentemente aplicadas pela administração Sérgio Cabral para desviar o foco das discussões ora vigentes acerca da 'política de segurança' empregada no estado.
Ao promover a polarização das atividades de direitos humanos e da polícia, ela encobre, no mínimo, duas coisas: a sua própria responsabilidade (accountability - não falo de culpa) pelas sucessivas e recorrentes mortes de policiais e de inocentes (também não estou sequer mencionando os supostos criminosos) e a possibilidade de que a visita do relator pudesse se prestar ao carreamento de denúncias pela própria polícia contra a administração Cabral.
Imagino o que deve ter passado por sua mente ao receber, em detrimento de pauta de denúncias e reivindicações, a réplica de um blindado.
Embora não esteja certo de que terá acesso às presentes linhas, gostaria de pleitear o carreamento à Organização das Nações Unidas de alguns poucos, porém significativos, fatos do cotidiano das forças policiais do RJ e cuja responsabilidade não é dos criminosos, mas sim, da própria administração Sérgio Cabral.
Há discrepância significativa no que concerne à remuneração e jornada de trabalho imposta aos integrantes das polícias civil e militar, tendo estes condições ainda mais desfavoráveis do que aqueles. Há hipóteses ordinárias em que policiais militares chegam a ter jornada semanal superior a 70 (setenta) horas e tal fato tende a agravamento quando da realização de grandes eventos, diante de seu emprego mesmo durante o que seria período de recomposição fisiológica. Quanto à remuneração, o topo da Polícia Civil chega a receber mais de que 1500 % do que a base da Polícia Militar, que ostenta os piores salários do Brasil.
A manutenção das Unidades de Polícia Militar é feita com a mesma parcela do erário destinada à alimentação de seus homens e mulheres, ou seja, com a "economia de rancho". Não há dotação orçamentária específica.
O estado do RJ é devedor do sistema de saúde da Polícia Militar em mais de US$ 50.000.000,00, concorrendo de maneira significativa para a debilidade do atendimento à crescente demanda.
Um soldado de polícia militar em início de carreira recebe do estado do RJ como paga mensal por seus serviços pouco mais de US$450,00. Recentemente, o simples e democrático intento de realização de passeata de protesto contra os baixos salários foi rechaçada - com êxito - pelo governo Sérgio Cabral com a possibilidade de imposição de sanções disciplinares aqueles que dela tomassem partido.
Apesar de seu grande efetivo e de sua abrangência territorial, os serviços prestados pelos policiais militares são limitados pela necessidade de preservação de status quo da classe policial de delegados de polícia, não sendo franqueada aos mesmos pelo governo Sérgio Cabral sequer a possibilidade de condução direta à justiça das demandas criminais de menor potencial ofensivo. Não por acaso, a perícia criminal, fundamental à elucidação de delitos, também é mantida sob tutela dos delegados de polícia.
As taxas de elucidação de delitos pela Polícia Civil, embora existentes, são mantidas sob absoluto sigilo. Na única oportunidade em que foram divulgadas, eram próximas de zero.
As atividades investigativas da Polícia Civil são cada vez mais revestidas de ostensividade e é usual a concessão de seguidas entrevistas por investigadores sobre casos que sequer lograram encaminhamento definitivo ao Ministério Público. Investigadores de verdade deveriam utilizar coletes com inscrições e veículos caracterizados com o nome 'POLÍCIA'?
A Polícia Militar também é cada vez mais afastada de seu mister principal; a prevenção/dissuasão da delinqüência e a disseminação de sensação de segurança dá lugar ao emprego eminentemente bélico, em ações de natureza militar e sob a concepção simplória de 'guerra contra o crime'.
Paradoxalmente, a criminalidade de pequena monta, e.g., jogo do bicho, permanece, mesmo a despeito das reconhecidas ligações que tem com práticas lesivas outras, imersa na mais flagrante impunidade. Os delitos e as infrações de trânsito também se apresentam cada vez mais freqüentes e, não por coincidência, olvidados pela polícia.
Alheio às suas responsabilidades em relação às condições de trabalho e mesmo à vitimização de seus policiais e civis, o governo do estado restringe sua falação ao impactante e recorrente discurso do 'combate ao crime' e mais inocentes são vitimados, inclusive, dentre os próprios operadores finais da 'política de segurança' do RJ.
Em síntese bastante apertada, estes são alguns dos pontos dos quais emerge a verdadeira espiral da violência na qual se inserem - e da qual são vítimas - os organismos policiais do estado do RJ.
Respeitosamente,

"WANDERBY BRAGA DE MEDEIROS"

Fonte: Via E-mail

domingo, 11 de novembro de 2007

POLICIAIS...HERÓIS E HOMENS !!!

UMA PEQUENA HOMENAGEM AO POLICIAL...

QUE, EMBORA MUITOS ACREDITEM QUE BROTARAM

DO NADA... SÃO FILHO... PAIS... MARIDOS... MAS

PRINCIPALMENTE SERES HUMANOS!!!!!!!

video

LIA - SP/SP

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Operação Sentinela: Treinamento mobilizou mais de 300 militares

Garantia da lei e da ordem. Este foi o objetivo do treinamento realizado, de 6 horas do dia 6 às 12 horas de 8 de novembro, por mais de 300 militares do 11º Batalhão de Infantaria de Montanha (BIMth) Regimento Tiradentes, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, em São João del-Rei e Santa Cruz de Minas, com o apoio de policiais civis, representantes do Conselho Tutelar e do Judiciário, além de viaturas e uma aeronave do Exército. A “Operação Sentinela” alcançou os resultados esperados. Proteção de algumas instalações públicas essenciais (postos de abastecimento da cidade, telefonia, energia elétrica e redes de transmissões), controle do trânsito, patrulhamento ostensivo a pé e motorizado pela tropa armada, bloqueio de vias urbanas e estradas federais e estaduais, blitz nas ruas e segurança física aos três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário). Estas foram as ações realizadas pelos militares. Segundo o comandante do 11º BIMth-Regimento Tiradentes, coronel Henrique Martins Nolasco Sobrinho, a intenção foi manter os militares em condições de serem empregados no reforço de policiamento nas áreas em que há a necessidade do emprego de força federal, tendo em vista a insuficiência de meios da Polícia Militar para garantir a lei e a ordem. “O objetivo da operação foi alcançado com sucesso. O emprego do Exército na manutenção da lei e da ordem está previsto no art. 142 da Constituição Federal. Esta é uma de nossas vertentes. Como o País tem sediado muitos eventos internacionais, preparando-se, inclusive, para a Copa em 2014, já estamos, também, treinando de forma a garantir a manutenção da segurança pública, inclusive nesses casos”, adiantou.

Uma ocorrência

A única ocorrência registrada, através da “Operação Sentinela”, foi o crime de desobediência cometido por Francisco Ferreira Silva, 25 anos. Por volta das 10h40min do dia 6 de novembro, à Rua Ministro Gabriel Passos, bairro Porto Real, em Santa Cruz de Minas, ao serem solicitados os seus documentos e de sua motocicleta, segundo a ocorrência policial, o rapaz se recusou a acatar as ordens legais, passando, posteriormente, a chutar seu próprio veículo, uma Suzuki placa HOG-4135, cor preta. Diante disso, ele foi imobilizado e preso em flagrante delito

Mais treinamentos

O exercício militar treinou, ainda, de 6 a 8 de novembro, o efetivo das cidades de Juiz de Fora e Belo Horizonte, também pertencentes ao Comando Militar do Leste do Exército Brasileiro. O novo comando deverá ser acionado para reforçar o policiamento nas áreas em que haja necessidade de emprego de força federal. E o 11BIMth-Regimento Tiradentes estará, no final deste mês de novembro, em Resende (RJ), treinando sua tropa para o caso de ser acionada com relação à defesa externa do País.

Veja mais fotos aqui...

Fonte: Folha das Vertentes

Não bastasse ser ladrão, tinha que ser burro.


Erro de ortografia ajuda polícia a prender oito suspeitos de assalto à Protege


Eles fingiam ser entregadores de cesta de Natal, mas estavam armados com fuzis.

