sábado, 26 de dezembro de 2009

Minas Gerais - Inspetor da PRF fala sobre o alto índice de acidentes nas rodovias mineiras

Aristides Júnior afirma que a imprudência continua sendo a principal causa dos acidentes e da vioência nas estradas. As chuvas também deixaram as rodovias mineiras mais perigosas.





Fonte: Globo vídeos

PMERJ - Bope ocupa Ladeira dos Tabajaras e Morro dos Cabritos

Ocupação faz parte da ampliação das UPPs





Fonte: Globo Vídeos

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Polícia Federal apreende cocaína em assentamento do MT

Cerca de 200 quilos da droga haviam sido arremessados de um avião; no local havia material para embalagem.
Um total de 212 quilos de cocaína foi apreendido pela Polícia Federal nesta quarta-feira, 23, em uma área de assentamento na cidade de Cáceres (MT) próximo da divisa com a Bolívia. Segundo os agentes federais, a região onde a droga foi encontrada é conhecida como Assentamento Limoeiro.

A cocaína teria sido arremessada por uma aeronave, não identificada. No local foram encontrados também uma grande quantidade de material para embalagem, uma prensa hidráulica, uma balança, além de outros instrumentos.

Segundo o Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM), órgão que realiza controle de tráfego aéreo na região amazônica, foi constatado o tráfego de aeronaves pequenas na região do assentamento.

Os aviões partem da Bolívia, entram no território brasileiro e arremessam grande quantidade de entorpecentes na propriedade. O local servia primeiramente como depósito. Depois a droga é embalada e escondida em veículos, para ser distribuída pelo país. Um suspeito foi preso e encaminhado à sede da Polícia Federal em Cuiabá.
Fonte: Estadão.

Paraná: Polícia apreende fardas e armamento no Paraná

Eram uniformes da Polícia Militar, da Polícia Rodoviária Estadual e coletes da Polícia Civil - além de uma metralhadora e um fuzil. Foram presos dois suspeitos de assaltos a ônibus de turismo.

Font: Globo vídeos

Polícia apreende 800 kg de maconha 'colorida' no Paraná

Droga foi encontrada às margens do Rio Paraná.Policiais receberam denúncia de veículo atolado.


Cerca de 800 kg de maconha foram apreendidos na madrugada desta sexta-feira (25) em Guaíra (PR). A polícia recebeu a informação sobre um veículo que estaria atolado e patinando nas margens do Rio Paraná. Ao chegar ao local, encontraram a picape, mas o motorista fugiu ao perceber a aproximação dos policiais. Eles, então, fizeram buscas no local e encontraram a droga, que tinha acabado de ser desembarcada na barranca do rio e iria ser transportada no veículo.

Embalada em plásticos coloridos, a droga foi encaminhada para a Polícia Federal.

Fonte: G1

PMESP: Polícia realiza parto em viatura de resgate em SP

A Polícia Militar realizou na tarde desta quinta-feira um parto na rua Inácio Monteiro, na Cidade Tiradentes, zona leste de São Paulo.
De acordo com a polícia, ao chegarem no local, encontraram uma mulher em trabalho de parto, que, ao ser socorrida, teve sua filha na viatura de resgate. Mãe e filha foram encaminhadas ao pronto-socorro Cidade Tiradentes e passam bem.
Policiais militares realizaram um parto na zona leste de São Paulo

Faltam seis dias para o fim do recadastramento


Quem for pego com armamentos depois do dia 31 incorrerá em crime inafiançável. Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições acusa governo federal de omissão durante a campanha.


Dona de uma loja que vende armamentos e munições no centro de Taguatinga, o brasiliense Ismail Kammel tirou R$ 3,5 mil do seu apertado orçamento para publicar uma peça publicitária na imprensa do DF: “Recadastramento de armas de fogo se encerra em 31 de dezembro de 2009”. É uma exigência do Ministério da Justiça e da Polícia Federal (PF). Não chega a ser uma novidade.
Desde 2006, o processo está aberto. O objetivo é substituir o registro antigo, concedido pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), por um unificado de todo o país, na PF. O limite é o último dia de 2009. Não está previsto nenhum outro recadastramento. Quem for pego com uma arma de fogo sem cadastro a partir de 1ª de janeiro, cometerá crime inafiançável e pode ser condenado a até três anos de detenção.
O registro pode ser feito pela internet, via site www.recadastramento.org.br; nas unidades da Polícia Federal de cada estado — em Brasília, fica no Setor Policial Sul (SAIS Quadra 7, lote 23)—; nas agências dos Correios e Telégrafos; ou em lojas autorizadas. No Distrito Federal, são 10 estabelecimentos: quatro em Taguatinga, três no Plano Piloto, dois em Sobradinho, um no Guará e outro no Gama.
Para registrar a arma, é necessário apresentar comprovante de residência e cópias autenticadas do RG e do CPF, além do documento antigo da arma (feito na SSP). Aquelas que não foram registradas em âmbito regional anteriormente ainda podem entrar na legalidade, desde que seja comprovada a procedência. Não é preciso levar a arma ao local e o processo é gratuito. Caso não seja feito em uma unidade da PF, o dono da arma recebe uma permissão provisória com validade de 90 dias, tempo para que possa ir à polícia entregar os documentos necessários.

Omissão
Ismail bancou o anúncio no jornal porque estava sentindo falta de divulgação por parte do governo para a campanha. “O governo federal é omisso quanto ao recadastramento”, critica. “Tinha que haver uma campanha com a mesma abrangência daquelas de vacinação infantil, porque quem tiver arma sem cadastro a partir de 2010 estará cometendo um crime inafiançável”, justifica.
O Movimento Viva Brasil, ligado à Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (Aniam), compactua com o empresário. “A Polícia Federal esteve engajada, mas o governo federal, da parte do Ministério da Justiça, não apoiou”, aponta *Bené Pereira, presidente do Viva Brasil e coordenador da Campanha Nacional de Recadastramento promovida pela Aniam.
Ao mesmo tempo em que acusa a falta de divulgação, Pereira estima que aproximadamente 4 milhões de armas foram cadastradas desde 2006, número confirmado pelo Ministério da Justiça. A Polícia Federal tem em seus registros 5 milhões de itens legais no país. “Iniciamos a campanha nacional da Aniam em julho e em um curto espaço de tempo conseguimos chegar próximos dos números da PF”, comenta Pereira.
Pelos cálculos de Ismail Kammel, após o anúncio na imprensa brasiliense, seu estabelecimento registrou 800 armas. Uma delas foi do promotor de eventos Antônio Wanderley de Siqueira. Morador de Taguatinga, ele possui uma carabina 22, fabricada em 1959 nos Estados Unidos, e um revólver calibre .38. “Vi no jornal que o prazo estava se encerrando e corri para legaliza-las”, relata. Ele não havia registrado na SSP o revólver. Depois que comprovou procedência à PF, ficou despreocupado. “Tenho certeza de que a população das áreas rurais não teve acesso à informação que vi na imprensa”, lamenta.

Ministério da Justiça se defende
Diante da acusação de omissão por parte do governo feito pelo Movimento Viva Brasil, da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (Aniam), na campanha nacional de recadastramento, o secretário executivo do Ministério da Justiça, Luiz Paulo Barreto, se defende com números. Em entrevista ao Correio, ele disse que não faltou investimento em publicidade. “Do nosso orçamento de verba publicitária, 60% foram destinados ao recadastramento, o que equivale a R$ 6,276 milhões”, diz Barreto. “Fizemos campanhas na TV, encartes publicitários, enviamos kits para prefeituras de todo o país alertando sobre os prazos”, acrescenta.
Ele informa que respeita o resultado do referendo do desarmamento(1) e que o ministério colabora com o recadastramento. “O governo federal foi a favor do desarmamento, mas sempre respeitou o resultado do referendo, tanto que apoiou a isenção da taxa de recadastramento, a exigência de testes psicológicos e aptidão”, cita. Iniciado em 2006, o processo deveria se encerrar em 31 de dezembro de 2008. Até então, exigiam-se testes psicológicos e de aptidão de manuseio do armamento, além de uma taxa de R$ 600 a ser paga à Polícia Federal. Desde 1ª de janeiro de 2009, as exigências foram extintas.
Luiz Paulo Barreto antecipa que o Ministério da Justiça mudará o foco do investimento a partir de 2010. A campanha será para devolução das armas que não foram recadastradas. “Poderemos fazer convênios com igrejas, polícia militar, prefeituras para recolher o armamento que não está legalizado. Queremos evitar que cidadãos de bem entrem na criminalidade, seja por acidente, por crimes passionais ou briga de vizinhos”, justifica. (DB)

1- Autorização
Por intermédio de um referendo, em outubro de 2005, o governo federal autorizou a comercialização de armas de fogo. A população tinha que responder à pergunta: “O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?". As pessoas puderam optar pela resposta "sim" ou "não", pelo voto em branco ou pelo voto nulo. Isso gerou certa confusão, já que “sim” significava uma negativa, e vice-versa. Ganhou o “não”, ou seja, a liberação das vendas com 63% dos votos.

Como proceder
Armas que precisam ser recadastradas
Armas com numeração de calibre de uso permitido, como .22, 8mm, .25 Auto, .32 Auto, .380 Auto, .32 S&W, .32 S&WL, .38 SPL, .32-20, .38-40, .44-40, 12, 16, 20, 24, 28, 32, 36 e 9,1 (40).

Onde fazê-lo
Lojas especializadas ou Superintendência da Polícia Federal (Setor Policial Sul). A relação das lojas está no site www.recadastramento.org.br

Documentação necessária
Cópia autenticada de CPF e Identidade, registro da arma na SSP do estado de origem. Caso não haja registro, informar a procedência com os seguintes dados: número de série, marca, calibre, país de fabricação.
Prazo de recadastramento
Até 31 de dezembro de 2009.

Quem não fizer
Ficará impossibilitado de comprar munição e, se for pego com arma sem cadastro, poderá ficarr até três anos na cadeia (inafiançável).

