sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

PMSP - Polícia, vítima constante de trote

video



Fonte: Terra Vídeos

PMSP - PMs bilíngues auxiliam turistas no Réveillon da Paulista

Soldados da Polícia Militar de São Paulo servirão de intérpretes aos estrangeiros que não falam português na festa da Virada. Em quatro, eles circulam pela avenida Paulista com distintivos que mostram os respectivos idiomas que dominam. O serviço é voluntário e oferecido em grandes eventos como o Réveillon e o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1.

O soldado Rui Carlos Galdino, 35 anos, é fluente em inglês e russo. Um dos turistas que auxiliou uma vez era um indiano que havia sido furtado e falava apenas o seu idioma e um pouco de inglês. Na maioria das vezes, a ocorrência é de furto ou roubo e os intérpretes auxiliam em depoimentos.

O soldado Fabio Hideki Kurotaki, 31 anos, domina o idioma dos seus antepassados para dar informações a japoneses. Ele afirma que nunca precisou salvar os orientais de nenhuma situação extrema. "Japonês raramente se mete em roubada", disse.

O soldado Kurotaki usa seus conhecimentos em japonês para auxiliar turistas em São Paulo.


Fonte: Terra Notícias

Agente da Polícia Federal é preso após se envolver em acidente e discutir com PMs

Foto da Gazetaweb - Dulce Melo

Ele dirigia veiculo da PF e ainda troucou a placa do carro.

Depois de se envolver em uma colisão com dois veículos e discutir com policiais do Bptran, o agente da Polícia Federal José Lima da Costa, 52, foi preso e levado para a Central de Polícia.

O acidente aconteceu em um dos trechos da Rua Desembargador Valente de Lima, no bairro de Mangabeiras, orla de Maceió, quando o Roberto Lima da Costa, que dirigia uma picape Strada, KIB-1422/PE colidiu com uma Hillux, PHE-4525/AL e um Pólo, JKX-3141/PE, cujos motoristas solicitaram a presença da pericia do Detran.

Com a chegada, inicialmente do Batalhão de Transito da PM, foi notado que o agente federal demonstrava sinas de embriagues e que estava acompanhado de uma adolescente.

Sem querer fazer o teste do bafômetro, Roberto Lima Costa, conforme relato dos militares do Bptran se identificou como policial federal, sendo descoberto a partir daí que o veiculo que ele dirigia pertence a PF.

Segundo relato dos dois motoristas envolvidos no acidente, o policial ainda trocou a placa da picape por outra que segundo a polícia era fria.

Rio de Janeiro - Unidade de Polícia Pacificadora privilegia zona rica do Rio, dizem especialistas

A nova política de segurança pública do Estado prioriza a zona sul do Rio de Janeiro, região mais nobre da capital fluminense. Esta é a crítica que especialistas da área fizeram à reportagem do UOL Notícias sobre a ocupação da Polícia Militar para a implantação de mais uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), desta vez nas comunidades do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, em Copacabana e Ipanema, respectivamente.

Para a socióloga Alba Zaluar, coordenadora do Núcleo de Pesquisas e Estudo de Violências da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a segurança nas comunidades é importante, mas "é preciso saber qual o critério que a secretaria de Segurança Pública utiliza para escolher as comunidades a serem atendidas pelas UPPs. Estudos mostram que há outras regiões mais problemáticas e que precisam de mais segurança do que as favelas daquela região. As comunidades do subúrbio, da região central do Rio de Janeiro e do entorno da Tijuca [na zona norte] são exemplos. É preciso mapear as áreas e traçar ações mais estratégicas.", enfatizou.

A critica foi feita um dia depois que a Polícia Militar, Tropa de Choque e homens do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) ocuparam as favelas. Com o objetivo de expulsar traficantes, o efetivo permanecerá no local por mais vinte dias, prazo para a implantação da UPP naquela área.

Alba Zaluar concluiu que ainda é necessário buscar alternativas para o tráfico. "Os governos precisam realizar ações integradas nas áreas da saúde, educação, cultura e lazer nas comunidades.".

Julita Lemgruber, diretora do Centro de Estudos em Segurança Pública da Universidade Cândido Mendes, também criticou as ações do governo focadas na zona sul do Rio de Janeiro. "Espero que comunidades mais perigosas, carentes de segurança recebam as UPPs. As favelas da Maré e o Complexo do Alemão são exemplos. Elas reúnem muitos problemas e precisam da presença permanente da polícia pacificadora", disse.

O governador Sérgio Cabral anunciou também nesta terça-feira (1º), em entrevista à rádio CBN, que as próximas UPPs também serão destinadas à zona sul. "As comunidades Ladeira dos Tabajaras e Morro dos Cabritos, em Copacabana, serão as próximas beneficiadas", disse. "Em 2010 vamos levar UPPs para a Tijuca (zona norte) e Vila Leopoldina (região central)", completou.
O governo afirma que a nova UPP no Pavão Pavãozinho e Cantagalo beneficiará 11 mil moradores. Trezentos policiais militares que se formam este mês serão destinados à unidade e às duas próximas UPPs anunciadas.

A secretaria de Segurança Pública informou que priorizou as favelas menores do Rio de Janeiro, localizadas na zona zul, porque ainda não possui efetivo suficiente para atuar nas grandes comunidades, mas que até o final de 2010 três mil novos policiais militares serão formados e estarão trabalhando nas próximas UPPs. Os policiais receberão uma complementação salarial de, no mínimo, R$ 500, paga pela prefeitura carioca por meio de convênio.

"Essa proposta não vai parar. É um aceno concreto de que nos preparamos para fazer isso e vamos continuar fazendo. E teremos um grande número de pessoas beneficiadas até o final do ano que vem. Pretendemos chegar a 30% das comunidades, que sofrem hoje a lógica do território imposto pelo fuzil, livre dessa arma, livre do comando desses marginais", disse o secretário José Mariano Beltrame.

Atualmente, 10% da população carioca que vive em favelas é atendida pelas Unidades Policiais Pacificadoras.

Com a UPP de Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, sobe para sete o número de comunidades regidas pela nova política de segurança pública. Atualmente, Dona Marta (Botafogo, na zona sul), o Jardim Batan (Realengo, na zona oeste), Cidade de Deus (Jacarepaguá, na zona oeste), Babilônia e Chapéu Mangueira (ambos no Leme, zona sul), já contam com as mesmas unidades policiais.