Um erro de ortografia ajudou a polícia a prender oito suspeitos do assalto à base da empresa de segurança Protege, ocorrido em 11 de setembro, e ao carro-forte da Transbank no estacionamento do Carrefour Morumbi, em agosto. Em uma nova ação, os homens pretendiam se passar por entregadores de cestas de Natal para invadir um prédio de luxo. Para isso, clonaram o veículo de um conhecido estabelecimento comercial especializado em alta gastronomia.

Adesivo

Mas em vez de "Empório", eles escreveram "Impório" no adesivo de um veículo Fiat Dobló. Policiais civis que estavam de campana prenderam o grupo em frente a um condomínio de luxo na Zona Oeste de São Paulo. De acordo com a polícia, os homens pretendiam entrar como entregadores de cesta e assaltar os moradores dos apartamentos. A polícia apreendeu dois fuzis, uma metralhadora e duas pistolas, além de ferramentas para arrombamento de cofres, dois coletes à prova de bala, camisetas similares às da Polícia Federal, seis rádios comunicadores, lanterna giroflex, e oito celulares. A Polícia Civil monitorava os suspeitos desde o planejamento do assalto, em um bar do Jardim Santo Antônio, na Zona Sul de São Paulo. O dono do estabelecimento foi preso. Policiais apreenderam 19 comprimidos de ecstasy e uma porção de cocaína, além de um revólver calibre 38.
Fonte: G1

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Criminosos cercam cabine e matam dois PMs a tiros no Rio

Dois policiais militares foram mortos a tiros na manhã desta quinta-feira no complexo do Andaraí, zona norte do Rio. Eles estavam em uma cabine da corporação no morro quando foram surpreendidos e baleados.

Segundo a PM (Polícia Militar), os criminosos que participaram do ataque estavam divididos em dois grupos e surpreenderam os policiais logo após a troca de turno. Apesar de a cabine ser blindada, um dos PMs estava do lado externo no momento do crime. O outro estaria dentro da unidade, mas com a porta aberta.

Morreram o cabo Leonardo Peterson de Freitas, 28, que estava na corporação desde 1998 e trabalhava na cabine onde ocorreu o crime havia cinco anos; e o terceiro-sargento Marco Aurélio Alves Oliveira, 39, que estava na corporação desde 1987. Um dos policiais chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Após o crime, os PMs iniciaram uma operação no morro em busca de suspeitos.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Garoto vai para delegacia após passar trote na polícia


11h16-Um menino de 11 anos, morador da quadra 202 da Asa Sul, foi parar na delegacia nesta terça-feira após passar trote para o número 190 da Polícia Militar. O garoto disse à polícia que um homem estaria assaltando os moradores de um apartamento no bloco onde mora. De acordo com a informação passada ao Centro Integrado de Atendimento e Despacho (Ciade), as vítimas estariam trancadas no apartamento e o porteiro não estaria respondendo.

Quando chegou ao local, a polícia constatou que se tratava de um trote e rastreou o número do telefone. Identificado, o garoto foi levado para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA). O proprietário do apartamento em que, de acordo o jovem, o crime estaria acontecendo, também foi à delegacia prestar queixa.

Segundo o Ciade, esse tipo de trote é comum. A polícia alerta para o prejuízo que pode causar à sociedade, já que um crime real pode deixar de ser atendido enquanto a polícia averigua um fictício.

A polícia militar diz que está agindo para diminuir o número de trotes. Em setembro, uma mulher foi presa em Ceilândia depois de fazer mais de cem ligações para os números 190 e 193 numa única noite. Ela foi autuada no artigo 266 do Código Penal Brasileiro, que trata da perturbação ou interrupção de serviço telefônico. Se condenada, pode pegar pena de um a três anos de prisão.

Fonte: Do CorreioWeb

domingo, 4 de novembro de 2007

TIMÃO

DESCONTRAINDO

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Vigia mata investigador em banco na Zona Leste


SÃO PAULO - Uma discussão na porta da agência da Caixa Econômica Federal da Rua Américo Salvador Novelli 427, em Itaquera, Zona Leste, por causa do travamento da porta giratória, levou o vigilante Jackson Alves da Silva, de 25 anos, a matar, com três tiros, o investigador de polícia Robson Elias, de 43 anos. O crime aconteceu no fim da manhã de quinta-feira, no saguão do banco. Uma das balas também atingiu no peito o cliente Fernando Augusto Abreu Viana, de 22 anos. O policial, que integrava a equipe de investigação do 32º Distrito Policial (Itaquera), chegou a ser levado ao Pronto Socorro da região, mas morreu enquanto era submetido a cirurgia. Viana foi operado e permanece internado, em estado gravíssimo, no Hospital Santa Marcelina. O vigilante se entregou. Testemunhas contaram, em depoimento à polícia, que o investigador tentou entrar armado no banco, mas a porta giratória travou. Ele teria feito sinal para o vigilante abrir, mas Silva se recusou. Os dois então passaram a discutir.

A casa caiu

Ainda segundo as testemunhas, Elias teria dito:
- Se eu fosse ladrão, a casa já tinha caído.
Ninguém soube informar, porém, se o investigador havia se identificado como policial ou exibido a carteira funcional. Assustado, Silva sacou a arma e atirou. O investigador foi atingindo por dois tiros no peito e outro na mão direita. O cliente Fernando Viana, que estava próximo ao caixa eletrônico, foi atingido por bala perdida, perto do coração.
Testemunhas contaram que o banco estava lotado quando os tiros foram disparados. Apavoradas, as pessoas começaram a gritar e a se jogar no chão. O pânico foi geral.
No momento da gritaria, a dona-de-casa Maria Margarida da Silva, de 65 anos, preocupou-se com a filha, grávida de quatro meses, que estava na fila.
- Enquanto fiquei sentada próximo ao balcão de atendimento, ela foi retirar o dinheiro no caixa preferencial. Meu medo era de que tivesse ido ao banheiro, porque ficava bem próximo ao saguão. Só consegui me acalmar quando a vi - lembra a dona-de-casa.
Segundo Margarida, a filha ficou bastante nervosa e começou a sentir dores na barriga.
- Ela já perdeu um filho uma vez e só espero que, agora, não aconteça nada.
No momento da confusão, o vigilante deixou a agência antes da chegada da polícia, mas logo depois apresentou-se em uma cabine da PM, na esquina das avenidas Itaquera e Tomazo Ferrara, e foi preso.
O investigador Elias trabalhava havia cerca de um ano no 32º DP (Itaquera). Ele era casado e tinha filhos.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Secretário nacional de segurança entrega 41 pistolas não-letais à Polícia Militar de Goiás

Brasília - As forças de segurança de Goiás receberam novas armas com tecnologia não-letal para atuar em locais de aglomeração de pessoas, como saídas de eventos esportivos, rebeliões em presídios e outros tipos de operação em áreas de risco.

O secretário nacional de Segurança Pública, Antônio Carlos Biscaia, entregou hoje (31), em cerimônia na sede do Batalhão de Choque da Polícia Militar, em Goiânia, 41 pistolas de contenção. O evento contou com a presença do governador em exercício, Ademir Menezes.

Com a entrega, a Polícia Militar de Goiás passa a ser a primeira do país a contar com esse tipo de armamento, que dá um choque de baixa intensidade e provoca imediata perda do controle neuromuscular debilitando a pessoa, temporariamente, sem provocar a morte. O risco de ferimentos é mínimo.

Para o secretário de Segurança Pública de Goiás, Ernesto Roller, a nova arma aumenta a mobilidade de ação policial, vantagem para garantir a ordem sem violência. "Esse instrumento colocado à disposição da polícia goiana vai nos permitir o enfrentamento de situações especiais com resultado positivo para a sociedade, evitando-se a morte de pessoas", disse Ernesto Roller.

O secretário nacional de Segurança Pública disse que o uso de arma com tecnologia de choque se dá num momento em que a atuação da polícia é amplamente discutida pela sociedade.