Porte de arma
Não é necessário ter porte de arma para recadastrá-la. Desde que esta seja mantida dentro de casa, ou do estabelecimento comercial, sendo vedado circular em áreas públicas com ela.
Fonte: Correio Braziliense


*Conforme comentário deixado no Blog Visões de um PM, o nome do Presidente da Viva Brasil é Prof. Bene Barbosa,
www.mvb.org.br

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz Natal!!!

Olá amigos,
o blog Visões de um PM deseja a todos um FELIZ NATAl e um 2010 cheio de alegrias e muitas realizações.


Boas festas!!!


Visões de um PM

Operação da polícia desmonta esquema de contrabando e descaminho em Botucatu

Foram apreendidos vários produtos contrabandeados como cigarros de marcas internacionais.

Três caminhões carregados com cigarros e produtos eletroeletrônicos foram apreendidos em Botucatu e encaminhados ao galpão da Receita Federal de Bauru. A ação foi coordenada pelo Gaeco - Grupo de Ação Especial de Combate ao crime organizado que desde agosto investigava o caso.

João Mathias, dono das mercadorias, a ex-mulher e o filho foram presos e trazidos para a Polícia Federal em Bauru. De acordo com a promotoria, com a prisão do grupo foi desmontado o maior esquema de contrabando na região de Botucatu.

Segundo o promotor Rafael Abujamra, que coordenou o trabalho, além dos produtos, foram apreendidos R$50 mil e US$ 12 mil.


Fonte: Terminais


Policial civil é preso com 16 kg de cocaína

A Polícia Federal prendeu, em flagrante, um policial civil que trabalha no DPJ de São Mateus, Norte do Estado, com 16kg de cocaína. A droga estava escondida em uma botija de gás. A ação foi na tarde de ontem, em Nova Venécia, Noroeste capixaba.

O policial, que está há apenas quatro meses na Polícia Civil do Estado, não teve a identidade revelada. A única informação é de que ele mora em Teixeira de Freitas na Bahia.
Distribuição
A droga estava sendo trazida de Belo Horizonte e seria vendida nos litorais do Norte capixaba e do Extremo Sul baiano.

Na operação, uma mulher foi detida com o policial, mas negou qualquer envolvimento no tráfico de drogas.

A Polícia Civil foi comunicada da prisão e deverá acompanhar o inquérito feito pela Polícia Federal de São Mateus, responsável pela prisão.

O policial será encaminhado para uma unidade prisional de Vitória. O local não foi revelado. (Erick Possati)

Fonte: Gazeta online

CRBC (Comando Revolucionário Brasileiro da Criminalidade) - Facção é acusada de matar idosa em edifício.

A Polícia Civil esclareceu o assassinato da aposentada Cenira Valentini, 86 anos, encontrada morta em seu apartamento na rua Maria Paula (região central de SP) no dia 12 de setembro. O crime foi planejado no presídio José Parada Neto, em Guarulhos (Grande SP), por integrantes da facção criminosa CRBC (Comando Revolucionário Brasileiro da Criminalidade).

Em um roubo planejado pelo grupo, segundo a polícia, a idosa foi deixada amarrada em cassa. Ela foi encontrada morta dias depois.

Facção contrata motoboy para cometer crimes.

O esquema de golpes por meio de telefones celulares operado por integrantes da facção criminosa CRBC (Comando Revolucionário Brasileiro da Criminalidade) em um presídio de Guarulhos (Grande SP) usava empresas de motoboys e contas de laranjas para recolher o dinheiro extorquido das vítimas.

Uma ação desse grupo de detentos ocasionou a morte da aposentada Cenira Valentini, 86 anos, em setembro deste ano. Policiais do DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa) descobriram que três detentos usaram um telefone celular para ligar para a idosa de dentro do presídio José Parada Neto, em Guarulhos.

Fonte: Agora UOL

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Nº de assaltos a residências cresce nas férias

Ladrão não tira férias!!
Muitos aproveitam essa época do ano, quando as famílias viajam, para invadir as casas. Sistemas eletrônicos de segurança custam caro, mas alguns cuidados simples podem dificultar a ação dos assaltantes.

Clique AQUI e assista a reportagem sobre o assunto.













Fonte: Notícias UOL

Um milhão de câmeras de segurança gravam São Paulo em reality show às avessas

Quem transita pela capital paulista é gravado por mais de 100 câmeras diferentes, desde o elevador de seu prédio, aos cruzamentos de avenidas, à lojinha da esquina, à plataforma do metrô e até à mesa de trabalho. É tanta filmagem que daria para montar um longa-metragem diário e individual, tão arrastado como um filme iraniano e tão previsível como um blockbuster norte-americano.
Um reality show às avessas: 41 milhões de protagonistas e só poucas centenas de espectadores.


Centro de monitoramento da Praia Grande controla o movimento no centro da cidade litorânea


Essa pode ser a definição do monitoramento eletrônico no Estado de São Paulo, que deve chegar até o final do ano com um milhão de câmeras de segurança (50% está na região metropolitana). A grande maioria está em mãos privadas.
Esse número foi projetado pela Abese (Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança), com base nas vendas em 2009. E deve causar arrepio em quem tem mania de perseguição, mas a polícia prefere não pensar nisso.

"No começo, achei que poderia provocar uma paranoia, mas na verdade houve muita aceitação e poucas críticas", comenta Dalmo Álamo, superintendente de operações da Guarda Civil Metropolitana, que aponta 83 câmeras para vigiar o centro de São Paulo.

Suas lentes têm capacidade de zoom de um quilômetro para afastar ladrões, traficantes e camelôs. "Com essa capacidade poderíamos entrar pela janela dos apartamentos particulares, mas cada operador tem uma senha e um supervisor, para evitar qualquer desvio na função e quebra de privacidade", completa Álamo, que aponta a redução em 50% nos locais filmados.
Ele chama de hot spot (pontos quentes) os cenários gravados. Em 2010, mais 135 deles entrarão no sistema, que deve ser integrado com o da Polícia Militar e CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). E a tendência é migrar das objetivas para a periferia da cidade. "O videomonitoramento cria ilhas de segurança. O delito muda para outro lugar. E é para lá que mandamos nossos policiais", explica o superintendente.
Câmera na entrada de igreja do Calvário, na zona oeste de São Paulo, tenta intimidar ladrões

É obrigatório o paralelo com o livro "1984", do escritor britânico George Orwell, que relata uma sociedade totalitária controlada pelo Big Brother (líder fictício cujo nome batizou o programa mundial de TV) por meio de "teletelas". O personagem principal escreve seu diário no único quarto que escapou do monitoramento estatal.

O próprio sistema de circuito interno de vídeo foi criado em 1942 na Alemanha nazista, desenvolvido em parte pela empresa Siemens e usado durante a Segunda Guerra Mundial para observar o lançamento dos foguetes V-2.

"Em um Estado brando como o nosso, as câmeras servem para segurança, mas em um governo policialesco poderiam servir para o controle político, assim como outras tecnologias", analisa Renato Janine Ribeiro, professor de filosofia da USP (Universidade de São Paulo) conhecido por suas opiniões sobre temas sobre violência.

O parâmetro de Estado policial também é germânico: a Stasi, polícia política da Alemanha Oriental, com 90 mil agentes infiltrados plantando câmeras e microfones nas casas e minutando o dia-a-dia dos potenciais opositores. Segundo Mário Louzã, psiquiatra do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, a combinação de tecnologias pode aumentar a sensação persecutória. "Colocar CPF nas notas fiscais ou rastreadores em carros geram mais informação sobre as pessoas do que as câmeras de segurança", afirma.

Já para Janine, a tecnologia é um instrumento que não gera poder, mas aumenta o poder de quem maneja esses vídeos - a maioria em mãos privadas. "A sociedade aceita porque essas câmeras criam uma sensação de segurança, mas é preciso estabelecer limites. Acho que as filmagens por celular podem ser perigosas, afinal, na maioria das vezes é difícil saber quem é o autor", opina o filósofo.

De acordo com o advogado especialista em direito público Carlos Ari Sundfeld, ainda é necessária uma regulamentação para as empresas de segurança, as grandes detentoras de tantas imagens. "São verdadeiras guardas privadas que cresceram muito nos últimos anos. É preciso criar regras para a gravação, armazenamento e apagamento dessas imagens."

Um exemplo disso é a empresa de segurança privada Haganá, que monitora 800 condomínios e 300 indústrias em São Paulo - chega a ter 100 câmeras em um único prédio. "Adotamos o conceito israelense de defesa: a guerra é da fronteira para fora. Por isso, as imagens têm que se concentrar na calçada do prédio, onde está nosso inimigo", define José Antonio Caetano, diretor comercial da empresa. Haganá, que significa "proteção" em hebraico, tem como diretor operacional José Bernardes Markuz, que serviu no exército de Israel.

A guarita blindada é o QG do prédio. O porteiro (ou controlador de acesso, como eles preferem chamar) é funcionário deles e não pode ser visto nem pelos moradores. Se deixa aberta a porta da guarita ou permite a entrada de alguém, é repreendido via rádio pelos operadores de monitoramento a quilômetros de distância. "Outro dia, um rapaz estranho entrou na guarita do prédio do [piloto de F-1] Felipe Massa. Acionamos nossas viaturas, mas depois descobrimos que era um pedreiro", conta Caetano.
O procedimento padrão, tanto em órgãos públicos quanto em empresas privadas, é apagar automaticamente as imagens armazenadas após um período que vai de uma semana a um mês. Em geral, apenas um encarregado tem acesso a esse conteúdo durante esse tempo.
Contudo, o ponto mais frágil do processo e que pode gerar o vazamento de imagens por parte de hackers é a conexão das câmeras para as centrais de monitoramento. Em geral, é feita por banda larga. No caso do Metrô é diferente: como a companhia de transporte tem uma rede física, utiliza fibra ótica para a transmissão de vídeos.

Para Janine, essa vasta profusão de câmeras atualmente causou o surgimento das "imagens-lixo". "São vídeos sem informação, sem interesse. É impossível ver tudo isso tamanha a profusão de imagens."

Richard Pereira comprova diariamente isso. Ele é supervisor do Centro de Controle da Segurança do Metrô e comanda três operadores. O quarteto é encarregado de monitorar 948 câmeras, número que vai chegar a 1.400 no ano que vem. Um volume de pessoas entre catracas, corredores, vagões e plataformas desfilam diante deles durante as oito horas de expediente, acionando via rádio quando algum imprevisto acontece.