"Esperamos sempre o melhor"
Um dia após a ocupação, moradores das duas comunidades ainda tentam assimilar como será a vida por lá. E estão receosos em dar declarações. Uma moradora da comunidade Pavão Pavãozinho, que preferiu não se identificar, tem esperanças de que a paz chegue à favela. "Eu acredito que a presença da polícia trará mais tranqüilidade para nós e nossos filhos. Esperamos sempre o melhor", disse.

O presidente da Associação de Moradores da comunidade Dona Marta, José Mário Ilário, falou que a presença da polícia pacificadora na favela tem aprovação "de 98%" dos moradores. A PM ocupa o local desde novembro do ano passado. No entanto, ele faz uma ressalva. "O policiamento foi bom, mas a gente precisa de mais atuação do governo em educação e projetos sociais", cobrou.

A ocupação
Durante a ocupação da PM nas comunidades de Copacabana e Ipanema, os traficantes receberam a polícia com tiros. Um homem foi morto e outro, com mandado de prisão expedido anteriormente, preso. Segundo a polícia, os dois tinham ligação com o tráfico de drogas.

Até o final da tarde desta terça-feira, quatro granadas, duas pistolas, uma carabina 38, uma escopeta 12, uma metralhadora 9 mm, e uma sub-metralhadora 9 mm foram apreendidos. Segundo a polícia, o armamento estava num saco enterrado em uma terreno baldio no alto do morro Pavão-Pavãozinho.

Além disso, foram encontrados também 498 sacolés de cocaína, 49 de haxixe, 200 pedras de crack e diversos rádios transmissores que eram provavelmente usados pelos traficantes.


Fonte: Notícias UOL

PMES - Cabo da PM usuário de crack é preso por assalto na Serra

Um cabo da Polícia Militar foi preso por populares após assaltar uma dona de casa, na noite da última quarta-feira, em Laranjeiras Velha, na Serra. O suspeito do crime é usuário de crack, segundo a própria polícia.

O militar J.L.G., 37 anos, é lotado no município de Montanha, que fica no Noroeste do Espírito Santo. Quando foi preso, ele estava de bermuda, sem camisa e descalço.

Simulando estar armado, o homem teria rendido a dona de casa A.P., de 19 anos. A vítima empurrava um carrinho de bebê, onde estava a filha dela, de apenas dois meses de idade. A mulher disse que o PM exigiu a bolsa, pulseiras e anéis que ela usava.

Ao prestar depoimento na delegacia, a mulher contou que o cabo ameaçou chutar e destruir o carrinho onde estava a criança.

Capturado
Assim que conseguiu arrancar os objetos da vítima, o acusado fugiu, mas acabou preso por populares que assistiram à cena.

A Polícia Militar foi acionada. Ao chegar no local, o acusado foi encontrado sentado na calçada, e cercado por moradores da comunidade.

A vítima e testemunhas prestaram depoimento no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) da Serra. O cabo da PM detido aparentava estar sobre o efeito da droga no momento do crime, informou a Polícia Civil.

O PM foi autuado em flagrante por roubo, prestou depoimento da Corregedoria da PM, e foi encaminhado para o Presídio do Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, onde está à disposição da Justiça.

Droga causa forte dependência e pode levar à morte

Risco de morte. O uso do crack pode levar à morte. A droga causa reações físicas como convulsão, elevação da pressão arterial, arritmias cardíacas, além de fibrose pulmonar e reflexos no sistema nervoso, como psicose, delírio e alucinação.

Dependência rápida. Médicos explicam que a partir de uma ou duas experiências com o crack já é possível para uma pessoa tornar-se dependente da droga, resultante da mistura de cocaína, bicarbonato de sódio ou amônia e água destilada.

Compulsão. A droga torna o usuário escravo da compulsão. Chega muito rapidamente ao cérebro - de 10 a 15 segundos após fumada - , mas tem efeito efêmero, de cinco minutos. Tão logo ele passa, vem a vontade de fumar mais, para reconquistar o prazer.

Ajuda. Muitos dependentes só buscam tratamento quando não suportam mais. E não são poucos os que são presos, porque o crack os leva a roubar e até matar. Outros acabam morrendo, pelos efeitos da droga ou devido a dívidas contraídas por pedras não pagas a traficantes.


Fonte: Gazetaonline

Policial civil que atirou em turista é preso no Paraná

Um policial civil que estava em férias foi preso na madrugada desta quinta-feira, após atirar contra um grupo de cerca de 50 pessoas que tentava invadir o prédio em que estava, em Caiobá, praia de Matinhos, no litoral do Paraná. Segundo a Agência Estadual de Notícias do Paraná, por volta das 5h, do terceiro andar do prédio, o policial teria disparado um tiro para o chão, que acabou ferindo um turista carioca que passava pelo local.

Segundo o delegado chefe da Divisão do Interior e coordenador da Polícia Civil na Operação Verão, um grupo de cerca de 50 pessoas estava bebendo e ouvindo som alto no lado de fora de um bar na orla durante toda a madrugada. Por volta das 5h, a Polícia Militar foi chamada para conter a bagunça.

Uma das pessoas foi presa por perturbação do sossego. De acordo com o depoimento do policial, o policial Santos Dumont de Menezes Junior teria visto a confusão, descido do prédio e se oferecido como testemunha para que a PM pudesse completar o atendimento.

Fonte: Terra Notícias

Assim que o policial retornou para seu prédio, as pessoas se revoltaram. De acordo com o delegado, o grupo teria começado a atirar pedras, jogar garrafas e tentar invadir o prédio em que o policial estava passando férias com a família. "Neste momento, ele pegou sua arma e da sacada do terceiro andar atirou para o chão acertando um turista que passava no local", disse.

O turista ferido passa bem e será ouvido na investigação. Além dele, moradores do prédio e diversas outras pessoas que testemunharam a confusão serão ouvidas.

Minas Gerais - Operação da polícia prende 16 pessoas em Teófilo Otoni

Pelo menos 16 pessoas foram presas durante uma operação das polícias Civil e Militar em Teófilo Otoni. Munição, armas e dinheiro foram apreendidos.




Fonte: Terra Notícias

Segurança Pública - Miniavião usado no Iraque pode vigiar Rio em 2010

Exércitos de vários países utilizam o equipamento de alta tecnologia. Modelo Skylark I também já participou de missões no Afeganistão e Líbano.