"A utilização desse tipo de armamento não significa que as armas convencionais não serão usadas, já que os dois tipos vão atuar em conjunto", afirmou Biscaia.


Fonte: Agência Brasil

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Operação do Bope na Favela da Rocinha

Operação do Bope na Favela da Rocinha deixa mais de duas mil crianças sem aula
Publicada em 31/10/2007 às 15h58m
O Globo e O Globo Online

RIO - Cerca de 2.400 alunos ficaram sem aula por causa do fechamento de três colégios municipais na Favela da Rocinha, na manhã desta quarta-feira, durante uma operação de aproximadamente 100 policiais do 23º BPM (Leblon) e do Batalhão de Operações Especiais Policiais (Bope). Ficaram fechadas as escolas Bento Rubião e Abelardo Barbosa Chacrinha, localizadas na parte alta do morro, e a Paula de Brito, que fica perto do Túnel Zuzu Angel. Um homem, identificado como Adriano de Campos Chagas, de 29 anos, foi baleado na coxa e levado para o Hospital Miguel Couto. Adriano teria sido atingido por uma bala perdida. ( Veja fotos da operação )
Pelo menos sete carros e cinco motocicletas foram apreendidos na operação. Ainda não há informações sobre armas e drogas apreendidas. A ação começou às 6h. Enquanto um grupo de policiais entrou na favela pela Rua Ápia e pela Rua do Valão, outro grupo fez um cerco na Estrada da Gávea, parando carros e motos, para evitar que traficantes fugissem.
Em agosto, em uma megaoperação para localizar um paiol de armas e drogas na Favela da Rocinha, o inspetor Sérgio Luiz de Albuquerque, lotado na 12ª DP (Leme), foi preso, acusado de passar informações privilegiadas para traficantes de drogas. Escutas telefônicas identificaram o policial e o vazamento que comprometeu a operação. No fim do mesmo mês, em outra operação, a polícia encontrou uma refinaria com capacidade de produzir até 500 quilos de droga por mês . No dia 21 de outubro, o traficante Joca, acusado de chefiar o tráfico na favela, foi preso em Fortaleza . O bandido teria fugido dois meses antes da Rocinha com R$ 2,5 milhões.

Polícia prende idosa por tráfico de drogas no Rio

Quarta, 31 de outubro de 2007, 16h29 Atualizada às 16h59

Polícia prende idosa por tráfico de drogas no Rio
Por volta das 13h desta quarta-feira, policiais federais lotados na Representação Regional da Interpol no Rio de Janeiro prenderam Luiza Markuschewski Stylita, 63 anos, no centro do Rio. Ela era procurada desde 1999, época em que teve expedido mandado de prisão por tráfico de entorpecentes.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Capitão Nascimento, Chuck Norris, Jack Bauer

Imagine uma luta sem limites. Um ringue, um árbitro numa armadura (para não se machucar), nenhuma regra, e quatro machos bem machos, daqueles que não têm medo do escuro, o escuro é que tem medo deles. Vale tudo, só as regras é quem não valeriam. O último a cair seria o vencedor!

Capitão Nascimento - especialista em combate com qualquer tipo de arma, especialmente perdigotos. Quando ele berra "Você é moleque! Mo-le-que! Pede para sair!", 115% dos membros do pelotão dele pedem primeiro uma toalha para secar o rosto, e depois pedem para sair.

Chuck Norris - aquele que já contou até o infinito (duas vezes!), que consegue dividir por zero, que joga roleta russa com uma arma inteiramente carregada - e ganha, que fala de si mesmo na quarta pessoa do singular etc. etc. etc.

Jack Bauer - Bom antes de qualquer coisa: é o pai daquela gracinha da Kim Bauer. É invencível, incorruptível e já morreu e ressuscitou duas vezes. Além disso, dirige de carro em São Paulo e não pega trânsito. Impressionante!

Fonte: UOL

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Vovó do Pó!

Mulher de 76 anos é presa por tráfico de drogas

Uma mulher de 76 anos foi presa em flagrante por tráfico de drogas na quarta-feira (24), em Juiz de Fora (MG). Foram localizadas dez pedras de crack e sete porções de maconha com a mulher. Um usuário de drogas indicou à polícia o local onde os entorpecentes eram comercializados pela idosa. Ele tinha acabado de comprar drogas, quando foi abordado por uma equipe da Polícia Militar (PM), que realizava uma ronda pela região. A mulher foi localizada pelos policiais militares. Ela afirmou já ter cumprido 13 anos de pena pelo mesmo tipo de crime.

Fonte: G1

Treinamento com munição real mobiliza CPE

BH - Uma ocorrência com reféns. Um local de conflito. Os policiais militares chegam por terra, em viaturas, e pelo ar, na aeronave Pégasus. Eles precisam atravessar uma área que está sob fogo cruzado. Atiradores de elite posicionados. A tropa especializada tenta negociar. Helicóptero, viaturas, muita tensão. Esgotadas todas as possibilidades de negociação, os militares invadem o prédio abandonado para imobilizar e prender os envolvidos no crime.

Esta situação crítica poderia ser real, mas a cena faz parte de um treinamento que será feito nesta quinta-feira, dia 25, às 8h30, no antigo prédio de uma fábrica, em Nova Lima, depois do bairro Jardim Canadá. As táticas e técnicas de ação serão praticadas por 32 militares da 4ª Companhia de Missões Especiais, que usarão munição real. A Companhia integra o Comando de Policiamento Especializado – CPE, comandado pelo Coronel Sandro Teatini. De acordo com o oficial, o objetivo é fazer a manutenção das táticas policiais. Todos os militares têm em média 18 anos de PM com atuação em missões especiais

Fonte: PMMG

Dentista é forçado a operar assaltante com canivete

Cirurgião de Indaiatuba retirou bala de revólver do pescoço de um criminoso.
Durante operação, ele foi ameaçado de morte.

Um dentista de Indaiatuba, a 102 km de São Paulo, foi levado por assaltantes e obrigado a fazer uma cirurgia para retirada de uma bala de revólver de um homem, integrante do grupo criminoso, utilizando apenas um canivete. A operação foi realizada na madrugada de terça-feira (23) num barraco no bairro Campo Belo, periferia de Campinas, a 95 km da Capital. Após a cirurgia improvisada, o cirurgião foi libertado e procurou a Polícia Civil para registrar o caso. Segundo depoimento à polícia, o dentista foi surpreendido na rodovia que liga Vinhedo ao Aeroporto Internacional de Viracopos. Ele contou que viajava em baixa velocidade por causa das lombadas e percebeu que três homens tentavam assaltar um caminhão à sua frente.

De acordo com o dentista, o trio desistiu do assalto e o dominou. Ele foi levado para um barraco no Campo Belo e mantido preso, enquanto os pelo menos dois homens saíram com seu cartão de banco e senha.

Tiro no pescoço

Os assaltantes, porém, voltaram minutos depois com mais dois homens, um deles ferido à bala no pescoço. Durante toda a cirurgia, o dentista usou um canivete e ainda foi ameaçado de morte pelos bandidos, caso o comparsa morresse.

Após a cirurgia, o dentista foi libertado. Ninguém foi preso.

Fonte: G1

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Eu sabia que já tinha visto o Capitão Nascimento em um Filme!



Fonte: Kibeloco

Só para descontrair.


Tenha dó né, o Timão estava desfalcado!


Fonte: Lia

Nada de Regalias!

Oficial-médico da PM acusado de pedofilia vai para presídio militar

O tenente-coronel, médico da Polícia Militar de Alagoas, Eduardo José Botelho Trigueiros deverá ser recolhido na tarde de hoje ao presídio militar, localizado no bairro do Trapiche da Barra, onde deverá cumprir 6 anos e oito meses em regime semi-aberto, por crime de atentado violento ao pudor, em que foi vítima uma enteada sua de apenas 10 anos, crime este praticado em 11 de maio de l999.

A determinação para a prisão do militar deve chegar na tarde de hoje ao comando geral da PM, conforme assegurou há poucos instantes o juiz da vara de execução penal Marcelo Tadeu.