"Os trens e os passageiros seguem linhas retas. Qualquer movimentação diferente chama a atenção. Dessa forma podemos controlar tantas câmeras", passa a receita Pereira, que trabalha há 21 anos no metrô, que desde a inauguração em 1974 tem um sistema de TV interno. Só na estação Sé, há 35 lentes para acompanhar 750 mil pessoas que passam diariamente por lá.

Muitas dessas imagens, porém, acabam nos telejornais, como parte dos "giros de reportagem" e "show de imagens", como a do bebê que caiu nos trilhos na Austrália ou a bêbada que quase foi atropelada nos EUA. "Antes as câmeras eram caras e estavam na mão de poucos. Hoje, a mídia tem que lidar com essas imagens que não são produzidas por ela", afirma Laurindo Leal Filho, professor aposentado da Escola de Comunicações e Artes da USP.

Para Leal, um dos reflexos da enxurrada dessas imagens no noticiário é as pessoas se acostumaram com a estética desbotada e desenquadrada dessas câmeras. "Durante 30 anos o brasileiro foi condicionado com o tal padrão Globo de qualidade, mas essa profusão de câmeras e a internet derrubaram isso. As pessoas querem o conteúdo desses flagrantes. Acho que até por isso a TV digital não emplacou por aqui. As pessoas não querem ver o fio da bolinha de tênis, querem ver imagens que tragam informação, mesmo com a baixa qualidade dessas câmeras de segurança", analisa.

Fonte: Uol Notícias.

PMBA - Notícia do dia 22/12/2009 - PM terá reajuste de 13,5% e gratificações

O comando da Polícia Militar anunciou um conjunto de medidas que visam à melhoria das condições de trabalho da corporação, sendo o reajuste médio para toda a categoria de 13,5%, parte dele para ser pago já em janeiro, a principal delas. Mas o projeto de lei com a proposta de reajuste sequer foi enviado pelo Executivo para apreciação na Assembleia Legislativa. Por enquanto, garantido, os policiais militares têm o reajuste de 4% que será dado a todo o funcionalismo estadual.
O anúncio das medidas foi feito nesta terça pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nilton Mascarenhas, por meio de nota enviada à imprensa. A TARDE não conseguiu contato com o oficial nem com o responsável pela comunicação da PM-BA, tenente coronel Hélio Gondim.
Além do aumento, que varia entre 8,5% e pouco mais de 18%, a depender da patente do policial, Mascarenhas anuncia o pagamento da gratificação por condições especiais de trabalho (CET) para soldados, cabos e sargentos que exercem atividades nas ruas. De acordo com ele, 25,5 mil dos 30 mil PMs que atuam no policiamento ostensivo terão direito à gratificação.
CET - Os motoristas operacionais terão remuneração diferenciada, de acordo com o comandante-geral da PM-BA. Vão receber 32% de CET em duas parcelas. A primeira, de 15%, deverá ser paga em janeiro, e a segunda, de 17%, em setembro. Esta última será destinada também aos demais motoristas e praças em atividades operacionais.
A adoção da gratificação por condições especiais de trabalho (CET) para soldados, cabos e sargentos que trabalham nas ruas e a remuneração diferenciada para motoristas são apresentadas por Mascarenhas como “grandes novidades no aspecto profissional”. “A essas medidas, somam-se outras previstas no processo de reestruturação da carreira, desenvolvido em moldes similares aos das demais categorias da área de Segurança Pública”, escreveu o comandante, em nota.
O comandante anunciou ainda o fim da gratificação por atividade policial (GAP) percentual, apontado por ele como uma das principais reivindicações da corporação porque reduzia a remuneração do policial no momento da sua aposentadoria.
Capacitação - O comandante-geral da PM anunciou que 427 alunos foram capacitados no curso para condutores de veículos de emergência, realizado em parceria com o Detran. No texto que enviou à imprensa, entretanto, coronel Mascarenhas nada comentou sobre o fato de há dois meses não haver turmas para o curso. Esta formação é exigida pelo Código de Trânsito Brasileiro aos motoristas que dirigem viaturas policiais.
Mascarenhas anuncia que, entre 11 e 13 de janeiro, 35 oficiais instrutores passarão pelo curso de operação da pistola Taser – arma não-letal destinada ao policiamento em locais de grande aglomeração de pessoas, como estádios, presídios e o Carnaval. A PM-BA dispõe de 180 aparelhos. “Os oficiais instrutores irão multiplicar o conhecimento em suas unidades operacionais”, escreveu na nota.
Equipamentos - O comandante relata que “estão chegando” 100 metralhadoras calibre ponto 40, mas não revela quando nem como está o processo de aquisição do material. Ele informa também que a PM recebeu 150 unidades de fuzil automático leve (FAL) e 4.825 coletes.
Mascarenhas anuncia ainda que estará recebendo “nos próximos meses” 811 novas viaturas para a PM baiana. Serão, segundo ele, 459 veículos – entre eles 400 caminhonetes fechadas – e 352 motos. Não há, entretanto, qualquer procedimento licitatório em curso com este objeto, denuncia dirigente de associação.
Fonte: A tarde

Protógenes não deve mais ser transferido para o Ministério do Esporte

Ele não teria tempo para projeto de segurança da Copa, disse ministro. Delegado responde a processos administrativo na Polícia Federal.

O ministro do Esporte, Orlando Silva, disse nesta quarta-feira (23) que o delegado da Polícia Federal, Protógenes Queiroz, não deve mais fazer parte dos quadros do ministério. Silva explicou que fez o pedido de cessão do policial ao Ministério da Justiça no dia 1º de setembro do ano passado e que depois Protógenes se filiou a um partido político e anunciou a decisão de concorrer às eleições em 2010.

“Solicitei em 1º de setembro a cessão do delegado ao Ministério da Justiça. De lá pra cá ele se filiou a um partido político e talvez tenha ficado velho o pedido de cessão. Quem for candidato tem que se desencompatibilizar em abril. Imagino que talvez ele não faça mais parte do ministério por falta de tempo de fazer o trabalho que ele iria fazer aqui”, explicou Silva.

Protógenes havia sido convidado para integrar a futura Secretaria do Futebol, que aguarda aprovação no Congresso Nacional para ser criada. O delegado se filiou recentemente ao PCdoB, mesmo partido do ministro do Esporte, Orlando Silva.

O ministro salientou que conhece o delegado “há muitos anos” e que ele tem “muita capacidade de planejamento”. Segundo ele, não estava nem definida a área que Protógenes atuaria no ministério. “O prazo [considerando o prazo de desincompatibilização, em 3 de abril] está muito curto para cumprir a missão que pretendíamos”, disse Silva.

Mas em entrevista ao G1 na semana que o convite foi divulgado, Protógenes disse que o cargo não atrapalharia a sua candidatura. "O cargo na secretaria não atrapalha a candidatura. Quando chegar a época das eleições pedirei afastamento temporário. Ainda não sou candidato, sou filiado ao PCdoB e o cargo será determinado por pesquisas. Algumas pesquisas me dão como favorito para o Senado. Uma bem recente, encomendada pelo PSB, me mostra como favorito", disse Protógenes.

Ele também disse que deveria ser afastar da secretaria para concorrer às eleições de 2010. Ele afirmou que ainda não é candidato, mas que estuda concorrer ao Senado. Segundo o delegado, pesquisas de intenção de voto o apontam como favorito à casa legislativa por São Paulo.

Satiagraha

O delegado ficou conhecido por liderar a operação que prendeu o banqueiro Daniel Dantas, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e o mega-investidor Naji Nahas. Ele responde a processos administrativos na Polícia Federal por supostos abusos cometidos durante a Operação Satiagraha, como grampos feitos sem autorização judicial e vazamento de informações sigilosas.

O Superior Tribunal de Justiça divulgou nesta semana que deferiu liminar em favor do banqueiro Daniel Dantas, dono do Opportunity, paralisando o andamento de duas ações: o processo de suborno em que o banqueiro foi condenado por corrupção e o processo a que Dantas responde por lavagem de dinheiro. Segundo o STJ, a decisão não anula a condenação e nem o bloqueio de dinheiro no exterior. Embora o pedido tenha sido feito pela defesa de Dantas, beneficia todos os outros envolvidos nos processos, de acordo com o STJ.

Tarso Genro

O ministro da Justiça, Tarso Genro, garantiu na semana passada que a PF não iria agilizar o andamento do inquérito a que o delegado Protógenes Queiroz responde para que ele fosse transferido para o Ministério do Esporte. Protógenes depende da investigação para que possa assumir cargo.


“Não há a menor possibilidade de fazermos isso [adiantar a análise da investigação na PF], porque os inquéritos têm um ritmo próprio imposto pela Corregedoria”, disse Tarso. Protógenes responde a processos administrativos na Polícia Federal por supostos abusos cometidos durante a operação Satiagraha, como grampos feitos sem autorização judicial e vazamento de informações sigilosas.


Fonte: G1


PMERJ - Governo inaugura Unidade de Polícia Pacificadora em morros da zona sul do Rio

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, inauguraram na manhã desta quarta-feira a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) dos morros do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, em Copacabana e Ipanema, zona sul do Rio. De acordo com a Polícia Militar, 340 soldados recém-formados pela academia da corporação irão atuar nas duas comunidades.

A nova UPP está localizada na sede do Grupamento de Policiamento de Áreas Especiais (Gepae), no Espaço Criança Esperança, no alto do morro do Cantagalo. A ocupação das duas comunidades teve início no dia 30 de novembro com soldados do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

A Unidade de Polícia Pacificador dos morros do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho é a quinta do Rio. Cidade de Deus e favela do Batam, na zona oeste, e os morros Santa Marta, Chapéu-Mangueira e Babilônia, na zona sul, também possuem UPPs.

Pacificação

Também nesta quarta-feira, cerca de 80 policiais do Batalhão de Choque começaram a ocupar a Ladeira dos Tabajaras e o morro dos Cabritos, em Copacabana, para a instalação de mais uma UPP. Soldados do 19º BPM (Copacabana) reforçam o patrulhamento na região para impedir que os traficantes promovam alguma retaliação à ocupação.