O Rio de Janeiro pode ser vigiado este ano por miniaviões usados por forças militares que participam de missões no Iraque e no Afeganistão. De acordo com a assessoria da Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop), o órgão negocia com o Ministério da Justiça a compra de seis desses miniaviões não-tripulados israelenses para fazer o monitoramento de alguns pontos da cidade.

Desenvolvido para operações urbanas e rurais, o modelo israelense Skylark I é usado pelos exércitos de vários países, como Austrália, Canadá, Croácia, França, Hungria, República Checa, Suécia e Israel – que já utilizou o equipamento para monitorar o sul do Líbano.

O Skylark I conta com três câmeras - duas diurnas e uma noturna. O equipamento tem dois metros de comprimento, pesa 4,5 quilos e é capaz de atingir velocidade de até 100 Km/h, com autonomia de voo de 90 minutos. De acordo com a Aeroeletrônica, representante da fabricante israelense Elbin no país, o equipamento já acumula 40 mil horas de experiência.

O objetivo é de que a vigilância aérea ocorra de norte a sul da cidade, passando por praias, Quinta da Boa Vista, Aterro do Flamengo, Floresta da Tijuca, Parque da Pedra Branca e Canal de Marapendi. Os planos também incluem o uso dos miniaviões durante eventos especiais no calendário da cidade, como Carnaval, Réveillon, e em dias de jogos no Maracanã.

Os equipamentos de alta tecnologia deverão auxiliar não só no controle da desordem urbana - flagrando construções irregulares como estacionamentos, casas e estabelecimentos comerciais -, como também ajudar no combate ao tráfico de drogas e na segurança de grandes eventos, como a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016, além de fazer o monitoramento de áreas de proteção ambiental.

Não é a primeira vez que autoridades apelam a mais do que helicópteros para fazer a vigilância aérea de áreas da cidade. Em 2002, o governo do estado utilizou dirigíveis para monitorar vias expressas como as linhas Amarela e Vermelha e a Avenida Brasil.


Fonte: G1

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

PMMG - PM de Minas reabrirá inscrição para 1.040 vagas de soldados

É preciso ter nível médio e no máximo 30 anos de idade. Salário inicial é de R$ 1.380,87 e após o curso passa para R$ 1.614,02.


A Polícia Militar de Minas Gerais reabre na segunda-feira (4) as inscrições para 1.040 vagas para curso de formação de soldados para atuar na região metropolitana de Belo Horizonte. O salário inicial é de R$ 1.380,87 e, após o curso, passa para R$ 1.614,02 - clique aqui para ver o edital.

O candidato deve ter no mínimo 18 e no máximo 30 anos de idade, completados até a data de início do curso de formação, previsto para o dia 1 de dezembro de 2010 - ser nascido no período compreendido de 01/12/1980 a 01/12/1992.

Das vagas, são 936 para homens e 104 para mulheres. A altura mínima exigida para ambos os sexos é de 1,60m.

O concurso havia sido suspenso e foi reaberto. O candidato que já efetuou a inscrição e pagou o DAE não precisa realizar qualquer procedimento.

Já o candidato que realizou a sua pré-inscrição mas não pagou o DAE deverá retornar ao sistema informatizado de inscrição no site www.pmmg.mg.gov.br/crs, refazer todo o procedimento de pré-inscrição e gerar novo DAE, com data de pagamento atual.

As inscrições serão feitas via Internet, através do site www.pmmg.mg.gov.br/crs, de 4 a 21 de janeiro. O valor da taxa de inscrição é de R$ 50.

O concurso terá cinco fases: provas de conhecimento e redação,
exames preliminares de saúde, exames complementares de saúde, teste de capacitação física e exames psicológicos.

A prova de conhecimentos e de redação serão realizadas na data provável de 7 de março de 2010 nas cidades de Belo Horizonte, Governador Valadares, Bom Despacho, Montes Claros, Juiz de Fora, Uberaba, Lavras, Uberlândia, Patos de Minas, Ipatinga, Barbacena, Curvelo, Teófilo Otoni e Unaí.


Fonte: G1


PMESP - Polícia apreende armamento de grande poder de fogo na Zona Leste de SP



Nove armas de grande poder de fogo foram apreendidas por policiais da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) por volta das 18h desta quarta-feira (30) na esquina da Rua Ragueb Chofi com Avenida Aricanduva, na Zona Leste de São Paulo, de acordo com informações da Polícia Militar.

Entre o armamento apreendido estão duas metralhadoras calibre .30, capazes de derrubar um helicóptero, segundo o tenente da PM, Fernando Henrique Fabião. Três homens e uma mulher foram presos com as armas, que estavam sendo transportadas em um ônibus de linha comum.

Segundo o tenente Fabião, dois deles estavam no coletivo enquanto os outros dois davam cobertura em Fiat Uno. Não havia passageiros no ônibus quando foi feita a abordagem pelos policiais, segundo o tenente Fabião. Além das metralhadoras .30, foram apreendidas uma metralhadora 9 mm, fuzis e escopetas.

A polícia chegou até os suspeitos por meio de uma denúncia. A ocorrência será apresentada na sede do Departamento de Investigações Sobre o Crime Organizado (Deic), na Zona Norte de São Paulo.

Nota da SPTrans

A Secretaria Municipal de Transportes (SMT) e a SPTrans informaram, por meio de nota à imprensa, que já suspenderam preventivamente de suas atividades um dos "permissionário (cobrador) do micro-ônibus prefixo 35901, carregado com armamento e munição até que se comprove a participação ou não dele na posse e transporte do material".

De acordo com o comunicado, "será aberta uma sindicância para apurar a responsabilidade da cooperativa no fato". O micro-ônibus é um modelo ano 2008 e fazia a linha 3046/10 Vila Guarani - Tatuapé, no momento da apreensão.


Fonte: G1

PM do Paraná registra recorde de inscritos em concurso para 1,5 mil vagas

Ao todo foram 68.309 inscrições pagas (efetivadas). São 53 candidatos por vaga para policiais militares e 25 para bombeiros.

O número de inscritos no concurso para 1,5 mil vagas de soldado da Polícia Militar do Paraná bateu recorde de inscritos, segundo a instituição. Ao todo foram 68.309 inscrições pagas (efetivadas), sendo que 58.220 são para policiais militares e 10.089 são para bombeiros (53 candidatos por vaga para policiais militares e 25 para bombeiros militares). Os números foram revelados na segunda-feira (28) pelo Centro de Recrutamento e Seleção da Polícia Militar.