Agora o oficial PM deve ser submetido ao inquérito policial militar pela Corregedoria, que deverá reunir o conselho para o julgamento pelos atos praticados pelo militar. A vítima foi a menor M.M.R.L., que na época em que foi abusada pelo militar, seu padrasto, tinha apenas 10 anos.

Cansada das insistências do militar, a menor procurou a avó que relatou o fato, o que culminou 8 anos depois com a prisão do militar que deverá acontecer na tarde de hoje, conforme informou o magistrado.

Fonte: Alagoas em tempo real

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Bombeiros, policiais civis e militares podem ficar isentos de pagar IPVA

RIO - Bombeiros, policiais civis e militares poderão receber isenção de Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Os estudos foram pedidos pelo governador Sérgio Cabral, na última quinta-feira. Segundo o presidente do Detran, Antônio Francisco Neto, a idéia é beneficiar os praças já em 2008, no caso da PM e dos Bombeiros. Tudo vai depender dos cálculos que serão feitos. As patentes mais altas ficariam de fora.

Além disso, a partir de 15 de novembro, cerca de dois mil policiais de batalhões da Zona Sul e da Barra passarão a viajar de graça nos ônibus, de casa para o quartel e vice-versa. Trata-se de mais um benefício indireto, dentro de um pacote estudado pela PM, que está sendo concedido aos policiais, categoria que mantém salários com altos índices de defasagem em relação à inflação dos últimos anos. Segundo fontes da PM, o benefício será estendido, por etapas, ao restante da corporação.

Com relação à isenção de IPVA, o presidente do Detran vai sugerir que quem tiver mais de 20 pontos perdidos na carteira de motorista não tenha direito ao benefício. Ele vai se reunir nesta segunda-feira com o deputado estadual Wagner Montes (PDT) para discutir o assunto. Montes é autor de uma indicação legislativa, feita no meio do ano, que previa o benefício.

- A intenção é beneficiar até subtenentes - disse Montes.

Segundo Neto, os oficiais da PM e dos Bombeiros devem ficar de fora porque a idéia é beneficiar aqueles, das duas corporações, que ganham menos.

- Na reunião, o governador prometeu anunciar, no próximo dia 9 de novembro, a isenção da taxa de exame médico, no valor hoje de R$ 42, para a renovação da carteira de habilitação de PMs e bombeiros ativos e inativos - disse o deputado.

Fonte: O Globo

Bope entre ficção e realidade

Filme virou febre nacional antes mesmo de ser lançado oficialmente e levou “homens de preto” ao imaginário popular.

De um lado, no cinema, a ficção retratada no filme Tropa de Elite virou febre nacional, antes mesmo do longa ser lançado oficialmente. Do outro, nas ruas de Maceió, a realidade do enfrentamento entre a polícia e servidores públicos estaduais em greve, esta semana, colocou o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) na boca do povo, com comentários contra e a favor.
De uma forma ou de outra, nunca se falou tanto nos tais “homens de preto”, que entraram no imaginário popular, onde realidade e ficção se misturam e se confundem em cenas protagonizadas pela Tropa de Elite da Polícia Militar.

Treinamento leva policial ao limite

Os policiais que se candidatam ao treinamento do Bope passam por situações extremas de desgaste físico e emocional. Nem todos conseguem chegar até o fim. Na segunda-feira passada, uma turma de 40 alunos de várias unidades militares, inclusive do Exército, entre eles duas mulheres, iniciou um estágio de nivelamento em operações especiais (Enoe) no Bope de Alagoas. “Somos sempre procurados por outras unidades para esse fim”, diz o major Jairisson Correia, subcomandante da tropa, explicando, no entanto, que o Bope não é uma unidade de ensino, mas instituiu os estágios para maior instrução e preparação dos policiais.

Batalhão é último recurso

Seja pelo respeito, pela admiração ou pela vontade de integrar a Tropa de Elite, quem quer entrar no Bope tem que ter, em princípio, voluntariedade. “Quem vem, sabe que as missões são difíceis, que o treinamento é pesado. Tem que ter muita vontade”, lembra o major Jairisson Correia, subcomandante da tropa. Esse requisito é o impulso do outro, que seria um mínimo de aptidão física, para evoluir ao máximo.
A soldada Edilene Bandeira Pimentel agüentou firme, com a força da vontade.

Fonte: Gazetaweb

A história do homem que criou o Bope e hoje prega a paz

O coronel Amendola, caveira número 1: "Sempre acreditei que as guerras passam e fiz o meu trabalho sem tratar ninguém como inimigo"

Durante uma ação policial no Morro da Mangueira, no início dos anos 80, o então chefe de operações do 4º Batalhão da PM passou a ser visto com desconfiança por alguns colegas de farda, por uma atitude absolutamente inusitada naquela época, em pleno regime militar. O major deu ordem de prisão a um cabo que participava da operação porque o subordinado estalara a mão no rosto de um dos presos, um traficante pé de chinelo. Um desses tapas na cara que o capitão Nascimento costuma dar em seus presos, no filme "Tropa de Elite". Como sempre, o major agiu com discrição e não divulgou a prisão do cabo.

Na década seguinte, o mesmo major, agora coronel reformado da PM, se tornava o primeiro comandante da Guarda Municipal do Rio, criada em 1993 na gestão do prefeito César Maia, sob protestos de grupos de direitos humanos porque seu nome constava como agente da repressão política segundo denúncia do Projeto Brasil Nunca Mais, o dossiê da Arquidiocese de São Paulo sobre o terrorismo de estado pós-64 com base em relatos de presos políticos feitos na Justiça militar. Amado por uns e odiado por outros, dos dois lados do balcão, ele é o coronel Paulo César Amendola, de 63 anos, homem que criou o agora polêmico Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), a tropa de elite da PM (foto abaixo), que está no centro da discussão sobre polícia por causa do filme (veja aqui no Globo Online o chat em vídeo sobre o filme, promovido pelo blog ) e que em 19 de janeiro completa 30 anos de vida e mortes.
Caveira número 1 – uma distinção criada depois que saiu da tropa de elite em 1982 - Amendola era major quando criou a semente do Bope, o Núcleo da Companhia de Operações Especiais (Nucoe), em 19 de janeiro de 1978. Idealizou também o símbolo do grupo: um crânio com um punhal encravado de cima para baixo ("vitória sobre a morte") e duas pistolas cruzadas - o que o colocou na mira do movimento de direitos humanos, pela primeira vez.
Para criar o Bope - que hoje faz escola e é reproduzido em vários estados brasileiros - Amendola se inspirou no seriado americano "Swat" (foto à direita abaixo), acrônimo em inglês para Armas e táticas especiais. A idéia teve respaldo do governo porque em 1974 a PM falhou no resgate de um major, feito refém e morto numa rebelião de presos no Rio. O major Darcy Bittencourt foi promovido a coronel após a morte. Ele era o diretor do Instituto Penal Evaristo de Moraes, o Galpão da Quinta. Nesse mesmo presídio eu debutei como repórter investigativo, em 1981, ao descobrir que policiais militares espancavam presos por seis dias seguidos após a fuga do assaltante de bancos conhecido como Peruano, que resultou na morte de um policial militar.

NA LINHA DE FRENTE DO CHOQUE

Filho de um capitão do Exército, que o queria na força, Amendola tem o gen de combatente mas buscou seu próprio caminho. Aos 20 anos de idade, ingressou como oficial nas fileiras da Polícia Militar em 30 de novembro de 1964, apenas oito meses após o golpe que reforçou a militarização de todo o aparelho policial. Em 1968, aos 24 anos, Amendola estava na linha de frente do temido Batalhão de Choque, a arma do regime para reprimir as manifestações de estudantes.

- Todo movimento deixa uma parte contente e outra descontente - teoriza Amendola.