Com a pacificação da Ladeira dos Tabajaras e do morro dos Cabritos, o governo do Rio pretende banir de toda a orla turística da capital fluminense o tráfico ostensivo de drogas e a presença de traficantes armados com fuzis e metralhadoras.

A secretaria de Estado de Segurança também prevê a ocupação da polícia em comunidades da zona norte do Rio. A estratégia, no entanto, exige um efetivo maior. As ocupações em 2010 devem começar no mês de maio, com 3.300 policiais formados para trabalhar em UPPs – 1.300 sairão em maio e mais 2.000 estarão se formando em julho.


Fonte: Último Segundo

Minas Gerais - Preso um dos maiores ladrões de banco do País, diz polícia

A Polícia Civil e o Ministério Público de Minas Gerais apresentaram no final da tarde de terça-feira um homem suspeito de integrar uma das maiores e mais perigosas quadrilhas de roubo a bancos e carros fortes do País.

Claudio Maia dos Santos foi preso em São Paulo na Operação Barret, uma referência à metralhadora antiaérea utilizada pelo grupo nas ações. O bando ao qual ele pertenceria é apontado pela polícia e pelo MP como responsável por pelo menos 30 roubos em cidades do interior do País, principalmente em Estados do Nordeste, Minas Gerais e São Paulo. A maioria das ações aconteceu entre o final da década de 90 e 2005.

"A gente detectou a participação direta dele em algumas ações a carros fortes na década de 90 e agora depois de 2000", disse o delegado Wanderson Gomes da Silva, da Superintendência Geral da Polícia Civil. Segundo Silva, recentemente o suspeito participava mais de operações de transporte de armas para as quadrilhas. "Inclusive está bem evidenciado (nas investigações) que foi ele quem transportou uma arma calibre .50 para ser utilizada num assalto a carro forte no ano passado na região de Varginha (sul de Minas)", disse o delegado Wanderson Gomes da Silva, da Superintendência Geral da Polícia Civil. Nesta ação, os criminosos roubaram R$ 1,25 milhão.

"Ele trouxe esta arma habilidosamente escondida em um veículo, uma caminhonete. Há também informações de que ele seja, no momento, o responsável pelo ingresso dessas armas no nosso País e repasse a quadrilhas que tem atuação em todos os Estados", afirmou Gomes, que ainda vai apurar a verdadeira identidade do suspeito, já que a polícia acredita que o nome utilizado por ele atualmente seja falso.

O procurador de Justiça André Ubaldino afirmou que os roubos cometidos pela quadrilha ficaram conhecidos como Novo Cangaço, devido à violência utilizada pelos integrantes, que cercavam os alvos e os alvejavam com metralhadoras e fuzis antiaéreos.

"Os assaltos a carros fortes iam se multiplicando nos anos mais recentes e, quando houve um ataque bastante covarde e cruel ao Estado de Minas Gerais, nós então resolvemos aglutinar nossos esforços nesse sentido e conseguimos a redução expressiva, segundo os dados estatísticos têm revelado, dessas praticas, não só nosso Estado, mas também no País," afirmou.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, um dos últimos assaltos do bando desmantelado aconteceu no dia 9 de fevereiro, em Nova Mutum (MT). Logo depois, um dos líderes da quadrilha foi preso durante a Operação Vandec III, nome dado em homenagem a um dos policiais mortos em um roubo ao banco do Brasil de São Gotardo (MG). Na época, a polícia apreendeu uma metralhadora antiaérea e antitanque marca Browing .50 com 170 cartuchos .50.

De acordo com o delegado, o suspeito João Ferreira Lima, o João de Goiânia, confessou ter trazido a arma do Paraguai. "Ele disse que pagou R$ 280 mil pela metralhadora, que é usada pelas forças armadas de todo o mundo, tem capacidade de alcance de até 7 km e pode derrubar até um avião caça, bastando o atirador ter boa pontaria", disse.

"Comprar arma no Paraguai é igual comprar mandioca no Brasil", disse João de Goiânia, ao explicar como comprou a metralhadora. Ele e Gilmar Vilarindo de Moura, o Alemão, eram os dois suspeitos mais procurados do País, segundo o delegado. Nos assaltos, de acordo com a polícia, o grupo utilizava, além da metralhadora .50, fuzis AK 47, AR-15 e explosivos.

A quadrilha também confessou roubos a carros fortes nas cidades de Uberlândia, Uberaba, Ipatinga, Itaúna, Sacramento, Vila Velha (ES) e Maringá (PR). Também foram confirmados os roubos a bancos nas cidades de Frutal, Ibiá, Belo Horizonte e Criciúma (SC). Quando foi preso, o grupo se dirigia à Venezuela, onde planejava roubar um carregamento de ouro que pesava 1 t.


Fonte: Terra Notícias

PM/SP - Ronda programada da PM dá segurança a moradores que viajam no interior de SP

Serviço é gratuito e pode ser pedido para bases comunitárias. Programa é complementar; morador também deve ter itens de segurança.
Moradores do estado de São Paulo que querem garantir mais segurança a suas casas quando viajam durante as férias podem acionar a Polícia Militar para que ela faça rondas programadas em sua rua.
Em Bauru, a 329 km de São Paulo, o serviço existe há 9 anos. Segundo a PM, nenhuma das casas que fez parte do programa neste período foi alvo de ladrões. A ronda programada é oferecida de graça. Com o endereço em mãos, os policiais fazem a ronda durante a patrulha no bairro. Se algo ocorrer, eles ligam para o responsável indicado pela família que ficou na cidade.

O aposentado José Dias Júnior voltou de viagem antes do previsto e foi surpreendido por excesso de zelo. “Passando aqui na frente de casa, o carro da polícia parou e eles perguntaram se estava tudo bem, não sabiam que era a gente. Nós nos identificamos e com isso aumentou muito a credibilidade nesse trabalho da polícia”, afirmou.

Para aderir ao programa, basta ligar para as bases da PM que são responsáveis pelo bairro. “A pessoa deve entrar em contato com as bases comunitárias, para não congestionar o 190. Funciona no estado inteiro, é gratuito, mas é um programa complementar, o morador deve sim procurar sempre a proteção de seus bens”, explicou o tenente da Polícia Militar Heraldo Carlos Monteiro.

“Ele [o morador] vai dizer se vai ficar algum vizinho, algum responsável, se existem cães, quais os dispositivos de segurança instalados”, disse o policial. Para isso, é preciso preencher um questionário, o que pode ser feito pessoalmente ou por telefone.


Fonte: G1

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Bahia- Orçamento da Bahia prevê menos investimento em segurança pública

O Orçamento da Bahia para 2010 prevê uma redução de 62,7% nos investimentos para a segurança pública, um dos principais problemas da administração Jaques Wagner (PT) desde a posse do governador, em janeiro de 2007.

Desde então, quase 12 mil homicídios foram registrados no Estado, de acordo com informações oficiais. Em 2009, o governo alocou R$ 143,1 milhões para investimentos no setor - para o ano que vem, a projeção é aplicar R$ 53,3 milhões.

Depois de muita obstrução e mais de 20 horas de sessão, o Orçamento de R$ 23,7 bilhões do Estado foi aprovado pela Assembleia Legislativa, o que corresponde a um aumento de 4,1% em relação a 2009. "A redução na segurança pública demonstra, definitivamente, que o governo perdeu o controle da situação", afirmou o deputado Carlos Gaban (DEM).

O líder do governo na Assembleia, Waldenor Pereira (PT), contesta a declaração. "Reconhecemos que a segurança pública é o nosso calcanhar-de-aquiles, mas o governo tem feito tudo para melhorar o desempenho do setor e dar tranquilidade à população."

Um levantamento feito pela bancada de oposição revela que, das três áreas consideradas mais importantes (segurança pública, saúde e educação), apenas saúde ganhou um incremento de 5,8% em relação ao Orçamento do ano passado. Em compensação, em duas pastas "políticas" (Casa Civil e Planejamento) o percentual de aumento foi muito elevado.

"A Casa Civil ganhou um incremento de 861,9%, e o Planejamento, 116,2%, o que significa que o governo vai priorizar a parte política justamente em um ano eleitoral", disse Carlos Gaban. No próximo dia 5 de janeiro, os 63 deputados estaduais da Bahia devem confirmar a aprovação do Orçamento em segundo turno.

Segurança Pública
A redução dos investimentos em segurança pública contrasta com o aumento da violência na Bahia. Entre 2006 e 2008, o número de assassinatos subiu 33,9%, somente na região metropolitana de Salvador. No mesmo período, mas apenas em Salvador, o índice é bem maior: 79,54% a mais de assassinatos.

Levando-se em conta todo o Estado, a elevação atinge 43,1%. Em 2006, aconteceram 3.718 homicídios na Bahia, ante 4.612 no ano passado, de acordo com o Cedep (Centro de Documentação e Estatística da Polícia), órgão da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Os dados fornecidos pelo próprio governo também demonstram que os recursos colocados à disposição no Orçamento para investimentos no setor não são integralmente cumpridos. Este ano, por exemplo, dos R$ 143,1 milhões disponibilizados para a SSP para investimentos, apenas R$ 17,2 milhões foram efetivamente gastos (até o mês passado). No ano passado, dos R$ 121,9 milhões colocados na rubrica, o governo gastou R$ 26,5 milhões. "A experiência mostra que, quanto menor o investimento, mais forte fica o crime organizado", disse Carlos Gaban.

O deputado Waldenor Pereira rebate. "Mesmo com a crise, estamos investimento o mesmo percentual de outras administrações. E, além disso, estamos fazendo muitas parcerias com o governo federal para combater o crime."

Fonte: Uol noticias

PMPR - PM forma 205 sargentos no Curso Especial de Formação de Sargentos

O Secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, o Secretário-chefe da Casa Militar Washinton Rosa e o comandante-geral da Polícia Militar coronel Luiz Rodrigo Larson Carstens participaram da formatura do Curso Especial de Formação de Sargentos (CEFS), realizada nesta terça-feira (22), na Academia Policial Militar do Guatupê (APMG), em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. Na capital, concluíram o curso 92 policiais oriundos de curitiba, região metropolitana, Paranaguá, Lapa e Ponta Grossa.