A partir do dia 15 de janeiro, no site da Universidade Estadual de Londrina (UEL), haverá a relação nominal dos inscritos. “O número de inscritos ainda poderá aumentar, pois algumas pessoas estão nos informando que não conseguiram acessar o site da UEL e ver suas inscrições homologadas, porém possuem o comprovante de pagamento da taxa”, explica o chefe do Centro de Recrutamento e Seleção da Polícia Militar, major Maurício César de Moraes.

“Assim, será necessário aguardar o retorno de atividades da UEL, para que haja uma resposta quanto a esses casos, bem como o número preciso de inscritos”, diz.

O concurso para soldado oferece 1.100 vagas na carreira polícial militar e 400 na de bombeiro militar. Cerca de 97.255 pessoas imprimiram o boleto bancário, mas alguns não efetuaram o pagamento da taxa de R$ 54.

A prova escrita será realizada no dia 7 de fevereiro de 2010 nas cidades de Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina e Maringá.

O candidato classificado fará ainda exames de capacidade física e psicopatológica. Após passar pelas provas, fará parte do Curso de Formação de Soldados. O aluno – denominado soldado de segunda classe – terá a remuneração de R$ 981,91, além de fardamento, assistência médico-hospitalar, psicológica e odontológica. Depois de formado, o soldado de primeira classe passa a receber salário de R$ 1.818,13.


Fonte: G1

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Pernambuco - Grupo desiste de assalto após explosivo falhar 3 vezes em PE

Um grupo armado com fuzis tentou roubar dinheiro de um carro-forte na BR-232, próximo a Pombos, em Pernambuco, na noite de terça-feira. Segundo a Delegacia de Roubos e Furtos da Polícia Civil, quatro homens tentaram por três vezes explodir a porta do cofre do veículo, mas os explosivos falharam e a quadrilha fugiu.

De acordo com a polícia, o grupo disparou diversas vezes contra o carro-forte até o veículo parar. Os seguranças se renderam e os assaltantes tentaram explodir a porta do cofre. Com o fracasso na tentativa de roubo, o grupo fugiu em uma caminhonete cabine dupla.

Ainda segundo a delegacia, o veículo utilizado na fuga foi encontrado queimado em uma mata. Ninguém foi preso.

Fonte: Terra notícias

Rio de Janeiro - Traficantes incendeiam ônibus no Rio de Janeiro



Após a morte de três traficantes durante confronto com a polícia, bandidos do Morro da Pedreira, no subúrbio do Rio, compraram gasolina e incendiaram cinco ônibus. A situação ainda é tensa na região.


Fonte: Globo vídeos

PMESP - Polícia apreende armas em ônibus na zona leste de SP

Uma equipe da Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota) aprendeu hoje nove armas de grosso calibre e deteve quatro pessoas no cruzamento da avenida Ragueb Chofi com a avenida Aricanduva, na zona leste de São Paulo. Entre as armas apreendidas havia duas carabinas .30 que, segundo a Polícia Militar, consegue derrubar helicóptero e aviões de pequeno porte, além de fuzis, metralhadoras, espingardas e vasta munição.
Segundo a PM, a informação chegou através de uma denúncia anônima. Dois homens foram presos levando o arsenal em um microonibus e um casal acusado de fazer a "escolta" em outro veículo também foi levado à delegacia.

Fonte: G1

São Paulo - Cúpula da Polícia Civil pede saída de 5

Conselho da corporação quer demissão de 2 delegados, 2 investigadores e 1 escrivão por fraudar emissão de carteiras.

Demissão a bem do serviço público. Essa foi a decisão do Conselho da Polícia Civil sobre o destino dos primeiros cinco policiais acusados de participação na máfia das carteiras nacionais de habilitação (CNHs). Ela tem por base o relatório do processo administrativo que propôs a demissão dos delegados Juarez Pereira Campos e Fernando José Gomes, do escrivão Ulisses da Silva Leite, além dos investigadores Aparecido da Silva Santos e Johnson Bendito de Paula. Eles respondem em liberdade o processo criminal da Operação Carta Branca, que investigou a suposta venda de CNHs na Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Ferraz de Vasconcelos e em outras 11 cidades de São Paulo.

O conselho é formado pelos 22 diretores de departamentos da polícia. A decisão tem de ser validada pelo secretário da Segurança, Antônio Ferreira Pinto, no caso dos investigadores, e pelo governador José Serra (PSDB), no caso dos delegados. O relatório da Corregedoria, de 145 páginas, que recomendou as demissões conclui que foi provada a "existência de organização criminosa responsável pelos crimes de falsidade ideológica na expedição de CNHs, corrupção ativa e passiva, improbidade administrativa e formação de quadrilha". O grupo é suspeito de fraudar 200 mil documentos emitidos em São Paulo para motoristas de 8 Estados.

A máfia seria formada por donos e empregados de autoescolas, despachantes, médicos, psicólogos, servidores e policiais. "As possibilidades lucrativas de todos os partícipes das irregularidades que ali ocorriam diariamente eram de tal forma atrativas que poucos conseguiam resistir ao enriquecimento ilícito", diz o relatório.

De um lado, havia candidatos a motorista, desejando a expedição rápida de seu documento; do outro, policiais acelerando procedimentos. O relatório destaca participação de delegados de polícia no suposto esquema. "Eles são peças-chave da organização por impingirem credibilidade às negociações, em virtude de supostos respeito e hierarquia existentes no seio da organização criminosa."

POLÍCIA PARA CRIMES

O documento diz que "a utilização do prestígio corporativo da instituição policial civil para negociar a prática de atos ilícitos" revela que a organização criminosa transformou a polícia em instrumento para a prática de crimes. O relatório prossegue acusando o delegado Campos, que chefiava a Delegacia de Ferraz de Vasconcelos - hoje aposentado -, de ter participação na fraude de 447 CNHs feitas pela autoescola São Judas, de Mogi das Cruzes. A autoescola pertencia à mulher, Ana Lúcia.