Para ir às batalhas campais do Centro do Rio, ele embarcava nos veículos conhecidos como "espinha de peixe", dividido por duas fileiras de bancos de madeira com uma haste no meio para os policiais não caírem e já desembarcarem prontos para o confronto.
Como tenente do Choque, ele jogou muita bomba de gás lacrimogêneo para conter protestos civis. O batalhão já usava dois tipos de caveirão, um blindado que na época era chamado de Brucutu, que lançava jatos de água nos manifestantes, e outro conhecido como Paladino (na foto acima). Nos anos 60, as polícias e Forças Armadas tinham táticas e equipamentos especiais para o que classficam de Controle de Distúrbios Civis (CDC).
"O CAPITÃO NASCIMENTO É UM DESEQUILIBRADO"

Apesar do passado de força bruta, o oficial reformado da PM garante se identificar apenas com a honestidade e a notoriedade alcançada pelo capitão Nascimento, o anti-herói de "Tropa de Elite" (foto acima).

- O capitão Nascimento é um desequilbrado emocional - diz Amendola que gostou do filme, mas o achou "um pouco fantasioso". Ele confessa que o cansaço o impediu de manter os olhos abertos o tempo todo, apesar da ação e do barulho dos tiros. "Eu dormi um pouco, mas vou ver de novo", disse. Para quem enfrentou na vida real cenas semelhantes a de um filme policial, deve ser um pouco chato, sim. Prova de que a ficção é entediante diante da realidade. Em comum com Nascimento, Amendola tem fama de bom instrutor. Deu aula de explosivos até para as Forças Especiais, a tropa de elite do Exército. O prefeito Cesar Maia afiança a capacidade de liderança de seu ex-comandado em 1993.

- Amendola era sobretudo um qualificador de homens para a ação. Transformava um garoto tímido num policial destemido e preparado para momentos críticos - testemunha o prefeito. homem que criou o Bope está agora escrevendo suas memórias com um livro provisoriamente intitulado de "Operações Especiais - a verdadeira história".

- Não quero criticar nenhuma obra mas o pessoal exagera um pouco - diz Amendola.

Ele garante que não tem nada do que se envergonhar em 30 anos de serviços prestados à polícia (ele se reformou em 1994, um ano depois de fundar a Guarda Municipal). "Sou incorruptível", afirma. oje é um pacato cidadão que anda desarmado (“pra que usar pistolas se os bandidos estão armados de fuzis?”) e cumprimenta velhinhas nas ruas do Rio Comprido, por onde passa a caminho de um restaurante a quilo do bairro. No mesmo bairro dirige a segurança de uma grande universidade do Rio, onde chegou para apagar um incêndio - uma bala perdida deixou uma aluna tetraplégica. o trato com a imprensa, apesar de divergências entre ambos, sempre foi um gentleman. Mas já foi tão Bruce Willis em “Duro de Matar” que a idéia de criar uma tropa de operações especiais na PM surgiu enquanto passava sete meses internado num hospital após um grave acidente de automóvel, que acabou lhe custando dois centímetros da perna direita. Saiu do hospital e, três anos depois, em 1981 ainda teve disposição física para acabar com o tiroteio que durou dez horas, entre 400 policiais e um bandido da extinta Falange Vermelha, o mais longo da história do Rio e talvez do Brasil. O bandido era o assaltante de bancos José Jorge Saldanha, o Bigode, encurralado no conjunto habitacional dos bancários, na Ilha do Governador. O episódio é relatado pelo repórter Jorge Martins, que hoje cobre o plantão da madrugada no GLOBO, no livro “Cinqüenta anos de crimes” (Editora Record), mas à época Amendola conseguiu mais uma vez escapar dos holofotes. - Eu nunca quis que o nosso grupo de operações especiais saísse como herói em nenhum episódio porque essa visibilidade muitas vezes atrapalha o trabalho policial – afirma Amendola. oje não esconde o orgulho de ter liquidado a “fatura” no confronto dos 400 contra um, como os velhos bandidos se orgulharam muito tempo de chamar o confronto no conjunto dos bancários, como registra o livro "Quatrocentos contra um", de William, o professor, um dos fundadores da maior facção do crime no Rio.

O BATISMO DE FOGO DA SEMENTE DO NUCOE

Amendola larga a deliciosa torta de maçã para relembrar o tiroteio mais longo do Rio:

- Quando cheguei ao local do tiroteio, havia policial para tudo que é lado, mas nenhum plano. Chamei os delegados Luis Mariano e Borges Fortes (já falecidos) e pedi para traçar um plano de ataque, que foi ensaiado ali mesmo num prédio vizinho. Desrespeitei uma regra em ações táticas que determina que o chefe fique na retaguarda. Eu fui na frente com o objetivo de lançar uma granada dentro do apartamento onde estavam os bandidos. Ninguém conseguia se aproximar porque os bandidos atiravam nas paredes de gesso e haviam matado três policiais. Eu fui me arrastando pelo chão com o meu segundo na cobertura, com uma metralhadora. Contei o tempo para que a granada explodisse no momento exato para que eu pudesse entrar logo em seguida, sem que os bandidos reagissem. Só não contava que houvesse uma geladeira deitada no meio da sala, como uma barricada. Bati com a cabeça protegida por capacete, mas meu companheiro entrou atirando por cima de mim. Quando tivemos certeza de que os dois homens estavam mortos, ergui uma camiseta branca como havia combinado, mas os policiais no cerco não entenderam e mandaram fogo. Tive que saltar novamente para me proteger. Desci do prédio e então avisei que o tiroteio tinha terminado. oi o batismo do Núcleo da Companhia de Operações Especiais (Nucoe). Naquele mesmo ano agitado pela criminalidade no Rio, o Nucoe foi testado e aprovado ao sufocar uma rebelião de presos com reféns no Complexo penitenciário da Frei Caneca.

NO DOSSIÊ CONTRA A TORTURA

Mas a história do Nucoe começa quase uma década antes, em 4 de julho de 1969, com a criação do primeiro grupo de elite oficial da polícia do Rio, o Grupo de Operações Especiais (Goesp), na gestão do então secretário de Segurança, o general Luís França de Oliveira, um ano depois do recrudescimento do golpe, com o AI-5. Nesse mesmo grupo, em 1972, ele foi o primeiro policial brasileiro a desativar uma carta-bomba ao Brasil, com o destino do consulado israelense no Rio. Remetente: o grupo terrorista Setembro Negro, que nasceu com o ataque aos atletas nas olimpíadas de Munique. Amendola lembra que os serviços de inteligência brasileiros haviam recebido a informação de que cartas-bombas seriam enviadas ao país, em protesto também contra a ditadura militar. Um equipamento de raios X detectou o explosivo nos Correios, que à época era dirigido por um comandante da Marinha, ligado ao Cenimar, o Centro de Informações da Marinha, hoje CIM (Centro de Inteligência da Marinha). grupo especializado em explosivos do Goesp mais tarde deu origem ao Esquadrão Anti-Bomba, que hoje é subordinado ao Core (Coordenadoria de Recursos Especiais), a tropa de elite da Polícia Civil. om apenas cinco anos de polícia, Amendola foi chamado para integrar o Goesp liderado pelo detetive-inspetor José Paulo Boneschi, já falecido, que dia desses foi homenageado pela Polícia Civil, mas seu nome consta na lista dos 444 torturadores, no dossiê Brasil Nunca Mais, como torturador de presos políticos. Amendola jura que nunca viu Boneschi torturar alguém, mas admite que ele era um defensor dos ideais do regime militar de 64.

- No combate à insurreição contra o regime militar, havia idealistas de ambos os lados – relembra Amendola, que admite ter sido um combatente do Goesp, que era formado por homens das polícias civil, militar, bombeiros e do Salvamar.

A estrutura do Goesp era semelhante a dos famigerados Doi-Codi (Destacamento de Operação de Informações- Centro de Operações de Defesa Interna), que eram formados por homens das forças armadas (com exceção da Marinha) e das polícias, criados em 1970 para enfrentar a luta armada e que viraram centros de tortura de presos políticos. Amendola consta num dossiê feito pelo grupo Tortura Nunca Mais com base no projeto Brasil Nunca Mais, mas não há qualquer denúncia concreta de tortura e sim de atividade no combate à "subversão armada".