Simultaneamente, outros 113 militares se formam em suas bases, sendo 60 somente em Londrina, em solenidade que conta com o governador Roberto Requião, totalizando 205 novos sargentos. “A carreira, a vida do policial militar não é fácil, as nossas lutas diárias são complicadas e para minimizar ou atender a estas dificuldades, é preciso proporcionar estrutura eficiente, qualificação adequada, instrumentos corretos e, isto nós estamos fazendo”, garante. “O orgulho que o estado do Paraná tem é o mesmo que os familiares têm”, completa o secretário.

Fonte: PMPR

Estes profissionais de segurança pública se formaram com o amparo da lei especial criada pelo Governo do Estado, em setembro de 2008, de n.º 15.946. Ela prevê a mudança de graduação do policial após quinze anos de carreira e bom comportamento. Para isso, é feito o curso especial de formação, que garante a promoção dos formados, ao próximo posto. “É um reconhecimento a aqueles que continuam na carreira para que possam chegar a outras graduações, por exemplo, quem entrava como soldado e pensava em ser sargento, hoje pode tornar isso realidade”, diz o coronel Rodrigo.

Após serem promovidos, os cabos e sargentos que completarem 26 anos de serviço poderão requerer 80% de diferença salarial para a graduação imediatamente superior. Aos 31 anos de serviço, eles têm direito aos 20% restantes. A lei determina ainda que esses policiais poderão requerer promoção à graduação superior, garantindo salário e título na aposentadoria, quando faltarem seis meses para os 35 anos de serviço.

“Isso significa o reconhecimento do Governo do Paraná e da corporação aos policiais militares mais antigos, que estão há anos defendendo nossos valores”, disse o comandante da Academia, coronel Roberson Luiz Bondaruck. “Antes, o soldado permanecia até 35 anos na mesma condição, mesmo com bons serviços prestados, a não ser que fosse aprovado em concurso para oficiais. Agora, é diferente”, falou Bondaruck.

A formação dos sargentos foi realizada pelo Centro de Formação de Praças (Cfap) da Polícia Militar, situado no interior da APMG. O curso teve duração de quatro meses e contou com 640 horas/aula. O Cfap é comandado pelo capitão Erich Wagner Osternack. “O aprimoramento técnico dos profissionais irá melhorar a qualidade dos serviços oferecidos à população. Além disso, trata-se de homens que merecem a valorização pelos serviços prestados à comunidade”, disse Osternack.

DESTAQUE – O sargento Carlos Gomes, que trabalha na Secretaria da Segurança Pública, disse que se tornar sargento depois de 20 anos de serviço é um sonho realizado. “Depois de tanto tempo trabalhando arduamente, consegui ser sargento, o que é espetacular. Isso tudo por causa desta nova lei, em que o governo nos apóia totalmente; ele está valorizando o policial, o que, infelizmente, em outros governos não ocorria”, destaca o policial.

Para Gomes, este governo valoriza principalmente o policial mais antigo, que tem mais experiência. “O exemplo disso sou eu que no início deste governo era soldado e, hoje, sou sargento”, complementa. Outro policial que se formou beneficiado pela nova lei é sargento Mauro Sérgio de Almeida, do Batalhão de Polícia Ambiental, que foi o primeiro colocado da turma.

“Eu já tenho 30 anos de serviço, foi uma batalha árdua até aqui, mas valeu a pena, foi muito compensador. Agora vou aplicar este conhecimento em benefício da comunidade, me dedicando e prestando bons serviços”, relata o sargento que obteve nota final 9,4, no curso.

São Paulo - Corregedoria investiga participação de policial em extorsão

Suspeito diz que policial exigiu dinheiro para não detê-lo. Prisão em flagrante aconteceu nesta tarde na Zona Norte de SP.

Clique Aqui e veja a reportagem.

A Corregedoria investiga a participação de policiais de uma delegacia da Zona Norte de São Paulo num crime de extorsão de dinheiro. Um policial civil foi preso em flagrante recebendo R$ 300 mil de um suspeito de estelionato. Um advogado também foi detido.

Equipes da Corregedoria se esconderam nesta terça em uma oficina mecânica na Casa Verde para acompanhar o que acontecia no prédio em frente, onde funciona a delegacia seccional do bairro. Uma denúncia apontava que policiais do setor de investigações gerais da Zona Norte receberiam dinheiro de um homem, investigado por suspeita de estelionato.

Desta vez, no entanto, o estelionatário foi a vítima. Há pouco mais de dez dias, ele procurou a Corregedoria para denunciar que policiais exigiram R$ 1 milhão para que ele não fosse preso. Uma negociação teria reduzido o valor para R$ 300 mil. O pagamento seria feito nesta terça.

O investigador, que trabalha há mais de 25 anos na Polícia Civil, foi preso em flagrante por concussão, que é a extorsão cometida por funcionário público. O advogado da vítima também foi preso. Os dois foram levados para a Corregedoria com o dinheiro recebido pelo investigador.

Outros cinco policiais da Seccional da Casa Verde – entre eles um delegado – estão sendo investigados.

Fonte: G1

Poderosos no Brasil são inatingíveis pela Justiça, diz Tarso

O ministro da Justiça, Tarso Genro, disse nesta terça-feira que a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de suspender o processo contra o banqueiro Daniel Dantas cria uma sensação de impunidade. "No processo dessa repercussão, reflete no senso comum aquela conclusão clássica: os poderosos no Brasil dificilmente vão para a cadeia. Os poderosos no Brasil são inatingíveis pela Justiça", disse Genro, ao participar de cerimônia de assinatura de convênios do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).

O ministro tirou dos ministros do STJ a responsabilidade pelo fato de ter sido suspensa a Operação Satiagraha. Genro enfatizou que eles agiram dentro da lei e que é preciso, na verdade, uma mudança na lei. "Obviamente algo tem que mudar na estrutura processual penal brasileira para que essas coisas não se repitam de maneira frequente, gerando essa visão de impunidade que, em última análise, se dirige para pessoas de alto padrão aquisitivo no país."

O ministro do STJ, Arnaldo Esteves Lima, concedeu liminar na sexta-feira em favor do banqueiro Daniel Dantas. A decisão determina a suspensão do processo contra o banco Opportunity até o julgamento do processo movido contra o juiz Fausto Martin de Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal. A defesa de Dantas alega que o juiz de Sanctis não é isento para julgar a ação de crimes financeiros atribuídos ao atribuídos ao banqueiro.

A operação, deflagrada em 2008 pela Polícia Federal, investigou crimes financeiros praticados por um grupo comandado por Dantas, controlador do Grupo Opportunity. Com a decisão, foram suspensas todas as ações relacionadas à Satiagraha, inclusive a condenação do banqueiro a dez anos de por corrupção ativa, determinada pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região, em São Paulo.Outra consequência foi a suspensão do processo em que Dantas responde pelos crimes de lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituição financeira e evasão de divisas. Genro comentou também o caso do ex-ativista político italiano Cesare Battisti, cuja extradição foi decidida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro confirmou declaração feita ontem pelo próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a quem cabe a decisão final sobre o destino do ex-ativista, de que só haverá pronunciamento sobre o caso depois da publicação do acórdão do STF.

"A questão do Battisti, o presidente já falou claramente no mesmo sentido, aliás, isso me orgulha muito, era o que eu vinha falando. Essa é uma decisão do presidente da República. Ele vai decidir no momento oportuno. E decidirá depois da publicação do acórdão. E qual a direção da decisão dele? O presidente não anunciou. É absoluta prerrogativa do próprio presidente."