No local, foi achado um dedo de silicone e massa de modelar para fraudar dados de biometria em aulas e exames - os candidatos são obrigados a registrar a digital em aparelho de leitura ótica. Os candidatos não precisavam comparecer às aulas e um mesma digital era usada para centenas de pessoas. Assim, a fraude foi descoberta.

O delegado Gomes chefiou a Ciretran de Ferraz de 2003 a 2008, quando a fraude foi descoberta. O relatório diz que ele tinha a obrigação de prevenir e reprimir irregularidades, mas se "manteve inerte". "Facilitou a prática de irregularidades mediante infração do dever funcional. (...) Tal omissão revelou sua faceta de desrespeito aos princípios da administração pública e grave violação aos deveres."

AGENDA

A Corregedoria destaca ainda o fato de os nomes dos dois delegados terem sido encontrados em suposta lista de pagamentos de propina mantida pelo investigador Santos. Na casa dele foram apreendidas duas agendas com anotações que indicariam pagamentos. Só em 2007 foram expedidas 36 mil CNHs pela Ciretran de Ferraz - perdendo em número de emissão só para São Paulo. No primeiro trimestre de 2008, esse número ficou em 9.226. De abril de 2007 a maio de 2008, ocorreram 7.439 exames práticos na Ciretran, mas o órgão expediu 36.939 carteiras. Ninguém soube explicar como quase 30 mil candidatos conseguiram CNHs sem fazer exames. Ao todo 29 pessoas são alvo de ação por causa da máfia das carteiras.

Fonte: Estadão

PMMG - Homem se esconde em batalhão da PM ao fugir da polícia na Grande BH

Uma história, no mínimo, curiosa chamou a atenção da polícia nessa segunda-feira na região metropolitana. Um foragido da Justiça foi preso, em Contagem, depois de tentar se esconder em um prédio de um batalhão da PM e de uma delegacia.




Fonte: Globominas

Hoje é o último dia para estrangeiros regularizarem a situação no Brasil


Hoje é o último dia para os estrangeiros ilegais regularizarem a situação. Desde julho, quando a lei da anistia entrou em vigor, 40 mil imigrantes receberam o visto de permanência por dois anos.


Fonte: Globo vídeos

Rio de Janeiro - Polícia do RJ deverá fazer novo concurso para delegado após baixa aprovação

Apenas 10 candidatos foram aprovados entre mais de 7 mil inscritos. Foram realizadas as provas objetivas e discursivas e faltam quatro exames.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro deverá fazer novo concurso público para delegado. O último exame, cujo edital foi lançado em julho deste ano, oferecia 150 vagas – o cargo exige nível superior em direito e o salário é de R$ 7.745,29. No entanto, apenas 10 candidatos, entre mais de 7 mil inscritos, foram aprovados nas provas objetivas e discursivas e conseguiram passar para a terceira etapa do concurso, a prova oral.


Para a Academia de Polícia Civil (Acadepol), a obrigatoriedade de uma nota mínima em cada matéria reprovou muitos candidatos.


Os aprovados farão ainda prova oral, exame psicotécnico e médico e de capacidade física. Segundo a Polícia Civil, se os 10 aprovados chegarem até a última etapa novo concurso será lançado para 140 vagas, caso contrário, se mais candidatos forem reprovados no decorrer das provas o número de vagas será maior – o máximo de vagas continua sendo de 150.


Para a Polícia Civil, o grande número de reprovados mostra que aumentou o nível de exigência para os novos policiais para que o serviço seja melhorado no estado.


Fonte: G1


PMESP - Polícia investiga participação de militares em espancamento, em Prudente


As polícias Civil e Militar investigam a participação de oito militares no espancamento de dois homens em Prudente. Uma das vítimas morreu.

Fonte: Globo vídeos

Polícia prende acusado de matar 11 pessoas em 60 dias no Paraná

Paulo Monteiro, 32 anos, acusado de ter cometido cerca de 11 homicídios nos últimos 60 dias em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná, foi preso segunda-feira no bairro Rio Pequeno.

Ele era procurado pelas polícias do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Além dos homicídios, ele também é acusado de cometer roubos e ter ligação com o tráfico de drogas nos três Estados.

Em dois meses, ele teria executado quatro pessoas, todas viciadas em crack. Outras sete mortes estão sendo investigadas e dependem de resultados de perícias feitas nos locais de crimes para serem concluídas.

De acordo com o delegado-chefe de São José dos Pinhais, Osmar Dechiche, Monteiro praticou vários roubos e se associou ao tráfico de drogas, tendo como função cobrar as dívidas dos viciados.

Com Monteiro foram apreendidos dois revólveres calibre 38 com numeração lixada, uma carteira de identidade falsa, e o veículo BMW, onde estava no momento da abordagem e que havia sido roubado no último dia 26, no bairro Portão, em Curitiba.


Fonte: Diário do Grande ABC

PMGO - Quadrilha praticava assalto com ajuda de PM

Moacir Cunha Neto

Operação conjunta entre as polícias Civil e Militar de Itumbiara resultou na prisão, por volta das 6 horas de ontem, de integrantes de quadrilha acusados de realizar assaltos sob a proteção do policial militar Sildani José Ribeiro, 38, do destacamento de Bom Jesus de Goiás. Conforme a polícia, o grupo é acusado de, em apenas três assaltos, levar R$ 30 mil. Constavam dos alvos preferidos postos de combustível, casas lotéricas, agências bancárias e supermercados. Outros crimes, ainda sob investigação, também são atribuídos à quadrilha.

Forte violência era um dos recursos para a concretização dos crimes, conforme esclarece o delegado que investiga o caso, Ricardo Torres Chueire, do Grupo de Repressão a Narcóticos da Polícia Civil (Itumbiara). Ele revelou que o esquema montado pelo grupo funcionava com total apoio do policial militar. Os assaltos ocorriam quando Ribeiro estava escalado no serviço 190, da Polícia Militar (PM). Além de não avisar as equipes da PM, nas ruas, ele é acusado de informar a rotina dos militares de plantão, bem como oferecer proteção aos assaltantes, todos oriundos de Itumbiara.

Também é acusado o eletricista Aparecido Reis dos Santos, 39, mais conhecido como “Nego Eletricista”, ex-policial militar. De acordo com o delegado, o hoje eletricista fora expulso da PM por prática de assaltos. Ele, segundo o delegado, conhecia os locais e a rotina das empresas, inclusive o momento em que havia movimentação de dinheiro.