Policial forjado nos anos de ditadura, Amendol admite que participou de operações de cerco e combate, mas rejeita qualquer acusação de que tenha torturado quem quer que seja, nem mesmo presos comuns. Um de seus livros de consulta hoje é "Direitos Humanos, coisa de polícia", de Ricardo Balestreri. Não dá para dizer que Amendola virou ardoroso defensor dos direitos humanos, mas não há contra ele denúncias de violações desses direitos. Apresenta um semblante tranqüilo quando fala do passado e de sua atividade policial.

- Sempre acreditei que as guerras passam e fiz o meu trabalho sem tratar ninguém como inimigo – observa, dentro de sua ética policial militar.

Fonte: O Globo

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Oficiais da PM do Rio usam blogs como 'metralhadoras giratórias'

Desautorizado pelo governador, corregedor da PM usa internet para expor suas idéias. Reações provocam mal-estar na cúpula da segurança pública estadual.

Depois de sugerir que o diretor de ‘Tropa de Elite’, José Padilha, ignorasse uma intimação feita na quinta-feira (11) pelo corregedor interno da PM, coronel Paulo Ricardo Paúl, para que explicasse a participação de oficiais da PM no filme, o governador Sérgio Cabral se esquivou da polêmica. A situação causou mal-estar entre o governo do estado e a Polícia Militar. O assunto começou a circular pelos corredores dos batalhões e chegou a ser comentado nos blogs de alguns oficiais na internet. Para evitar a exoneração de um de seus mais importantes homens de confiança, o comandante-geral da PM coronel Ubiratan Angelo agiu rápido e procurou o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, que garantiu a permanência de Paúl, pelo menos por enquanto. Com a folha disciplinar de todos os integrantes da corporação investigados em seus arquivos, Paúl, que está no Rio Grande do Sul participando do 1º Encontro Nacional de Corregedorias Militares Estaduais, é o aliado mais próximo do comandante-geral. Padilha e o ex-capitão do Bope Rodrigo Pimentel, roteirista do filme, acabaram se apresentando à responsável pelo inquérito, tenente-coronel Ana Cláudia Siciliano.

Críticas à política de segurança pública

Dono de um blog próprio, que propõe ser “um espaço democrático para discussão sobre o resgate da cidadania da Polícia Militar”, Paúl também defende os manifestos feitos na internet pelo grupo denominado os Barbonos, que teria sido criado em 2005.Os primeiros a defender as idéias no blog Barbonos foram os coronéis Gilson Pitta Lopes e Hildebrando Esteves. O espaço reproduz comentários, em geral anônimos, com críticas contundentes à política de segurança adotada pelo governo.

Em seus artigos, Paúl nega qualquer pretensão política e diz que é “um coronel da PM que já declarou publicamente, em alto e bom tom que não quer ser comandante-geral e nem chefe do Estado Maior. Não deixo qualquer dúvida de que abdiquei definitivamente de exercer esses cargos ao participar ativamente das mobilizações éticas pelo resgate da cidadania do policial militar. Um cidadão que também já declarou que não tem qualquer pretensão política”. No dia 6 de outubro, ele apresentou “Uma nova proposta para a segurança pública” destinada ao Rio de Janeiro, “onde a situação do descontrole da criminalidade é grave”. Um dos itens critica as grandes operações realizadas nas favelas sem o devido planejamento e investigação.

“Há muito tempo já passou a hora de encerrarmos as verdadeiras operações de guerra que são realizadas constantemente nessas comunidades pela Polícia Militar e pela Polícia Civil e às vezes por ambas, simultaneamente, ceifando vidas de todos os lados e contribuindo para a sensação de insegurança expressa pelo fenômeno das balas perdidas, disparadas por armas de guerra, de longo alcance, os fuzis”.

A Corregedoria da PM e a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática da Polícia Civil garantem, no entanto, que investigam os comentários feitos nos blogs sobre a corporação. Também seria objeto de investigação o Projeto 200 Anos, espaço de denúncias mantido por vários coronéis. O outro movimento que começa a ganhar destaque na internet é o “Os 40 da Evaristo”, numa referência ao número de policiais que participaram da primeira reunião do grupo e ao endereço atual do QG da PM do Rio, a rua Evaristo da Veiga, na Cinelândia, Centro do Rio.

"Os 40 da Evaristo"

No dia 9 de outubro, representantes desses dois grupos se reuniram no auditório da Academia de Polícia Militar, numa clara pressão por mudanças na política de segurança do governo estadual.

Em um outro encontro, realizado no mês anterior, eles apresentaram os resultados das discussões no site: “1) Decidimos ratificar que a nossa principal reivindicação é a equiparação salarial com a Polícia Civil, na base e no topo das carreiras. 2) Foi constatada a total indignação por parte dos oficiais e praças presentes com relação ao filme “Tropa de Elite”, sendo manifestado apoio integral à ação judicial impetrada por oficiais do Bope contra a exibição do filme nos cinemas brasileiros.”

O tenente-coronel Mário Sérgio de Brito Duarte, ex-comandante do Bope e atual Superintendente de Planejamento Operacional da Secretaria de Segurança, que liderou o movimento contra o filme “Tropa de Elite”, é autor do livro “Incursionando no Inferno - A Verdade da Tropa”, e foi o primeiro oficial a lançar um blog com o tema, o “Segurança Pública: Idéias, Ações”, em março do ano passado. Seu blog reuniu elogios, pelo tratamento dado ao Bope em seu livro, exaltando a corporação. No mesmo espaço, publicou vários comentários contra o “Elite da Tropa”, de Luiz Eduardo Soares, Rodrigo Pimentel e André Batista, sobre o livro com o mesmo tema que deu origem ao filme. Além dos coronéis, pelo menos um major, um tenente e um capitão lançaram blogs. Todos eles têm um ponto em comum: abordam assuntos ligados à segurança, mas também há reclamações sobre os baixos salários e as condições precárias de trabalho. O comandante-geral da PM, coronel Ubiratan Angelo, foi procurado, através de sua assessoria, mas não respondeu às perguntas feitas desde terça-feira (16), por e-mail.

Fonte: G1

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Tava navegando por ai quando me deparei com esse banner...



Fonte: Resistindo

Corregedoria Investiga Policial que diz saber de Rolex de Luciano Huck

A Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo investiga um policial que teve sua carta publicada no Painel do Leitor da Folha de S.Paulo, no dia 2, dizendo saber onde está o relógio Rolex roubado do apresentador Luciano Huck
e que não o recuperaria pois ganha pouco para trocar tiros com criminosos.

Em sua carta, o investigador Roger Franchini, do 36º DP, no Paraíso (zona sul), diz que os policiais que combatem o crime "sabemos onde está o Rolex roubado do Luciano Huck". Ele afirma que não irá procurar o relógio pois
recebe um salário-base de R$ 568,29.

Segundo o delegado-corregedor Francisco Campos, Franchini terá de se explicar.

"Se ele sabe onde está o Rolex do Huck, deveria apreender o material ou comunicar seus superiores onde ele está."

Huck conta no artigo que poderia ter morrido no assalto.

Franchini também critica o governador José Serra (PSDB) por manter a polícia paulista na "miséria há 14 anos" e afirma que, para sustentar a família, faz "bico" --o que é proibido. "Ele denegriu a imagem da sua instituição", disse Campos.

O policial prestou depoimento e admitiu ter escrito a carta. Se punido, pode ser advertido, suspenso ou demitido. O policial não quis se pronunciar.

Veja a íntegra da carta do policial Franchini

"Os policiais que estão na linha de frente do combate ao crime (todos os que não são delegados ou oficiais da PM), sabemos onde está o 'rolex roubado' do Luciano Huck --metáfora para o graal da segurança pública brasileira. Mas não vou trocar tiro com bandidos recebendo um salário base de R$ 568,29 ao mês (e agora sem o tícket alimentação de R$ 80,00 que nos foi retirado em
agosto de 2007).