Fonte: Agencia Brasil

PMES - Promoções e mais vagas na Polícia Militar

O efetivo da Policia Militar (PM) no Estado deve chegar a 9.791 até 2013. Atualmente, o Estado conta com pouco mais de 8 mil militares, sendo que o previsto na lei de 2005 é de 8.971. O projeto de lei que estabelece o novo quadro organizacional foi enviado ontem à Assembleia Legislativa e deverá ser votado ainda hoje, em regime de urgência.
O projeto cria, ainda, três novos batalhões - um em Linhares; um, em São Mateus; e um, em Ibatiba - e a Companhia Independente de Anchieta, que será separada do 10º Batalhão de Guarapari. Além disso, 1.262 policiais serão promovidos nos próximos três anos. O investimento total será de cerca de R$ 17,328 milhões, sendo que o maior montante deverá ser aplicado já em 2010: R$ 8,7 milhões.Para chegar ao efetivo esperado até 2013, pelo menos um concurso anual para a contratação de cerca de 600 policiais por ano será realizado, segundo o secretário Estadual de Segurança Pública e Defesa Social, Rodney Miranda. "Estamos formando 700 policiais e 20 oficiais neste ano, o que já supre parte da demanda. Dentro de três anos, esperamos ter mais 1.800 policiais concursados", afirmou.O objetivo da reestruturação, segundo o secretário, é atender às novas demandas do Estado e à complexidade das tarefas da polícia. "Estamos promovendo uma ampliação da atuação para o interior. A região do Caparaó, por exemplo, vai contar com o Batalhão de Ibatiba. A Companhia de Anchieta vai atender, também, a Piúma e a Alfredo Chaves", explicou.As promoções para a corporação serão para quase todas as patentes. Ao todo, serão 976 promoções para praças combatentes; 44, para o quadro administrativo; e 242, no quadro oficial da PM. De acordo com Rodney, as promoções serão necessárias para aumentar a qualidade do serviço prestado pela corporação e para atender às demandas com a criação dos novos Batalhões, que deverão receber cerca de 70 novos policiais até 2013.Rodney: crítica a livro é "picuinha" Em entrevista à Rádio CBN Vitória, na manhã de ontem, o secretário estadual de Segurança Pública e Defesa Social, Rodney Miranda, se manifestou sobre a chamada "crise dos coronéis" e reafirmou a existência de uma "banda podre" na Polícia Militar (PM), dizendo que já afastou 26 policiais somente neste ano.Segundo Rodney, o conflito não passou de "picuinha" de um pequeno grupo que é contra as ações do Estado e que utilizou o livro "Espírito Santo" como desculpa para se manifestar. Disse, ainda, que está aberto ao diálogo e que os policiais que se sentiram lesados podem acionar a Justiça. "Desde o início, eu estou me posicionando da seguinte forma: se tiverem algum problema, procurem a mim ou entrem na Justiça contra os três autores do livro", declarou.Em resposta, os coronéis divulgaram nota, dizendo que "não é verdadeiro que sejam alguns poucos coronéis, mas é fato, mais do que constatado e divulgado, que toda a Polícia Militar, de modo verticalizado, abomina a falta de ética do atual secretário de Segurança Pública, bem como questiona o porquê de ele não excluir a chamada ?banda podre?, que, com ele esteve pessoalmente, por longo tempo".A nota afirma ainda: "enquanto a sociedade capixaba regride ao estágio da pedra lascada, desejando a justiça com as próprias mãos, o senhor Rodney Miranda demonstra a falência de um sistema de segurança pública repressivo, antidemocrático e sem respeito aos mais humildes".A crise Origem. O livro "Espírito Santo", escrito pelo secretário Rodney Miranda, pelo juiz Carlos Eduardo Lemos, e pelo antropólogo Luiz Eduardo Soares, foi o que motivou a insatisfação dos coronéis da PMReação. Os militares alegam que a obra "caluniou, desmereceu e humilhou" toda a corporaçãoAutores. Os autores do livro disseram que não ofenderam a corporação. Rodney chegou a afirmar que o livro referia-se apenas à "banda podre" da corporaçãoConflito. Os coronéis pressionam para que Rodney aponte quem são os integrantes da "banda podre". O secretário apenas afirma que ela existe, assim como em "toda instituição"As mudanças EfetivoO efetivo deve chegar a 9.791 até 2013. Atualmente, o efetivo previsto é de 8.971, mas há um déficit de cerca de 900 policiaisConcursoPara preencher as vagas, deverão ser abertos pelo menos um concurso a cada ano, em 2010, 2011 e 2012, com cerca de 600 vagas cadaNovas UnidadesSerão criados 3 novos Batalhões:12º Batalhão de Linhares, 13º Batalhão de São Mateus, 14º Batalhão de IbatibaTambém será criada a Companhia Independente de Anchieta, ficando o 10º Batalhão de Guarapari responsável apenas pelo município
Promoções
11 promoções de major para tenente-coronel; 32 de capitão para major; 90 de 1º tenente para capitão; 109 de 2º tenente para 1º tenente
Administrativo
6 promoções de 1º tenente para capitão; 14, de 2º tenente para 1º tenente; 24 de subtenente para 2º TenentePraças
Combatentes
74 promoções de 1º sargento para subtenente; 214 de 3º sargento para 2º sargento; 294 de cabo para 3º sargento; 394 de soldado para cabo
Investimentos
No total, serão investidos mais de R$ 17 milhões em promoções e nomeação de novos soldados até 2013.
Fonte: Gazeta online

PMDF - MP denuncia 2 oficiais da PM por confrontos em protestos no DF

O promotor Mauro Faria de Lima denunciou nesta segunda-feira dois oficiais da Polícia Militar do Distrito Federal pelos confrontos ocorridos entre a corporação e pessoas que realizavam protestos contrários à permanência de José Roberto Arruda no governo do Distrito Federal. Segundo o Ministério Público, os coronéis Luiz Henrique Fonseca e Silva Filho responderão por lesão corporal.
No dia 9 de dezembro, cerca de 1,5 mil pessoas participavam de um ato a favor do afastamento de Arruda, apontado como líder do esquema. A polícia usou bombas de efeito moral e balas de borracha contra os manifestantes, que haviam bloqueado as pistas do Eixo Monumental, uma das principais vias da capital federal.
Após o episódio, Arruda, que é acusado de comandar um esquema de pagamento de propinas em seu governo, enviou um comunicado à Secretaria de Segurança Pública, repudiando a ação da PM.
Entenda o casoO mensalão do governo do DF, cujos vídeos foram divulgados pela imprensa, é resultado das investigações da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. O esquema de desvio de recursos públicos envolvia empresas de tecnologia para o pagamento de propina a deputados da base aliada.
O governador José Roberto Arruda aparece em um dos vídeos recebendo maços de dinheiro. As imagens foram gravadas pelo ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, que, na condição de réu em 37 processos, denunciou o esquema por conta da delação premiada. Em pronunciamento oficial, Arruda afirmou que os recursos recebidos durante a campanha foram "regularmente registrados e contabilizados".
As investigações da Operação Caixa de Pandora apontam indícios de que Arruda, assessores, deputados e empresários podem ter cometido os crimes de formação de quadrilha, peculato, corrupção passiva e ativa, fraude em licitação, crime eleitoral e crime tributário.
Fonte: Terra Notícias

Ofensiva contra corrupção será ainda maior em 2010, diz Tarso

Depois do escândalo do "mensalão do DEM" no Distrito Federal revelado pela Operação Caixa de Pandora, o ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou ontem que o combate à corrupção será aprofundado em 2010, como política estratégica de Estado. "Podem estar certos de que, independentemente de 2010 ser um ano eleitoral, esse trabalho vai continuar cada vez mais profundo e cada vez mais responsável", disse. Segundo ele, a Polícia Federal está tecnicamente mais aparelhada e tem o respeito cada vez maior da sociedade para essa tarefa. Tarso deu a declaração após apresentar o balanço das atividades da PF em 2009, quando comentou o inquérito que investiga o esquema de propinas no governo do Distrito Federal, que seria comandado pelo governador José Roberto Arruda (sem partido). "Estamos satisfeitos com todo o trabalho contra a corrupção que a PF vem fazendo no País", afirmou. Em 2009, conforme o balanço da PF, foram realizadas 281 operações especiais em todo o País (20% a mais do que no ano anterior), dedicadas ao combate à corrupção, lavagem de dinheiro, narcotráfico e crimes ambientais. Das 4.534 prisões realizadas no ano, 75% foram na modalidade preventiva, que exige maior qualidade da prova produzida. "Isso demonstra o aperfeiçoamento técnico da PF." O fortalecimento da corregedoria, com foco na agilidade e na qualidade das investigações, permitiu que a média de inquéritos relatados no mesmo ano, que era de 65%, subisse para 94% em 2009. Segundo o diretor-geral do órgão, Luiz Fernando Corrêa, a ênfase ao combate à corrupção não prejudicará outras prioridades da PF, como o combate ao narcotráfico e aos crimes ambientais.Tarso reconheceu, porém, o aumento da sensação na sociedade de que a corrupção vem crescendo. Mas atribui isso à ação mais efetiva no combate aos crimes do colarinho-branco. O ministro acusou os governos anteriores de omissão nesse tema. "Essa sensação ocorre também porque, por muito tempo, a corrupção esteve debaixo do tapete, não aparecia", argumentou. "Quanto mais a corrupção é combatida, mais ela aparece. Isso é bom para o País, para as pessoas honestas, para o Estado e para toda a sociedade." O ministro não quis tirar conclusões sobre a descoberta, noticiada pelo Estado no domingo, de que parte do dinheiro encontrado em busca da PF na residência oficial de Arruda pertenceria a um mesmo lote de notas, com números de série em sequência, arrecadado com empresários que pagavam pedágio pelos negócios mantidos no governo do Distrito Federal. "Não faço juízo de valor sobre a natureza de provas colhidas, o inquérito ainda está em andamento." Segundo Tarso, é inegável a melhoria da qualidade das provas produzidas pela PF, o que aumenta a certeza de punição. "O que tem ocorrido, não só nesta como em todas operações de combate à corrupção, é uma qualidade cada vez maior no inquérito e uma definição maior de responsabilidades, o que pode ser medido pela quantidade de prisões preventivas autorizadas pelo Judiciário."
Fonte: Estadão

Brecha na lei dificulta punição de quem assalta com arma de brinquedo

Houve mudança na legislação em 2003; especialista critica alteração.Em operação policial em SP, metade das armas apreendidas era falsa.

Uma brecha na lei está dificultando a punição de um tipo de crime que tem feito muitas vítimas em todo o país: o assalto com armas de brinquedo.

Durante 45 dias, os policias de misturaram à multidão no Itaim, bairro nobre de São Paulo, à procura de ladrões. Vinte e quatro pessoas foram presas. Doze armas foram apreendidas, sendo seis de brinquedo. O Estatuto do Desarmamento diz que é proibido fabricar e vender armas falsas. A exceção é quando elas são encomendadas, com autorização do Exército, para serem usadas em treinamento de agentes de segurança. Uma pessoa que anda com uma arma de brinquedo pelas ruas só é punida se usá-la em um assalto. Portar arma de brinquedo era crime até a lei mudar, em 2003. Para o criminalista Sergei Cobra, a mudança abriu uma brecha para que aquele que porta armas falsas não seja processado pela Justiça. “Tenho certeza de que o legislador deu um passo atrás no momento em que tirou da sociedade, tirou do âmbito jurídico, a possibilidade de punir a arma de fogo de brinquedo, porque ela aterroriza, ela constitui um dano”, diz Cobra.


Apesar da comercialização ser proibida no Brasil, as armas falsas são contrabandeadas e podem ser compradas pela internet ou em lojas do centro da cidade. As armas de brinquedo são idênticas às verdadeiras. Não atiram, mas enganam as vítimas. Em um caso recente, quatro rapazes entregaram tudo o que tinham para os ladrões. Quando estes foram presos, no entanto, a descoberta: a pistola era falsa. Um policial também sofreu uma tentativa de assalto e não percebeu que a arma era de brinquedo. Por isso, a polícia faz um alerta: nunca reagir a um assalto.


Fonte: G1

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

PMMS - Menina de 8 anos é morta com tiro disparado por prima, de 9

Uma menina de oito anos de idade foi morta na noite deste domingo, em Campo Grande (MS), após levar um tiro na cabeça disparado pela prima, de nove anos. As duas estariam brincando com a arma do tio, um soldado da Polícia Militar que havia deixado a pistola no carro. A Polícia Civil investiga se houve omissão do militar.