Os funcionários públicos Joaquim Gomes da Silva, 41, e Rosilda Alves da Silva Gomes, 34, ambos de Bom Jesus de Goiás, também são apontados. Eles são acusados de emprestar a chácara em Bom Jesus de Goiás, onde o grupo responsável pelos assaltos ficava abrigado.

O delegado aponta, ainda, o comerciante Anderson Alves Resende, 39, de Itumbiara, e o empresário Wellington Rodrigues de Oliveira, 35, de Bom Jesus de Goiás. O primeiro é acusado de praticar os assaltos. Oliveira, conforme Chueire, fornecia as armas necessárias. Outro suposto integrante da quadrilha, também citado na investigação, é Elismar Batista de Souza, 22, morto na quinta-feira, 24. O delegado trabalha com a hipótese de “queima de arquivo”, já que Souza é acusado de participação nos assaltos praticados pela quadrilha. “(a morte) Pode ter ligação com a quadrilha”, diz Chueire.

Com os acusados, a polícia encontrou mais de oito armas longas, entre espingardas e carabinas, silenciadores, lunetas, mais de mil munições (acima de 5 calibres), prensas para recarga de munição, pólvora e projéteis. Nenhuma arma, conforme Chueire, pertencia à polícia.

Fonte: O Hoje

Segurança Pública - Unificação de documentos terá início nos próximos dias

O começo do ano de 2010 reserva mudanças para os documentos dos brasileiros. O Instituto Nacional de Identificação (INI), órgão ligado à Polícia Federal, espera que nos próximos dias, talvez até mesmo antes do fim do ano, seja publicado pela Presidência da República o decreto para implementação do novo Registro de Identidade Civil (RIC), documento que irá reunir os números de diversos outros registros dos cidadãos, como Carteira de Identidade, CPF, Carteira de Trabalho, Carteira Nacional de Habilitação e Título de Eleitor. Com a publicação do decreto, a expectativa é de que o cadastro para a emissão das novas carteiras de identidade comece em janeiro.

Ao solicitar o RIC, o cidadão passará pelos procedimentos habituais para obter uma carteira de identidade, como coleta de digitais, fornecimento de dados pessoais e assinatura. A diferença, segundo a Polícia Federal, é que o processo será totalmente informatizado, garantindo um cadastro nacional biométrico.

Tecnologia O novo cartão terá um sistema complexo de tecnologia que inclui microchip e dados gravados a laser no documento. O objetivo é evitar falsificações e permitir maior agilidade na transmissão de dados sobre uma pessoa em todo o território nacional. Os órgãos regionais deverão receber estações de coleta e transferir os dados para o órgão central em Brasília, que por sua vez emitirá a nova identidade.

Espera-se que a partir do terceiro ano de implementação do projeto, 80 mil pessoas possam ser cadastradas por dia, alcançando a meta de 20 milhões de cidadãos por ano. Em nove anos, cerca de 150 milhões de brasileiros devem ter o novo RIC.

O Tribunal Superior Eleitoral, por exemplo, espera abandonar por completo o título de eleitor tradicional já nas eleições para presidente, governador, senador e deputados federal e estadual de 2018. (Com agências)

O novo cartão terá um sistema de tecnologia que inclui microchip e dados gravados a laser.



Fonte: Jornal do Brasil

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Grupo cria cadastro de documentos extraviados e roubados

Resolução publicada hoje (28) no Diário Oficial da União constitui grupo de trabalho para apoiar o desenvolvimento e a implementação do Cadastro Nacional de Documentos Extraviados, Roubados ou Furtados. A finalidade é subsidiar o Ministério da Justiça na implementação de um banco de dados para ser disponibilizado na internet.

O grupo de trabalho será formado por um representante da Secretaria Nacional de Justiça do ministério, que coordenará os trabalhos, além de funcionários do Departamento Nacional de Registro do Comércio, da Secretaria da Receita Federal, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), da Polícia Civil, do Conselho Nacional de Justiça, do Instituto Nacional de Identificação e de outros órgãos como juntas comerciais e Correios.


Fonte: Noticias Terra

PMBA - Reestruturação da carreira da PM garante reajuste médio de 13,5% em 2010

Clique AQUI e veja a matéria completa.

Família de SP é presa por contrabando internacional de armas

A Polícia Civil prendeu no domingo, em Sorocaba (SP), um homem e três filhos que contrabandeavam armas e munições provenientes de países que fazem fronteira com o Brasil. Foram apreendidas centenas de cartuchos, de vários calibres, incluindo munições que podem abater aeronaves, além de explosivos, morteiros, um fuzil e cinco pistolas.

Policiais da Divisão Antissequestro (DAS) de Sorocaba iniciaram a investigação em junho, tentando descobrir os integrantes de uma quadrilha internacional de tráfico de armas e munições. A apreensão de um vídeo, na Penitenciária Dr. Antonio de Souza Neto (Sorocaba II), trouxe mais evidências aos policiais.

Na gravação, o motorista de uma transportadora de Sorocaba entrega uma espingarda, uma pistola e caixas de munições a um homem, que guarda tudo no bagageiro de um monza. Os dois foram identificados, posteriormente, como sendo os motoristas J.X.O., 57 anos, e D.S.O., 25 anos, respectivamente, pai e filho.

Com autorização judicial, os policiais grampearam os telefones dos suspeitos e identificaram mais dois irmãos, que também integravam a quadrilha - o operador de máquina K.S.O., 21 anos, e o ajudante K.S.O, 23 anos. De acordo com as investigações, o pai era quem trazia as armas, munições e explosivos contrabandeados. Os três irmãos ficavam encarregados de guardar e depois comercializar a mercadoria para quadrilhas da região.

O delegado Wilson Negrão disse que a quadrilha tinha ainda mais munições e armas, mas uma parte foi vendida para quadrilhas da região pouco antes das prisões. Ele também suspeita que detentos de presídios de Sorocaba compravam os produtos.


Fonte: Redação Terra

Minas Gerais - PRF: Minas tem recorde de acidentes com mortes em feriado

Balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Minas Gerais aponta que ocorreram 477 acidentes nas rodovias federais que cruzam o Estado durante o feriado de Natal. Em consequência disso, 385 pessoas sofreram feridas e 30 morreram. Cerca de 450 mil veículos percorreram o território mineiro entre 24 a 28 de dezembro. Os dados indicam que Minas bateu o recorde de acidentes com morte em um período de recesso (como o Natal, Ano Novo, Carnaval e Páscoa) dos dois últimos anos.