"Prefiro correr risco no bico para sustentar meus filhos. Se Huck não está feliz conosco, pode entrar para o movimento CANSEI e cobrar do governador Serra o motivo do PSDB ter tanta raiva da policia paulista e mantê-la na miséria há 14 anos. Eu queria fazer minha inscrição lá, mas será que aceitam um policial sem dinheiro?

"EITA CABRA BÃO SÔ! (ELE, PUNIDO??? É RUIM HEIN)"

Fonte: Eliana Grossi

Delegado e toda a sua família são encontrados mortos em Cotia

Cotia - SP: Policial, sua mulher e filhos de 13 e 23 anos foram baleados na chácara onde moravam. Ao lado dos corpos foram localizadas balas e armas: pistola 45 e revólver 38.

O delegado Nelson Neves de Oliveira, de 47 anos, sua mulher e dois filhos do casal, um menino de 13 anos e uma jovem de 23 anos, foram encontrados mortos em uma chácara no bairro Caucaia do Alto, na região de Cotia, Grande São Paulo, na noite desta terça-feira (16). As polícias Civil e Militar (PM) e a Guarda Civil da cidade ainda investigam as circunstâncias do crime. Os corpos do delegado, de Marily Batista Pessoa de Oliveira, de 49 anos, do adolescente Nelson Deric de Oliveira e da jovem Nadine Luise Neves foram encontrados por uma equipe da Guarda Civil de Cotia. Todos foram baleados no interior do imóvel onde moravam, localizado na Estrada dos Neves.

Sem contato

A polícia foi chamada depois que parentes preocupados com a falta de contato com a família, pediram ajuda para entrar na residência. Um irmão do delegado, que também mora no mesmo bairro, disse que ouviu tiros na noite de segunda-feira (15) e não conseguiu mais falar com a família. Segundo os guardas civis que encontraram os corpos, a casa estava com as luzes acesas e os carros estacionados na garagem. Porém, ninguém respondia aos chamados. Os agentes tiveram de quebrar uma janela dos fundos para entrar no imóvel.

Balas e armas

Toda a família estava em um quarto da casa: o delegado e a mulher sobre a cama do casal; o garoto e a jovem numa cama de solteiro e em um colchonete. Eles foram mortos com tiros no peito e na cabeça. Ao lado das vítimas foram encontradas balas e duas armas: uma pistola calibre 45, de uso da Polícia Civil, e um revólver 38, de propriedade de Nelson Neves. Os especialistas da Polícia Técnico-Científica analisam o caso. Não há sinais de arrombamento no imóvel, tampouco evidências da presença de outras pessoas na chácara. De acordo com a Polícia Militar (PM) de Cotia, o delegado encontrado morto era titular da Divisão de Homicídios da Delegacia Seccional de São Bernardo do Campo. Ele trabalhava no ABC paulista havia sete anos.

Fonte: G1

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Tá virando bagunça...

Fardas policiais são vendidas livremente no ES.

Gerente de loja acredita na necessidade de uma norma para regularizar a venda. Em Vitória, homem foi preso com carteira falsa da Polícia Civil.

Fardas e acessórios policiais chegam com facilidade às mãos de criminosos no Espírito Santo. São vendidos em lojas e até pela internet sem qualquer tipo de controle. Não há sequer uma legislação para essse tipo de comércio.

Por conta disso, cresce o número de crimes cometidos por pessoas que usam uniformes de policiais ou militares.

A oferta pisca para qualquer pessoa que navega pela internet. Fardas do Exército e uniformes da segurança pública podem ser comprados on-line de qualquer lugar do Brasil.

Não tem lei que proíba. É só entrar nas lojas. A farda preta, parecida com a de militares do Grupo de Operações Especiais, é vendida sem restrição, desde que não tenha emblemas da corporação.

Em outra loja de Vitória, em frente ao Batalhão da Polícia Militar, tem boinas, coturnos, capa de coletes, coldre para guardar armas, algemas e cassetete. Qualquer pessoa compra. "O que pode acontecer do lado de fora da loja não é da responsabilidade da empresa", diz a venderora.

Flagrante

Na Grande Vitória, neste mês, um homem foi preso com uma carteira falsa da Polícia Civil. Ele andava em um carro com adesivo da associação de investigadores. Tinha até um sinalizador, que pode ser comprado sem problema em uma loja de conveniência, em um posto de gasolina.

Basta encaixar o sinalizador no isqueiro do carro para que a luz acenda. Foi assim que o falso investigador fez para rodar pela cidade como se estivesse em um carro de polícia. Houve mais prisões, como a de traficantes com uniformes completos da Polícia Militar.

“Eu tenho receio porque a gente nunca sabe o que ocorre: se ele está sendo coagido por alguma coisa ou se é um policial de verdade”, disse uma senhora.

“Em locais muito escuros, não dá para ter muita certeza se é policial ou se é bandido, no caso”, comentou um motorista.

Clientela

Até quem vende concorda. A gerente da loja Maruza de Paula Moraes, que tem como principais clientes as empresas de segurança, acredita que uma norma para regulamentar a situação não seria ruim.

“A gente não tem como diagnosticar quem entra aqui com boa intenção, quem realmente compra para trabalhar ou para praticar um assalto”, disse a gerente Maruza de Paula Moraes.

“Há essa necessidade de haver uma regulamentação federal, porque este não é um problema só que está sendo vivenciado pelas polícias estaduais”, afirmou o secretário de Segurança Pública do Espírito Santo, Rodney Miranda.

Fonte: G1

Policial morre em confronto na Cidade de Deus

Durante a operação da Polícia Militar na Cidade de Deus (zona oeste do Rio) na tarde desta segunda-feira, o cabo Willians Rodrigues, 35 anos, morreu depois de ser baleado no pescoço e na perna. Ele ainda foi levado ao hospital Lourenço Jorge, mas não resistiu aos ferimentos.

Um suposto traficante apelidado de Garé também morreu. De acordo com a Polícia Militar, ele seria o gerente do tráfico na Cidade de Deus. Ele faleceu no mesmo hospital. A polícia apreendeu uma metralhadora, três pistolas, duas 9mm e uma 380, e 600 papelotes de maconha.

Fonte: JC On Line

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Policiais participam de treinamento ambiental

Fiscalização e legislação ambiental foram os temas do treinamento dos policiais militares ambientais do 2º Pel Mamb de Barbacena, 3º Pel MAT de São João Del Rei e 4º Pel MAT de Conselheiro Lafaiete da 13ª Cia PM Ind MAT, ocorrido em Brumadinho (MG) de 1º a 5 de outubro. O treinamento foi ministrado pela Agenda Azul (IGAM), Marrom (FEAM) e DMAT (Diretoria de Meio Ambiente e Trânsito da PMMG).
O programa foi dividido em módulos, entre os quais destacam-se: “Decreto Estadual 44.309/06 e a Lei 9.605/98 e suas implicações no processo de fiscalização e infração”; “Arcabouço legal aplicado na fiscalização da Agenda Azul”; “Outorga de direito de uso de recursos hídricos (aspectos teóricos e práticos)”; “aspectos específicos no licenciamento ambiental”; “Poluição acidental”; “Processo administrativo e preenchimento de auto de infração”; “Estudo de casos”, além do desenvolvimento de trabalhos em grupos.

Dentro dessa perspectiva a coordenação do evento objetivou, assim como o Comando da 13ª Cia MAT, promover o aprimoramento técnico-profissional em torno da fiscalização dos empreendimentos que utilizam recursos hídricos, bem como aqueles potencialmente poluidores. Dentro desse contexto, a 13ª Cia MAT coloca à disposição da sociedade recursos humanos qualificados e preparados, visando à prevenção e à repressão dos crimes ambientais, bem como à proteção da biodiversidade e dos recursos naturais nos Campos das Vertentes, parte da Zona da Mata e da Zona Metalúrgica.