De acordo com a polícia, o soldado Luiz Octávio Bittencourt, 29 anos, saiu de casa com a mulher e seguiu para a casa do sogro, no Portal Caiobá, bairro distante do centro da cidade. No trajeto, o militar pegou as duas sobrinhas, que são primas. Segundo disse à polícia, o soldado trancou a arma no porta-luvas do carro.

Por volta das 18h, o policial ouviu um disparo, correu até o carro e viu a menina caída e a outra sobrinha com a pistola na mão. A criança foi levada para o hospital Universitário e logo transferida para a Santa Casa, o maior hospital da capital do Mato Grosso do Sul. Três horas depois, a menina A.V.F. morreu.

Para pegar a arma, uma das crianças pode ter destravado o porta-luvas, já que o policial garantiu que havia trancado o compartimento com chave. A corregedoria da Polícia Militar também abriu investigação para apurar o caso, que despertou a atenção das autoridades de Campo Grande.

O secretário de Segurança Pública, Wantuir Jacini, não vê culpa do policial. Ele sustenta a versão por acreditar na declaração do militar, que teria deixado a arma em lugar de difícil acesso. Por regra, um policial pode portar a arma 24 horas por dia, segundo o comando da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul.


Fonte: Noticias Terra


Balanço 2009 - Ações da PF resultaram em 4,5 mil prisões em 2009, diz Ministério da Justiça

Levantamento mostra que 75% dos mandados foram preventivos.
Ano teve 43 operações de combate à corrupção, prendendo 386 suspeitos.

Balanço apresentado nesta segunda-feira (21) pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, mostra que as ações da Polícia Federal em 2009 resultaram em 4.534 prisões. Dessas, cerca de 75% foram mandados de prisão preventiva: 3.392. Em 2008, a PF realizou 3.969 prisões, das quais 2,3 mil preventivas o que revela um crescimento de 12,5% no volume de prisões e de 14,6% no número de preventivas.

A ações de combate à corrupção mobilizaram a PF em 43 operações especiais em 2009, resultando em 386 suspeitos detidos, entre os quais 83 servidores públicos de todos os poderes do Estado.

“O combate à corrupção vai aumentar no próximo período em razão de que a PF está preparada para combater esses crimes. Tudo isso pode ser demonstrado na qualidade cada vez maior do inquérito e no número de prisões preventivas que vem crescendo”, avaliou Tarso Genro.

Além das atividades de combate à corrupção, operações da PF envolvendo crimes relacionados ao tráfico de drogas (72), crimes cibernéticos (10), previdenciários (27), ambientais 20) e contrabando (17) totalizaram 281 operações no ano, em dados finalizados em 15 de dezembro.

Ao apresentar os dados, o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, fez uma avaliação da natureza das ações do órgão e afirmou que o objetivo tem sido evitar ações midiáticas e melhorar a qualidade das provas reunidas nas investigações.

“Queremos trocar o impacto do momento de realização da operação pela condenação dos envolvidos. De nada adianta termos operações de grande visibilidade se a prova não tiver qualidade. Ela tem um efeito imediato na população, mas não surte resultado.

Caixa de Pandora

Ao avaliar os resultados da operação Caixa de Pandora, que investigou um suposto esquema de pagamento de propina ao governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), ao vice, Paulo Octávio (DEM), a deputados distritais, empresários e integrantes do governo, o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, afirmou que a qualidade dos inquéritos tem se tornado uma prioridade para provar os crimes.

Sem entrar no mérito da investigação, que corre em segredo de Justiça, ele lembrou a dificuldade de comprovar os delitos relacionados à corrupção: “É muito difícil identificar e pôr a mão em dinheiro de corrupção. Por isso a necessidade de melhorar a qualidade da prova.”

Drogas

As operações da PF voltadas para o combate ao tráfico de drogas resultaram na apreensão de 150.585,71 quilos de maconha. Em relação a 2008, quando 174.095,29 quilos foram interceptados, houve uma redução de 14%. As apreensões de cocaína permaneceram estáveis: foram 20,4 mil quilos, em 2008, e ficaram em 20,8 mil neste ano.

As ações voltadas para a interceptação de ecstasy fecharam o ano com 28.252 comprimidos. Em 2008, as apreensões desses comprimidos totalizaram 132.621 unidades, uma redução de 79%.

Armas

A Polícia Federal registrou a apreensão de 12,6 mil armas em 2009. Com as campanhas de incentivo ao registro, foram cadastradas 609,2 mil armas. Em 2008, o número de registros e renovações ficou em 206,8 mil. Armas entregues nas unidades da PF registraram um total de 13,7 mil, em 2009, contra 18,1 mil no ano passado. Já os portes expedidos permaneceram na casa dos 9,6 mil.


Fonte: G1


Violência: combate com aviões não tripulados

Os VANTs – veículos aéreos não tripulados – são alternativas para preservar a vida dos policiais na guerra contra o tráfico. Desde a sua invenção, o helicóptero foi o meio utilizado para defesa e fiscalização em conflitos de áreas menos populosas.

Pelas suas características, como voar em altitudes mais baixas, ele é operado pelas forças policiais preferencialmente quando não há perigo aparente para a aeronave e seus ocupantes.

Com a evolução dos “conflitos urbanos” e o aumento da necessidade de buscas e rastreamento aéreo, o uso do helicóptero se disseminou e entrou também no combate às brigas de gangues, à guerrilha urbana e ao tráfico, entre outros. A expansão da violência urbana fez com que os helicópteros passassem a atuar também nas regiões populosas, mas sempre respeitando os limites de distância que seguros e usados precisam para monitorar as operações.

Os helicópteros que são operados pelas forças policiais em outros países só são utilizados em operações urbanas quando não há perigo aparente para a aeronave e seus ocupantes.

A situação existente no Rio de Janeiro, que resultou na derrubada de um helicóptero da polícia, é praticamente inédita e tem aspectos bem particulares. As características geográficas desfavoráveis (morros altos e totalmente cobertos por favelas ou vegetação densa) permitem infinitas alternativas para os criminosos se posicionarem e causarem surpresa.

Nesse caso, a área urbana sobrevoada não é controlada pelo poder público (ao contrário da maioria das outras situações de emprego de helicóptero sobre áreas povoadas). A rigor, sob o ponto de vista técnico-operacional, quando um helicóptero da polícia do RJ voa sobre favelas está voando sobre território ocupado pelo inimigo.

Olhando para trás, alguém poderia afirmar que era só uma questão de tempo para um helicóptero (com ou sem blindagem) ter sido derrubado. Os helicópteros são grandes, visíveis e fazem um ruído característico que pode ser ouvido a grandes distâncias.

Em um passado mais recente, helicópteros da polícia foram alvejados e um tripulante foi ferido por um tiro disparado do solo.

Outro ataque foi feito a um dirigível que transmitia imagens de vídeo em tempo real sobre conflitos em áreas urbanas conflagradas.

A sucessão desses episódios já está provocando reações das mais diversas.

Especialistas em segurança, por exemplo, alertam para a necessidade de adoção de regras operacionais mais restritivas a esse tipo de aeronave que possam garantir a preservação da vida dos tripulantes.

Outra opinião recorrente é que a polícia deveria adotar rapidamente aeronaves não tripuladas para a vigilância das áreas críticas. Conhecidos como VANTs (Veículos Aéreos Não Tripulados), esses modelos já estão disponíveis em vários tamanhos e capacidades e podem voar por longos períodos tanto durante o dia como à noite. Outra opção são os miniVANTs que podem ser lançados a mão, a partir de ruas, estacionamentos, lajes ou pequenas áreas e voam por diversas horas. Um deles pesa cinco quilos e é equipado com câmeras ligadas por satélite a uma central de controle. Durante uma operação, um suspeito pode ser identificado e acompanhado pela tela do computador, ainda que ele esteja a quilômetros do local da ocorrência. A partir daí, as câmeras do miniVANT acompanham automaticamente o “fugitivo” e a perseguição só acaba quando ele for preso. E a aplicação dos miniVANTs não se restringe ao crime.

O policiamento dos jogos de futebol assim como as manifestações populares podem ser monitoradas por essa tecnologia.

Os miniVANTs são mais silenciosos e permitem uma operação discreta sem despertar a atenção.

Eles são praticamente inaudíveis devido a seu motor elétrico e transmitem imagens e vídeos de excelente qualidade para as bases terrestres às quais estão conectados. E, ainda que sejam alvejados, dificilmente eles serão atingidos porque são aeronaves de pequeno tamanho.

Se forem abatidos, não são uma ameaça significativa porque pesam pouco mais de cinco quilos.

Todas essas novas tecnologias que estão surgindo começam a quebrar alguns paradigmas sobre segurança. E o número de policiais nas ruas é um deles, pois já sabemos que a quantidade de agentes não é um indicativo suficiente para medir a segurança de uma área.

O helicóptero, apesar de útil em alguns tipos de operação, não consegue ter uma performance segura e discreta. Desde a derrubada do helicóptero da polícia do Rio de Janeiro, ele passou a ser também um alvo possível e passará a ser buscado por grupos rivais (nem que seja para mostrar que são tão bons quanto os que abateram o helicóptero).

Qual o custo de um helicóptero derrubado e de três policiais mortos? Com a tecnologia de voo não tripulado, poderemos, num futuro próximo, evitar tragédias como essas.

Fonte: Jornal do Brasil

Vídeo institucional PMMG

Vídeo mostra a atuação da Gloriosa nas variadas áreas, com imagens de treinamentos e operações ao som da Orquestra Sinfônica da PMMG no Parque Estadual da Serra do Rola Moça. Vale a pena conferir!



Campanha Natal Fraterno em Uberlândia - MG


"As 34 crianças da Fraternidade Assistencial Missionária Estrela de Davi (Famedi) – Tia Cida I foram beneficiadas pelo primeiro “Natal Fraterno”, realizado ontem pelo 17º Batalhão da Polícia Militar.