Em 2008, durante a Operação de Natal, a PRF mineira computou 27 mortes nos 7 mil quilômetros de estradas federais. No ano passado, a Operação Natal teve um dia a mais do que este ano.

De acordo com estimativa do inspetor Aristides Amaral Júnior, chefe de comunicação da PRF em Minas, as rodovias do estado tiveram o maior número de mortes de todo o país durante o feriado. Ele atribui o recorde de mortes e o elevado número de acidentes ao grande à forte chuva registrada no período e à imprudência dos motoristas.

Segundo Amaral, o feriado do ano novo também poderá ser "bastante violento". "Há perspectiva que as chuvas em Minas Gerais continuem. Isso vai dificultar a vida dos motoristas que ainda não viajaram. A tendência é que as estradas permaneçam muito movimentadas".

O inspetor pede que os motoristas dirijam com mais cuidado. "Fica o alerta por parte da PRF para que os motoristas mudem o seu comportamento, para que não ocorra neste feriado de ano novo o que ocorreu no recesso de Natal".

O inspetor não tinha dados relativos ao número de motoristas encontrados alcoolizados em Minas, mas advertiu que quem for "convidado" a soprar o etilômetro (antigo bafômetro) e se negar terá a carteira apreendida e receberá multa no valor de, aproximadamente, R$ 960.

Em caso de embriaguez, o motorista terá carteira apreendida e será multado. Se a quantidade de álcool for de 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido, ele será levado para uma delegacia de polícia e responderá por crime de trânsito e poderá ser preso.

No site da Polícia Rodoviária Federal (www.dprf.gov.br) há informações sobre as condições das estradas em todo o País. O número de emergência da PRF é 191. Minas Gerais é o Estado com a maior malha rodoviária do País.

Agência Brasil

Pai de Eloá é preso em chácara em Alagoas

Descoberto durante o sequestro das estudantes Eloá Cristina Pimentel, 15, e N., 15, ocorrido em outubro de 2008 em Santo André (ABC), o ex-policial militar Everaldo Pereira dos Santos, pai de Eloá, foi preso ontem de manhã em uma chácara na periferia de Maceió, em Alagoas. Ele é acusado de ter assassinado o delegado Ricardo Lessa, irmão do ex-governador de Alagoas Ronaldo Lessa, e foi condenado a 33 anos de prisão.

Santos estava foragido desde que seu paradeiro foi descoberto, durante o sequestro. Eloá e N. ficaram cinco dias dentro do apartamento do acusado, no Jardim Santo André, reféns do namorado de Eloá, Lindemberg Fernandes Alves. O caso terminou com a morte da menina. N. ficou ferida no rosto e sobreviveu.

Bruno Ribeiro e Léo Arcoverde

Fonte: Agora uol

domingo, 27 de dezembro de 2009

PMERJ - Polícia faz operação para localizar assassinos de agente do Bope

Soldado trocou tiros com bandidos em Barros Filho, bairro do Rio de Janeiro.

Policiais Civis da Delegacia da Pavuna fazem operação neste domingo nas favelas de Barros Filho e Honório Gurgel, na zona Norte do Rio de Janeiro, para tentar localizar os bandidos que mataram a tiros o soldado do Batalhão de Operações Especiais (Bope) Wilton Marinho da Silva, na noite de sábado. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, o soldado passava de carro com um amigo pela estrada João Paulo, em Barros Filho, quando foi cercado por um outro veículo.

Houve troca de tiros com os bandidos que, segundo a PM, o teriam reconhecido como policial. O soldado Wilton foi atingido por várias balas e levado, ainda com vida, para um contêiner da PM na Fazenda Botafogo, de onde foi encaminhado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde morreu. O corpo de Wilton será enterrado às 16h30 de hoje no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

A assessoria de imprensa da PM não divulgou o nome do amigo que estava com o soldado do Bope no momento em que eles foram abordados por bandidos.

O blog Visões de um PM deixa aqui sua singela homenagem à mais um ser humano que perdeu sua vida pelo fato de ser policial.

PMPR - Polícia vai distribuir 150 mil pulseiras de identificação para crianças neste verão

A polícia vai distribuir até o final da temporada 150 mil pulseiras de identificação no litoral do Paraná. É o décimo primeiro ano da iniciativa para garantir mais segurança às crianças. A distribuição é feita desde o dia 19 de dezembro por policiais na areia e em postos dos bombeiros e nos módulos móveis da Polícia Militar e vai até o dia 22 de fevereiro. Além da distribuição, a polícia orienta os pais sobre a importância de cuidar dos filhos.

No ano passado, o Corpo de Bombeiros registrou 315 crianças desaparecidas e todas foram encontradas. A pulseira de identificação ajudou a polícia a encontrar muita destas crianças. De acordo com a tenente Ariádene Mara Figueiró, a pulseira de identificação ajuda tanto os bombeiros quanto a polícia na hora de identificar e encontrar uma criança.

“Esta proteção é uma segurança para os pais ficarem tranquilos e aproveitarem melhor o verão nas praias. É importante também que os pais orientem seus filhos para que se estiverem perdidos falem para um bombeiro ou para um policial”, disse.

A pulseirinha contém o nome da criança, o nome dos pais e algum contato caso ela se perca. Ela pode ser molhada e a tinta da caneta não sai com a água. Pode ser usadas em crianças de qualquer idade e ajudam os pais a terem mais segurança na hora de levar os filhos à praia. A polícia recomenda para que crianças com menos de um ano usem a identificação no tornozelo.

Fonte: O diário de Maringá

Segurança Pública - Piso salarial a policiais defendido por Tarso Genro é inviável, dizem especialistas

A proposta feita pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, de criar um piso salarial de R$ 3.200 para policiais civis e militares de todo o País é inviável, afirmam especialistas. O grande efetivo e as diferenças econômicas entre os estados barrariam a iniciativa.

De acordo com o último levantamento do Ministério da Justiça, de 2007, entre os policiais militares do País, apenas os do Distrito Federal tem piso maior que R$ 2.000. O salário mínimo dos policiais do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Pará, por exemplo, não chegam a R$ 1.000.