Fonte: Barbacena On Line

Polícia Militar Rodoviária realiza "Operação Padroeira - 2007"

O Comando de Policiamento Rodoviário da Polícia Militar do Estado de São Paulo, no período de 11 a 14 de outubro de 2007, reforçará o policiamento nos 24.000 Km de rodovias estaduais durante as comemorações do dia da Padroeira do Brasil, em trabalho integrado com o DER, DERSA, ARTESP e Concessionárias de rodovias, Órgãos da Secretaria dos Transportes.

No decorrer da Operação, cerca de 4.000 Policiais permanecerão em regime especial de trabalho, com redução de folgas e emprego do efetivo administrativo em apoio, de forma a garantir a tranqüilidade e a segurança nas rodovias do Estado.

Para tanto serão implementadas, além das ações de fiscalização de trânsito, também ações de polícia ostensiva na prevenção e repressão criminal, as quais serão levadas a efeito pelas equipes de motociclistas e do TOR - Tático Ostensivo Rodoviário.

Álcool X Trânsito:

Com o objetivo de reduzir o número de acidentes e de vítimas, os Policiais dispensarão atenção especial à fiscalização do consumo de bebidas alcoólicas (ou de substâncias de efeitos análogos). Essa fiscalização, para a qual houve treinamento específico com a participação da ABRAMET - Associação Brasileira de Medicina de Tráfego e da Secretaria de Estado da Saúde, será realizada tanto através da utilização de bafômetros quanto por meio da constatação técnica através do relatório de verificação previsto na legislação vigente.

A Polícia alerta que o motorista flagrado dirigindo sob a influência de álcool ou de qualquer substância entorpecente será penalizado com multa, retenção do veículo e suspensão do direito de dirigir, além de responder criminalmente pela sua conduta, dependendo das circunstâncias, com pena de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.

Recomendações:

Para uma viagem tranqüila e segura, a Polícia Militar Rodoviária recomenda cuidados especiais aos motoristas no caso de chuva, diante do que convém redobrar a atenção, diminuir a velocidade, utilizar o farol baixo, mantendo distância de segurança e evitando ultrapassagens.

Além disso os motoristas devem atentar para:

- o planejamento adequado da viagem, com a definição do itinerário, anotação de telefones de emergência e localização de pontos de apoio para eventuais paradas;

- a revisão das condições gerais do veículo antes de iniciar a viagem, com atenção especial aos equipamentos obrigatórios, sistema de iluminação e sinalização do veículo, combustível e documentação de porte obrigatório;

- o respeito à proibição da ingestão de bebidas alcoólicas ou de outras substâncias de efeitos análogos;

- a rigorosa observância das normas e da sinalização de trânsito, especialmente quanto a observância dos limites de velocidade e da proibição de ultrapassagens;

- que não iniciem ou prossigam a viagem cansados ou com sono;

- a utilização dos faróis baixos acesos também durante o dia.

Fonte: Canal Rio Claro

3.246 vagas para carreira militar

Aqueles que têm interesse de ingressar na carreira militar não podem perder os dois concursos públicos que estão em andamento.

São paulo - A Polícia Militar do Estado de São Paulo, por meio da Diretoria de Pessoal, anunciou a abertura das inscrições para o processo seletivo destinado ao Serviço Auxiliar Voluntário da Polícia Militar. São 2.906 postos disponíveis para ambos os sexos, oferecidos a candidatos de nível fundamental completo, com estatura mínima de 1,65 m (masculino) e 1,60 m (feminino). Os interessados concorrerão às vagas na área abrangida pelo CPC (Comando de Policiamento da Capital), na cidade de São Paulo; CPM (Comando de Policiamento Metropolitano), na região da Grande São Paulo e CPI (Comando de Policiamento do Interior).

Os candidatos devem se inscrever pela internet, entre os dias 22, 23 e 24 deste mês.O endereço eletrônico é www.nossacaixa.com.br.

Para outras informações, o interessado pode telefonar para o disque PM (0800-555-190)ou acessar os sites www.polmil.sp.gov.br/concursos e www.vunesp.com.br.

Rodoviária - O edital do concurso da Polícia Rodoviária Federal abre 340 vagas de Policial Rodoviário para os estados do Pará (190) e Mato Grosso (150), para cumprirem o plano de reestruturação e pavimentação da BR–163. As oportunidades estão abertas para homens e mulheres que possuem o nível médio completo e, ainda, Carteira Nacional de Habilitação na categoria B. O valor da remuneração inicial é de R$ 5.084.

As inscrições podem ser feitas pelo site www.nce.ufrj.br/concursos, entre o dia 15 deste mês, até 7 de novembro.

Fonte: Diário on Line

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Polícia troca tiros com criminosos e mata suspeito no centro de SP

Policiais militares e criminosos trocaram tiros na madrugada desta terça-feira na alameda Barão de Limeira, centro de São Paulo. Um suspeito morreu e outro foi preso. Um policial ficou ferido. O tiroteio ocorreu por volta das 2h, perto da rua Helvétia. Segundo a polícia, os criminosos ocupavam dois carros e reagiram à abordagem. Os policiais investigavam uma denúncia anônima que apontava quatro carros --dois Celtas e dois Astra- que estariam parados de forma suspeita na rua. O tenente Martinez, da 2.ª Cia do 13.º Batalhão, ao atender o chamado, avistou quatro carros parados e ao fazer a abordagem dos suspeitos foi recebido a tiros. Segundo o tenente, dois ocupantes de um Celta Prata, placa ANM 9259, de Curitiba, e três ocupantes do Astra branco, placa CZZ 1347, de São Paulo, desceram dos veículos com fuzis e pistolas e começaram a atirar contra a polícia. Na tentativa de fugir, o motorista do Celta prata colidiu na traseira de uma viatura.
Os tiros deixaram marcas em paredes de imóveis e assustaram moradores.
Um Astra com três criminosos conseguiu fugir e foi localizado, pouco depois, perto de um posto de gasolina nas proximidades da ponte da Casa Verde. Segundo uma testemunha, o veículo perseguido pela polícia foi alvejado nos pneus e os três ocupantes fugiram a pé, carregando fuzis. No veículo, os policiais encontraram um revólver, uma metralhadora e uma pistola.
O suspeito que morreu tem aproximadamente 30 anos e chegou a ser levado para a Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos. O policial ficou ferido na mão e seria submetido a uma cirurgia, de acordo com a Secretaria da Segurança.
Ainda de acordo com a polícia, o suspeito preso ainda não foi identificado porque estava sem documentos.
Às 8h, os carros envolvidos permaneciam na via, que foi interditada. A polícia ainda não informou se já tem a suspeita de qual seria o alvo dos criminosos.
Moradores. Após o tiroteio, os moradores encontraram várias cápsulas deflagradas no chão e nas portas de estabelecimentos comerciais. Um Celta azul, placa ALT 8949, estacionado na alameda Barão de Limeira também foi atingido pelos tiros.
O jornalista Alexandre Izzo, 36, mostrava na mão uma munição que teria atingido a parede de sua sala, no segundo andar de um edifico próximo ao local do tiroteio.
Eduardo Gama, 26, manobrista de um estacionamento, se considera um recém-nascido. Segundo Gama, que fez aniversário no dia primeiro de outubro, a madrugada de hoje é o seu segundo nascimento. Ele conta que, após sair o último mensalista, baixou as portas de aço do estacionamento e recostou o banco de passageiro da S10, placa DVB 6394, para cochilar. Segundos depois, Gama sentiu estilhaços do pára-brisa da S10 voarem contra ele. Assustado, saiu do veículo e foi em direção ao fundo do estacionamento, à procura do funcionário que vive no local que, também ao ouvir o barulho, vinha ao seu encontro para saber o que estava acontecendo. O projétil atravessou a porta de aço, uma caneca de plástico, um bebedouro e foi parar no pára-brisa da S10. Na confusão subiram ao escritório do estacionamento e presenciaram o tiroteio. Outro projétil atingiu o capô de um Gol vermelho, zero quilômetro.
"Senti um barulho como de marteladas na porta de aço. Metal com metal, muito alto. Pensei que estavam querendo invadir o estacionamento", afirma.

Fonte: Folha On Line