As crianças e jovens da faixa etária de 1 a 17 anos do orfanato foram apadrinhadas pelos policiais militares do setor administrativo do Batalhão, que prepararam uma manhã cheia de recreações e atividades educativas. A programação incluiu tour pelo quartel, apresentações musicais e dos cães adestrados, visualização do helicóptero, além de jogos diversos. No encerramento, cada criança recebeu um presente dos padrinhos.

Para a capitã da PM Sandra Mota, a ação é uma forma de mostrar uma realidade melhor às crianças. “Elas não estão sozinhas. Podemos ajudá-las e mostrar que cada pessoa pode doar carinho e um pouco de si.”

Aparecida Pereira dos Santos, a Tia Cida, contou que a empolgação pela manhã especial era tanta que muitas das crianças já estavam de pé antes das 5h. “Todas têm uma história sofrida, então ações como essa trazem mais alegria para a vida delas. Tudo vira diversão”, disse.
Segundo ela, o desejo para 2010 é que o orfanato fique vazio e que cada criança esteja feliz e bem cuidada com sua família."


Fonte: Jornal Correio de Uberlândia

Ex-coronel da PM atira em 2 em festa maçônica em MT

O coronel da reserva da Policia Militar João Bosco atirou nos maçons César Vidotto, coordenador de inclusão Digital da Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego e Cidadania (Setecs), e José Dimas, por volta das 3h deste domingo, durante uma festa de confraternização de final de ano da Loja Maçônica Filhos de Hiram, no bairro Jardim Itália, em Cuiabá (MT).

Segundo informações da polícia, o próprio ex-coronel registrou boletim de ocorrência sobre o fato na delegacia. A assessoria de imprensa da Setecs informou que César Vidotto passa bem, está em casa e que foi apenas um tiro de raspão.

Sobre o que teria motivado os tiros ou se havia algum desentendimento entre o ex-coronel e Vidotto, a assessoria de imprensa da Setecs relatou que nunca houve briga ou rixa entre os dois. Vidotto é "Venerável Mestre" na loja maçônica.

"O coronel reformado saiu da festa, voltou e disparou vários tiros no local. Ele toma remédios controlados e está com depressão", afirmou assessoria de imprensa da Setecs sobre o caso. "O que houve foi um incidente."

O comandante-geral da PM, coronel Campos Filho, disse que não possui informações sobre o que aconteceu dentro da loja maçônica. "Ele (ex-coronel João Bosco) é da reserva há muitos anos. O que sei é que ele registrou boletim de ocorrência acompanhado de advogado", disse Campos Filho. Como o ex-coronel está aposentado, a ação judicial irá transcorrer como de um cidadão civil. O outro atingido pelos tiros, José Dimas, recebeu um tiro no tórax. Ele encontra-se internado no Hospital São Mateus.

Concursos abertos com vagas em âmbito Nacional (BR):

- CFMV - Conselho Federal de Medicina Veterinária - 128 vagas - salários de R$ 1045.04 até R$ 4516.60 - inscrição até 29/01/2010, taxa: R$ 30,00. Informações: www.quadrix.org.br

- CTEX - Centro Tecnológico do Exército - 86 vagas - inscrição até 29/12/2009, taxa: R$ 100,00. Informações: www.ibfc.org.br

- COFECON e CORECON - 14 vagas - salários de R$ 465.00 até R$ 2972.07 - inscrição até 21/12/2009, taxa: R$ 60,00. Provas dia 25 de janeiro de 2010. Informações: www.universa.org.br

- DNOCS - Departamento Nacional de Obras Contra as Secas - 15 vagas - salários de R$ 3800.00 até R$ 8300.00 - inscrição até 05/01/2010, taxa: R$ 95,00. Provas dia 07 de fevereiro de 2010. Informações: www.concursosfcc.com.br

- ECT - Correios - 80 vagas - salários de R$ 922.87 até R$ 3431.06 - inscrição até 15/01/2010, taxa: R$ 60,00. Informações: www.correios.com.br

- ECT - Correios - 2000 vagas - Carteiro e Op. Triagem e Transbordo - salários de R$ 706.48 - inscrição até 15/01/2010, taxa: R$ 30,00. Informações: www.correios.com.br

- ECT - Correios - 159 vagas - Atendente Comercial - salários de R$ 706.48 - inscrição até 15/01/2010, taxa: R$ 30,00. Informações: www.correios.com.br

- Exército Brasileiro - 87 vagas - salários de R$ 346.31 até R$ 5111.07 - inscrição até 29/12/2009, taxa: R$ 100,00. Provas dia 24 de janeiro de 2010. Informações: www.ibfc.org.br

- MPOG - Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão - 100 vagas - Analista de Planejamento e Orçamento - salários de R$ 12413.65 - inscrição até 17/01/2010, taxa: R$ 130,00. Provas dia 28 de fevereiro de 2010.

PMRS - BM apreende 89% mais munição que em 2008

Em quatro anos, PMs quadruplicaram o total de projéteis recolhidos na Capital.

De calibres variados, contrabandeadas, desviadas, recarregadas. Para revólver, pistola ou fuzil. A munição parece estar sobrando nas mãos dos criminosos de Porto Alegre. Nos últimos quatro anos, as apreensões feitas pela Brigada Militar quadruplicaram.

Até o final de novembro, a BM retirou das ruas 23.827 projéteis. No mesmo período, foram apreendidas 1.060 armas. Ou seja, 22,47 balas por arma. Em 2006, a proporção era de 6,27 por arma apreendida. A quantidade de munição apreendida neste ano é 89% maior do que em 2008.

Para o coronel Altemir Folgiarini Ferreira, comandante do Policiamento da Capital, o aumento no número das apreensões é resultado do trabalho feito pelos policiais militares. Na visão do coronel, a quantidade de munição circulando na mãos dos criminosos não teria aumentado. O que cresceu foi o trabalho repressivo da polícia.

– Na nossa avaliação, há uma intensificação do trabalho da BM em relação às abordagens, principalmente em locais em que ocorre o tráfico de drogas – analisa o comandante do Policiamento da Capital.

Polícia e BM divergem em relação à origem das balas

A avaliação do coronel Altemir é compartilhada pelo delegado Bolívar Llantada, titular da Delegacia de Homicídios. Mas o aumento dos crimes violentos, em que a vítima é morta com um número elevado de tiros, foi notado pelos policiais. Seria uma demonstração de poder, principalmente das quadrilhas de traficantes.

– A quantidade de tiros pode ter três significados. Pode ser uma demonstração de força do bando, servir de exemplo dentro da comunidade ou para que o assassino tenha certeza da morte – afirma Bolívar.

O assassinato de um adolescente de 17 anos, na semana passada, é um exemplo de que munição não falta para os criminosos em Porto Alegre. Deivid dos Santos Gomes foi assassinado com 21 tiros de pistola calibre .380 na Vila Tecnológica, bairro Farrapos.

Conforme a investigação da Polícia Civil, Deivid foi perseguido por três homens. Enquanto corria, foi atingido nas pernas e nas costas. Ao cair, foi alvejado diversas vezes. O assassino, depois de descarregar a pistola, teve tempo de trocar o pente e voltar a atirar na vítima.

– A recarga do tambor do revólver ou a troca do pente da pistola são sinais claros de uma execução. O assassino quer ter certeza de que a vítima morrerá – avalia Bolívar.

O único ponto em que o comandante do CPC e o delegado da Homicídios não concordam é a origem das munições. Para o delegado Bolívar, a maior parte dos cartuchos apreendidos são recarregados. Poucos seriam contrabandeados pelos criminosos.

– Já prendemos dois armeiros clandestinos que recarregavam munição para quadrilhas da Capital – afirma o chefe de investigações da especializada, Pedro Diniz.

De acordo com o coronel Altemir, os projéteis apreendidas pela Brigada Militar, em sua maioria, chegam ao Estado depois de entrar no país pela fronteira com o Paraguai, fruto do contrabando.

Fonte: Diário de Santa Maria

PMES- PM apreende 20 quilos de pasta-base

A polícia tirou de circulação 20 quilos de pasta-base de cocaína que serviriam para abastecer os balneários do Sul do Estado, durante o verão. A apreensão aconteceu na manhã de ontem, na Grande Jacaraípe, Serra. Quatro pessoas foram presas, durante a operação feita pela Polícia Militar.

Segundo militares, a droga seguiria para Marataízes e Piúma. Cada quilo de pasta-base seria vendido por R$ 12 mil. Cerca de um mês atrás, a polícia recebeu informações de que havia uma movimentação intensa de pessoas na casa, localizada na Rua José Maiole, no bairro São Francisco.

Na noite de sábado, policiais da Ronda Ostensiva Tática Motorizada (Rotam) e do Serviço Reservado do Comando de Policiamento Ostensivo Metropolitano (CPOM) cercaram a residência. Ontem, quando um Fiat Uno deixava o imóvel, a polícia fez a abordagem. Numa bolsa preta, havia 10 quilos de pasta-base; e no tanque de combustível, mais 10 quilos.

Foram presos Marcélio da Silva Melo, 29, apontado como o chefe da quadrilha; Fábio Piantavinha Guerra, 28, que dirigia o Uno; Wesley de Oliveira dos Santos, 25, que teria trazido a pasta-base de Minas Gerais; e a mulher de Marcélio, Giselly de Oliveira Fernandes, 24, que teria feito a contabilidade da quadrilha. (Ana Paula Mill)

Acusado diz que mulher é inocente
Apontado pela polícia como o chefe da quadrilha, Marcélio Melo negou que a mulher, Giselly Fernandes, fizesse parte do esquema. “Ela não sabia de nada. Só fazia o que eu pedia. Foi a primeira vez que peguei drogas e deu tudo errado”, afirmou.

A residência onde moravam os suspeitos de tráfico em Jacaraípe, é ampla: dois andares, tem piscina, quintal e pomar, com várias árvores frutíferas. O imóvel estava alugado por R$ 500,00 por mês. Marcélio e Giselly residiam ali havia cinco meses.

No imóvel, a polícia apreendeu fotos do casal durante um passeio no Rio de Janeiro. Nas buscas feitas, também foram recolhidos cerca de R$ 1 mil em dinheiro e cheques no valor total de R$ 814,00.

Fonte: Gazeta on line