Para estudiosos de segurança pública, o aumento dos salários de policiais é uma demanda mais que urgente. Alguns casos, como os do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul – com pisos de cerca de R$ 900 e R$ 800, respectivamente - já atingiram níveis críticos. “Não é possível que a gente espere que policiais mal pagos, muitas vezes morando em favelas, não se corrompam, não se seduzam com propinas. É fundamental a melhoria desses salários”, afirma a diretora do Centro de Estudos em Segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes, do Rio de Janeiro, Julita Tannuri Lemgruber.

No entanto, embora urgente, o montante necessário para garantir tamanho salto salarial parece não estar disponível. O professor do Núcleo de Estudos Sobre Violência e Segurança da Universidade de Brasília Arthur Trindade Costa afirma que os grandes efetivos policiais do País inviabilizariam a proposta. “É um gasto muito alto. É um efetivo gigantesco. Acho muito pouco provável que essa ideia vingue”.

De acordo com dados da Secretaria Nacional de Segurança Pública, os estados brasileiros gastaram, ao todo, R$ 33,5 bilhões com segurança pública em 2007. A maior parte deste gasto destina-se ao pagamento de salários de policias militares, civis e bombeiros. Entre estes policiais – cerca de 600 mil – a grande maioria recebe salários menores do que o proposto por Tarso.

Para se ter um ideia, se o estado da Bahia decidisse adotar o novo piso, teria que somar aos R$ 1,7 bilhão já gastos em segurança pública por ano, mais R$ 710 milhões. O Estado de Pernambuco, que tem cerca de 20 mil dos 25 mil policiais ganhando menos que R$ 3.200, teria que investir mais R$ 470 milhões. Para Costa , o que é possível fazer no momento, “é realmente aumentar os salários no Rio do Janeiro“.

O Ministério da Justiça anunciou que pretende subsidiar o aumento do piso salarial dos policiais cariocas entre 2010 e 2016, na ação intitulada “Bolsa Olímpica”. De um mínimo que gira em torno de R$ 800, os mais baixos escalões passarão a receber os R$ 3.200. Tarso Genro afirmou que está trabalhando junto à Comissão de Orçamento do Congresso Nacional para reservar, em 2010, cerca de R$ 900 milhões para garantir o aumento. A ação é do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), órgão do Ministério da Justiça criado em 2007 para promover a qualificação e a melhoria da segurança pública nos estados.

A coordenadora do Curso de graduação em Segurança Pública da Universidade Católica de Brasília e ex-coordenadora de analise criminal da Secretaria Nacional de Segurança Pública (2003 e 2004) Marcelle Figueira aprova a iniciativa, mas critica o foco nas datas celebrativas. “No Rio, a questão do salário é uma das coisas mais fundamentais, mas é importante que isso não tome o caráter de uma ação apenas para a Copa do Mundo e para as Olimpíadas”.

iG

Enquanto as melhorias não chegam...a moral sustenta!!

Redução da violência policial

Julita Lemgruber defende que, para continuar dando benefícios aos estados, o Ministério da Justiça cobre melhorias nos serviços de segurança pública. “É fundamental que estabeleça metas, principalmente relativas à redução da violência letal da ação policial. Até hoje, o Ministério da Justiça vem distribuindo verbas sem pedir retornos efetivos. Depois de quase dois anos, o Pronasci já está legitimado para exigir a redução dos homicídios”.

De acordo com dados divulgados pela ONG Human Rights Watch no último dia 8, a polícia do Rio de Janeiro matou 1.137 pessoas em 2008, e a de São Paulo, 397. No mesmo ano, toda polícia dos EUA matou 371 pessoas.

“Por incrível que pareça, ainda há uma crença de que a política do confronto funciona”, disse Lemgruber. “Há uma ideia de que a polícia precisa mostrar firmeza, só que essa firmeza provoca mortes”, contesta.

Entre os entrevistados, é consenso que apenas a melhoria salarial não é suficiente para diminuir o número de mortes em operações policiais e melhorar o serviço prestado. Eles defendem maior planejamento, investimento em setores de inteligência, punição à corrupção, e a substituição da política de enfrentamento por uma polícia vinculada ao cotidiano dos bairros.

“A lógica da asfixia [dos criminosos] não funciona. A solução é a presença cotidiana da polícia na comunidade, garantindo segurança para quem vive ali e eliminando concentrações de violência”, defende o fundador e membro do Conselho de Administração do Fórum Brasileiro de Segurança Pública José Marcelo Sallovitz Zacchi.

Segundo Arthur Costa, a proposta não é nova e já mostrou resultados satisfatórios em outros países. “Em 1972, a Polícia de Nova Iorque adotou normas de conduta. No mesmo ano, 91 pessoas tinham sido mortas pela polícia. Em 1973, o número caiu para 11. A partir daí, inúmeras outras polícias do mundo passaram a adotar normas de conduta. Recentemente, dois ou três estados adotaram semelhantes sistemas: São Paulo, Minas Gerais e Goiás. O sistema consiste em evitar ao máximo o uso das armas de fogo”.

Julita Lemgruber explica que a polícia de São Paulo criou uma divisão com cerca de 600 investigadores e que estaria esclarecendo cerca de 60% dos homicídios, enquanto a polícia dos Rio não esclareceria mais que 16% deles. “A impunidade também é um estímulo ao mau serviço policial”.

O relatório da Human Rights afirma que parte “substancial” dos mais de 11 mil casos de resistência seguida de morte registrados nos Estados do Rio e de São Paulo desde 2003 podem ter sido, na verdade, execuções extrajudiciais.

*Com BBC Brasil e Agência Estado.


Fonte: ultimosegundo

Minas Gerais - Quadrilhas especializadas em roubos de cargas desafiam a polícia




Fonte: Globo vídeos

PMERJ - Polícia prende três suspeitos e apreende mais de mil pedras de crack

Policiais desconfiaram da atitude do grupo, que foi abordado.
Com eles havia, ao todo, 1.428 pedras de crack, informou a polícia.

Policiais militares prenderam três suspeitos de tráfico de drogas, no Bairro Dom Bosco, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na madrugada deste domingo (27). Segundo a sala de escuta da Polícia Militar, durante um patrulhamento de rotina, os policiais desconfiaram da atitude do grupo, que foi abordado. Com eles havia 1.428 pedras de crack, informou a polícia.
O caso foi registrado na 56ª DP (Comendador Soares).


Fonte: G1